Consolação…



Tivemos um Nadal x Djokovic na semifinal do ATP de Doha! Opa, pera lá! Como assim ? Calma. Foi na dupla. E mais uma vez numa quadra secundária e sem destaque. Enquanto isso, que me respeitem os fãs deles, um Ivan Dodig x Andreas Seppi na quadra central fechando a programação. É, pra você ver como o valor é dado pras duplas …

Por um lado é bom ver esses nomes indo bem na chave de duplas, mas por outro sabemos que eles estão lá apenas para pegar ritmo, por ser o primeiro torneio do ano. Como o mestre e especialista na categoria (foi top 6 de duplas) Carlos Alberto Kirmayr me disse em um bate-papo no fim de ano,  se esses gigantes dessem ênfase para a disciplina, estariam entre as cinco, seis melhores parcerias da temporada.
Agora jogar uma final de duplas serve de consolação para uma primeira semana abaixo do rendimento para Rafael Nadal e Djokovic. O espanhol então foi errático num jogo que parecia nas mãos contra um veterano, bem rodado no circuito e que parecia barbada. Mostrou muita falta de ritmo, nervosismo e tensão.
Vamos anotar as últimas derrotas de Nadal. Em Wimbledon, Halle, Basileia e agora Doha perdem sempre para tenistas fora do top 80 (Berrer 127, Kyrgios 144, Brown 85, Coric 124). Depois da paulada de 6/2 6/0 contra Murray na exibição de Abu Dhabi é preocupante a (falta) de confiança que chegará na Austrália.
Djokovic vinha arrasador no torneio até pegar um inspirado Karlovic. O croata jogou demais, sacou muito, não deu chances nos games de saque e por incrível que pareça quebrou o sérvio com passada na corrida. Isso mesmo que você está lendo. O mundovirou de cabeça pra baixo. Um gigante de 2,11m conseguiu esse feito num ponto crucial contra Nole. Vejo essa derrota mais como um percalço, mas que deve abrir o olho do sérvio para o que realmentre interessa que é Melbourne.
Falando em consolação, João Souza caiu para fora dos 115 do mundo com a perda dos pontos do extinto challenger Aberto de São Paulo – promotora não pagou os jogadores e está impedida de realizar o evento até quitar a dívida -, mas arriscou o ATP de Doha, passou uma boa rodada de virada contra um top 75 e teve chances contra o experiente Andreas Seppi, 45 do mundo, ex-top 20, com um 5/2 no primeiro set. Caiu mais cedo, ficou com défict de pontos, mas tem tudo para crescer seu jogo para quem sabe ganhar sua primeira partida de Grand Slam, na Austrália.


MaisRecentes

51 vezes Nadal. Uma boa ideia



Continue Lendo

Djokovic está de volta!



Continue Lendo

Um racha no circuito ? 



Continue Lendo