Bravo Federer!



Todo o sonho de Roger Federer em voltar a ganhar um Grand Slam parecia que terminaria na noite desta quinta-feira, mas o suíço renasceu das cinzas, salvou dois match-points, achou as soluções e virou um improvável jogo diante de Gael Monfils, que vinha sem perder sets no torneio.
Nessas horas a garra, a vontade e a confiança ajuda também. Mesmo sendo basicamente dominado no começo, as vitórias anteriores dão a tranquilidade de saber que com tudo acima citado uma hora a maré pode mudar. Federer poderia ter largado mão, ido para casa ficar uns dias mais com seus filhos antes da Copa Davis ou até mesmo passeando por Nova York fazendo compras com Mirka, mas a cada dia ele mostra que quer mais, que quer levar esse Slam.
Outro ponto a se debater. Esse jejum de Major – sem títulos desde Wimbledon 2012 – , o que para Federer é uma série considerável, somado à chave que eu não diria a dos sonhos, mas bem mais acessível do que os demais, gera uma pressão pela responsabilidade de ser o favorito, ter que dar as cartas e corresponder as expectativas da mídia, público, dele mesmo e mais ainda após sua série de bons resultados nos últimos meses. E nesse aspecto onde vimos um Federer mais tenso no jogo de hoje, principalmente quando viu o confiante rival fechar as portas nos dois primeiros sets.
Fato que pode voltar a ocorrer no próximo sábado onde tem um bom retrospecto (5 a 0) contra Marin Cilic, um adversário que adquiriu experiência e um jogo onde qualquer vacilo no seu serviço já era visto que o saque dele ficou mais do que eficiente.
O cenário que vejo é de um favoritismo para Novak Djokovic ainda mais após a brilhante vitória da última madrugada. O sérvio fez excelentes partidas no começo do torneio e mostrou estar com o fisico mais do que em dia na partida contra Andy Murray. Aguentou muito o tranco em dois sets e meio intensos contra o britânico, sustentou o alto nível, firmeza no fundo para conseguir a classificação e tem uma ótima chance de passar pelo bravo samurai Nishikori que vem de duas batalhas intensas de cinco sets. O japonês tem a sorte de ter ganho um dia a mais de descanso, mas Djokovic está um degrau acima do restante no circuito e é aí que ele sai na frente.
Mas aí são outros 500, é esperar para ver e torcer. O torneio esquentou!


MaisRecentes

Nadal com caminho mais aberto. Bellucci regrediu



Continue Lendo

Nadal chega em Paris com sobras. Djokovic pode brigar



Continue Lendo

Nadal não será afetado por derrota em Madri. Zverev cresce, mas precisa confirmar em um Slam



Continue Lendo