Voltando a animar!



Thomaz Bellucci fez uma ótima atuação na noite desta quarta, madrugada de quinta-feira diante do suíço Stan Wawrinka. Jogando solto, com confiança, agressivo e com boa consistência durante a maior parte da partida. Fez o adversário, campeão do Australian Open, se sentir encurralado durante dois sets e por muitas vezes perder a cabeça.
Foi uma atuação sólida que animou todos com visão de Copa Davis contra a Espanha (que ainda tem o time indefinido e com grandes chances de não vir Rafael Nadal e David Ferrer) e também para o restante do ano onde pretende focar no piso rápido e coberto da Europa.
O que faltou então para a vitória ?
A velha calma. Se por um lado falhou em um voleio fácil que deu a vantagem para o rival no primeiro set, Thomaz teve muita coragem e mente firme para salvar inúmeras situações adversas de break-points a partir da terceira etapa, mas faltou sustentar isso no meio pro fim do quarto set na dupla-falta e erro não-forçado do 3/2 e também no tie-break da quarta etapa.
Bola, todo mundo sabe que Bellucci tem para incomodar e bater os melhores, o que falta são esses detalhes, se manter acima dos grandes rivais por mais tempo nas horas chave.
De qualquer forma foi um US Open que nos deixou bastante esperançosos de que bons resultados possam vir em muito breve.
Curtinhas:
Sem muito a comentar sobre as estreias dos favoritos no masculino. Djokovic pegou um rival muito fácil, que nunca havia ganho sequer em challenger no piso duro, e Federer enfrentou um adversário mais complicado e jogou para o gasto.
No feminino não vejo um horizonte bom para Maria Sharapova após essa segunda rodada. Errática, com certos problemas no serviço e indo aos trancos e barrancos. É bom engatar a próxima marcha, caso contrário ficará fora mais cedo do que pensa em Nova York.


MaisRecentes

51 vezes Nadal. Uma boa ideia



Continue Lendo

Djokovic está de volta!



Continue Lendo

Um racha no circuito ? 



Continue Lendo