Fenômeno!



nadalrolandgarros2

No dicionário a palavra fenômeno tem o seguinte significado. Tudo o que está sujeito à ação dos nossos sentidos, ou que nos impressiona de um modo qualquer, física ou moralmente.

Pela enésima vez, Rafael Nadal provou estar associado ao substantivo, provou ser um atleta do qual NUNCA devemos duvidar, ainda mais em Roland Garros, o quintal de sua casa.

Nem mesmo quando chega com sua pior campanha no saibro na última década – apenas um título em quatro torneios e ele conquistado sobre um rival lesionado -, com seguidas derrotas, inclusive no piso, para seu adversário da grande final e nem mesmo quando tem dificuldades físicas que vinham afetando alguma parte de seu jogo.

Nadal entrou sem um favoritismo pleno de outros anos – é de praxe também que mesmo sendo o favorito jogue para o rival tal condição – conseguiu soltar seu melhor jogo de forehand a partir do segundo set após vacilar no primeiro e esbanjou confiança no terceiro e parte da quarta etapa. Djokovic, por sua vez, mostrou aquela fragilidade física da semifinal. Vomitou em quadra e sentiu o calor pertos dos 30º C. No meu entender algo estranho e não divulgado aconteceu. Jjá o vi muito melhor preparado fisicamente para aguentar o espanhol, afinal, em 2011 e 2012, o derrotou em batalhas em Miami, US Open e Australian Open com mais de três horas.

Nadal não se cansa de ganhar Roland Garros, não se cansa de se motivar para vencer cada vez mais. Não se cansa de ser um destruidor de sonhos. Federer tentou cinco vezes, perdeu quatro finais. Djokovic jogou pela sexta vez, sem sucesso, perdendo a segunda final.

Lá se vão 66 vitórias em 67 partidas com uma única derrota, para o sueco Robin Soderling, em 2009 – 90 em 91 jogadas ao todo no piso lento. Se Djokovic, depois de tudo que fez e tudo o cenário que se apresentava, mais uma vez não conseguiu. Quem será que pode pará-lo ? A pergunta ficará mais um ano pelo menos sem resposta.

Os números de Nadal seguem se acentuando. Já são 14 Grand Slams no currículo igualando Pete Sampras, o segundo maior vencedor. Faltam apenas três para alcançar Roger Federer, um feito que cada vez mais parece real, afinal ele tem 28 anos recém-completos e se mostra resistente aos seguidos problemas físicos que aparecem recorrentemente.

Curtinhas:

Sigo eu como o pé frio de Nadal. Estive em Roland Garros uma única vez, em 2009.

E em algo Nadal vem perdendo quando joga Roland Garros. O cabelo. É só ver o infográfico com as fotos de suas nove conquistas na França. Se cuida rapaz!

Enquanto isso, Djokovic perde sua terceira final seguida de Grand Slam (Wimbledon para Murray, US Open e Roland Garros para Nadal). Série indigesta.

Nadal segue para a grama e confirmou que joga Halle, na Alemanha. Veremos agora se as costas vão aguentar. A grama exige um saque mais potente o tempo todo e em suas melhores campanhas sempre foi mais agressivo nesse fundamento. Em Roland Garros conseguiu sacar melhor nas três últimas partidas e não demonstrou tantos problemas. Veremos.

Bom lembrar. Nadal mantém o topo, mas sai com apenas 170 pontos de vantagem. De olho no ranking é bom que faça boa campanha em Wimbledon onde não defende nada e o sérvio descarta 1200. Caso não o consiga, terá que batalhar muito no piso duro onde defende o Masters do Canadá, Cincinnati e o US Open.

 

 

 

 



  • Pires

    Hahaha, valeu Gallas, Vamos!

