A redenção de Bellucci



A sexta-feira decretou o que vinha sendo lapidado há alguns anos. Thomaz Bellucci virou um legítimo jogador de Copa Davis.

Algumas boas performances como contra John Isner em Jacksonville (EUA) e grandes viradas como contra Alejandro Falla em Rio Preto (SP) e diante de Rohan Bopanna na Índia foram fundamentais já o colocavam no processo. Mas faltava algo. Faltava aquela vitória épica em casa, com muita pressão por sair atrás no marcador e ter um adversário forte de um país forte pela frente, de sair com 2 sets a 0 abaixo, com o árbitro influenciando em um ponto decisivo no quarto set, com um match-point salvo com bola na linha, um quinto set com quebra e empate a seguir, ou seja, com nervos à flor da pele.

O nível de dramaticidade desta partida e tudo o que Thomaz superou em quadra junto com a equipe e o capitão João Zwetsch foi espetacular. Daqueles jogos que fazem a Copa Davis ser mais do que especial e que podem mudar a carreira de um atleta.

Trabalhando como fotógrafo neste final de semana pude acompanhar bem de pertinho, quase dentro da quadra, todas as emoções suas, da equipe, do capitão, sensações, cansaço físico, dramas, apatias no começo, vibração e o comportamento da torcida que ajudou, mas atrapalhou em momentos onde só a cabeça forte de um jogador para não se deixar abalar.

Claro que não posso deixar de citar que Pablo Andujar fazia sua estreia em Copa Davis e deu uma contribuição para a virada do brasileiro, cometendo alguns erros a mais quando tinha a boa vantagem no marcador, mas NADA tira os grandes méritos do brasileiro.

Azar de quem foi embora mais cedo, ao fim do segundo set, como pude notar nos arredores do Ibirapuera. Perderam o que foi o decreto da consagração de Bellucci como jogador de Copa Davis e a grande redenção para quem na mesma quadra foi vaiado durante o Brasil Open do ano passado. Independente do que aconteça no domingo.

Bellucci e o físico

4h02min de partida e quando se fala de uma partida com essa duração sempre há a preocupação com o físico de Thomaz Bellucci para o domingo. Sim ele puxou a perna algumas vezes, mas aparentemente aguentou bem e até relatou, em coletiva de imprensa, que o físico foi um diferencial para a vitória. O clima em SP era bom, quadra coberta. Nada de calor e nem umidade. Ajudou. Domingo é um grande teste para avaliar tal evolução física.

Não me surpreendi com Rogerinho

Mais de 30 erros não-forçados e 1h31min em quadra com 6/0 6/1 6/3 e vibração ao fazer um game no fim do segundo set após 45 minutos de partida. Não foi contra Rafael Nadal, nem Novak Djokovic ou David Ferrer. Roberto Agut vem em evolução, é top 15, um ótimo jogador, mas não é ninguém de outro planeta.

A atuação do brasileiro foi muito ruim, mas de fato não me surpreendi dado o momento que vivia no circuito, sem vitórias nos últimos meses sobre top 200, levando 6/0 do veteraníssimo Ruben Ramirez-Hidalgo em torneio challenger.

É o que comentei em meu último post. Expiriência e o passado bom na competição são importantes, mas o momento deve ser levado em consideração. Deu no que deu.

Que Rogério não se abale e o capitão consiga tirar o melhor do jogador para um eventual 5º jogo decisivo que, no meu ponto de vista, ficou bem provável pelo cenário que o confronto apresenta ao fim desse primeiro dia.

Até mesmo o capitão espanhol Carlos Moya não esperava a escalação de Rogerinho para o confronto ao proferir tais palavras: “Fiquei surpreso com a escalação de Rogerinho. Achei que jogaria (Guilherme) Clezar. Já tinha visto Clezar jogar e apesar de Rogerinho ser mais regular e o Clezar mais inconstante, sinto que o potencial do Clezar para ser mais perigoso em um jogo era maior”.



  • gilberto

    é verdade ninguem do meio do tenis engoliu essa não convocaçao do joão sousa melhor rankeado muito mas forte agora o cara coloca o rogerinho que vem sem ritimo sem vitorias é politicagem pura podem apurar depois sorte do brasil se conseguir passar o feijão ja venceu o andujar em atps poderia muito bem vencer o bautista agut tomara que se o brasil perder aja uma força fora da cbt que faça o joão tomar um pé !

  • Orlando foi convidado pro challenger de campinas?

    • Fabrizio Gallas

      Vai jogar o Mundial de 16 anos no México nesse mês.

MaisRecentes

Laver Cup faz história e dá um tapa na cara da Davis. E Bia Maia muda seu patamar no circuito



Continue Lendo

Nadal no Olimpo



Continue Lendo

O enorme coração de Del Potro



Continue Lendo