A briga esquentou pelo Nº 1. Federer pode assumir o posto após Paris



Todos davam como certo que Novak Djokovic terminasse esse ano como número 1, muito por conta dos diversos problemas que Rafael Nadal atravessa. Todavia a regularidade e ótima produção de Roger Federer dando as cartas em momento decisivo mudaram o cenário e trouxeram uma pimentinha a mais para o fim deste ano.

Eram 28 vitórias seguidas de Djokovic na China até o encontro da manhã de sábado onde encontrou um Federer confiante e fazendo tudo certo em um tênis plástico, bonito de se ver, jogando no ataque com precisão e botando pressão com ótimas subidas e voleios precisos. O tênis em um piso rápido pede que o jogador vá à rede, mas atualmente raros jogadores conseguem produzir tal estilo com precisão e Federer retomou isso com maestria esse ano em sua parceria com o sueco Stefan Edberg.
Neste domingo poucos pontos decidiram e Federer venceu uma dura partida contra Gilles Simon que tem um tipo de jogo que incomoda muito o suíço com ótimos contra-ataques. E foram mais 1 mil pontos no bolso e 1,3 mil a menos de diferença para Djokovic.
Fazendo os cálculos, Federer tem no ano 990 a menos que o sérvio na tabela que vai decidir quem será o melhor da temporada. Temos na disputa mais 3 mil que os dois irão disputar com os torneios da Basileia, Paris e o ATP World Finals.
Esse ranking do ano vale bastante agora para se ter uma noção mais exata da briga. Transferindo para o de entradas, a vantagem de Nole passará a ser de 2.430, mas Djokovic terá 2.500 a defender e Federer 1.060.
Ativando os cálculos, Federer pode assumir o número 1 após Paris caso vença o torneio e o ATP da Basileia e se Djokovic, por exemplo, cair até a semi na capital francesa e parar antes da semi na Basileia. Neste cenário, Djokovic ficaria com 9460 enquanto que Federer chegaria em Londres com 9520. Só lembrando que os pontos do Finals caem na semana que se inicia o torneio, ou seja, logo após o Masters francês.
É bom que se lembre. Djokovic será papai em breve. Ele não revela quando, mas sabe-se que é grande a chance que seja agora em outubro. Se o fruto do amor com Jelena Ristic vier no fim do mês ele corre o risco de ficar de fora da Basileia ou Paris o que só aumenta as chances de Federer. Pelo menos o sérvio vem dizendo que deixaria o tênis em segundo plano para tal ocasião. Veremos.


  • Ronaldo Moulin

    Pois é… Federer me lembra a lenda da Fenix que ressurge das cinzas… Sem dúvida é um “fora de série”. Sou fã do suíço, mas juro que achei que já tinha visto tudo que ele tinha pra mostrar. Errei feio! Ele apresenta mudanças táticas e mais disciplina em executá-las. Não sei se ele tem gás pra chegar ao topo, mas aos 33 anos tá dando aula pra garotada!

  • Eduardo

    Bom dia Fabrizio!

    Só uma ressalva! Djokovic não jogará Basileia! Não está previsto no calendário oficial dele! Federer chegou até a final em 2013 (Perdendo pra Delpo), Basileia é uma faca de 2 gumes para o Roger, enquanto ele pode ser campeão e diminuir a diferença para menos 200 pontos, ele poderia perder antes da final e aumentar a diferença entre Nole!

    O herdeiro do Nole deve nascer durante o Masters de Paris ou durante o ATP Finals, Nole com certeza deixará de jogar um dos 2 torneios (quem sabe até os dois!).

    – Se Federer ganhar Basileia, a diferença será 780 pontos, Se Djoko não jogar Paris ele só precisaria somar mais de 140 para ultrapassá-lo, portanto chegando nas quartas de final ele já ultrapassaria o Djokovic. (Somaria 180 e ultrapassaria por 40 pontos). Essa situação é a mais provavel que eu vejo acontecer.

    Acho bastante provavel que o Roger passe ele depois de Paris!

  • O Gênio voltou!! Mesmo c/ 33 nas costas, a Técnica ainda sobressai ao físico.
    Se continuar neste ritmo tem chances de terminar a temporada em 1o do ranking. Quem sabe, mais um titulo do finals.

  • Eduardo Alban

    Independente de chegar ou não ao topo mais uma vez e aumentar sua inigualável marca de 302 semanas como número 1, o importante é que Federer, aos 33 anos, resgatou o tênis bonito de ver e provou que, mesmo nos tempos atuais , onde o físico é cada vez mais valorizado, o talento ainda é o mais importante.
    Quanto aos que vislumbram sua aposentadoria desde 2010, aconselho sentar na poltrona, esperar mais um pouco e curtir a genialidade do maior tenista de todos os tempos !!

  • maria teresa mariella borja bosquirolli

    A cabeça do federer voltou a funcionar felizmente então com odjocovich sendo papai ou não ele tem todas as condiçoes de vencer ele vence por si só assim como ele passou o ano passado inteiro ELE MESMO SE DERROTANDO COM VARIOS MATCH POINTS A FAVOR E COMETENDO DUPLAS FALTAS NESTES PONTOS CRUCIAIS. ate a postura dele mudou a forma de caminhar de sacar dignamente e não derrotado vamos la Roge.
    Roger has everçything to end the yar being no.1 hes head is in its place and now he is concious again of what he is capable his posture in the court beace a winner again not like last year that he defeated most of the tournaments HIM HIMSELF. Come on Roger lets go now didn´t know what happened with you last year but you were born to be a winner and YOU ARE THE BEST
    BETTER THAN ALL THE REST sincerely Mariella I can tell you so since I was an athlete too

  • OTAVIO NEVES

    Caro Fabrizio: Eu vi um vídeo seu apresentando o Bahia Juniors Cup 2014. Será q/ vcs. poderiam disponibilizar vídeos das finais de todas as categorias no site do Torneio ou no Tenis News ? Tenho interesse, p. ex., em ver a Final do 12 Masculino. Obrigado e grande abraço. Otavio Neves.

    • Fabrizio Gallas

      Otavio, foi transmitida somente a final de 18 masculino, tdevemos ter da transmissão da cerimônia de troféus pelo site da TV Kobertura

  • Neto

    Federer faz a final amanhã e, se confirmado o favoritismo, já cumpre a 1ª parte para voltar ao topo. Eu ainda acho um pouco distante, mas só dele estar nessa disputa já é impressionante.

  • Gilmar C Passos

    Bom dia!

    Gosto muito do tênis, embora não consiga acompanhar da maneira que gostaria, mas tem uma coisa que tenho dificuldade de entender: é a pontuação do ranking. Já li que o Federer pode ultrapassar o Novak agora em Paris, mas como é feito o cálculo??? Segundo o ranking publicado aqui Novak tem 11.510, Federer 9.280(diferença 2.230) se o torneio distribui 1000, como é que o Federer pode passar o Novak? Alguém poderia me explicar como funcionam estes cálculos. Obrigado

MaisRecentes

Laver Cup faz história e dá um tapa na cara da Davis. E Bia Maia muda seu patamar no circuito



Continue Lendo

Nadal no Olimpo



Continue Lendo

O enorme coração de Del Potro



Continue Lendo