  • Guilherme

    Olá Fabrizio

    O Nadal continua a surpreender apenas os mais descrentes. A mim já não me surpreende.
    Ao longo dos anos o Nadal tem tido altos e baixos, como todos os tenistas. Quando está na mó de baixo, dizem que o fisico não aguenta, não vai jogar por muito mais tempo, está acabado para o ténis, entre outras coisas, que não passam de baboseiras. O que é certo é que tem conseguido encontrar soluções para contrariar o poderio do seu principal opositor, o Djokovic.
    Atualmente temos apenas dois galáticos do ténis, o Rafa e o Djoko. É incrivél como conseguem aguentar fisica e mentalmente.
    O Nadal arrisca-se a ser, provavelmente, o maior de todos os tempos.

    Parabéns ao Nadal pelo seu 9º titulo em RG e que continue a jogar por muito tempo o seu poderoso ténis

  • Gabriela

    Por favor, não volte enquanto Nadal estiver na ativa!! rsrs

  • marcelo

    Novamente aviso. A hora esta chegando. Aos poucos vcs vão aceitando a realidade: estamos d iante do maior de todos…ainda volto aki um dia para lembrar aos “federistas”. Enquanto isso vamos apreciar o q é a capacidade de reinventar inúmeras vezes o que chamamos de tenis. Pena para nole ter idade tão próxima a de nadal, pois este tbém superaria fácil o suíço se n fosse o espanhol. Sem diminuir o federer, que tem seu valor. Mas nadal chegará ao topo da história do esporte em breve e torço p q surja alguém capaz de superá-lo. Essa é a blz do esporte.

  • alexandre

    Oi Fabrizio, sou grande fã de Nadal e também achava que era ano do Djoko, estava difícil torcer pra ele em toda esta temporada de saibro,eis que veio a semi, e vimos no meu entender pela primeira vez o “Nadal”rei do saibro, mesmo assim ainda achava que o Djoko poderia ganhar..e mais uma vez este guerreiro mostrou todo apetite, e humildade porque Nadal vibra por cada jogo, em cada torneio, e isso é o maior exemplo que ele nos deixará, vida longa ao grande “Fenomeno”.

  • Cristiano gomes

    Realmente um jogador espetacular. Ja está a quase 10 anos entre os melhores. Justamente em um esporte tão desgastante física e emocionalmente. Um exemplo de luta e perseverança. Parabéns Rafael Nadal

  • eduardo

    fabrizio nadalete, vergonha alheia

    • Fabrizio Gallas

      gozado, quando eu falo bem do Federer sou Federista…

  • Wanda Ribeiro

    Parabéns Nadal! Que venham mais títulos. Parabéns, também, pela pessoa íntegra que você é.

  • Fellipe Catullo

    Boa Tarde a todos os leitores!
    Respeito muito o Nadal, jogador fortíssimo mentalmente que ele é… isso é indiscutível!
    Mas fisicamente eu tenho dúvidas acentuadas sobre a idoneidade desse rapaz. Como o jornalista (Nadalzete) postou “se mostra resistente aos seguidos problemas físicos que aparecem recorrentemente”, tenho lá minhas dúvidas se ele não é mais um dos “Lance Armstrong” da vida, pois muitos disseram, principalmente na França, que o Nadal se retirou do circuito depois de Wimbledon em 2012 pois estava dopado (pra não ser flagrado no dopping) e, convenhamos, ninguém, aliás, ninguém humanamente falando, consegue voltar de uma lesão das mais graves que existe no joelho, ainda mais depois de 7, 8 meses, e conseguir 10 títulos, ainda mais na quadra dura, onde se desgasta muito mais os joelhos. Quem sabe um dia a verdade apareça!

  • Carlos Luiz

    Respeito a sua opinião, mas o Nadal é forte no saibro de Paris. Deixa chegar Grand Slam da Inglaterra, e ai vamos ver que o domínio dele é só no saibro.

  • felipe

    talvez mta gente não lembre, mas já ouve um tira-teima desses, eu lembro bem, em 2008 na final de Hamburgo… Nadal vinha numa tendência declinante, e falavam que ele não coseguiria destronar Federer, seria um eterno nº2 e o novo lider do ranking mais provavel era Djokovic, que vinha numa ascensão meteórica, tinha ganho o Aberto da Austrália naquele ano, Indian Wells, Roma (em que Nadal não chegou a enfrentá-lo pq perdeu cheio de bolhas pé para Juan C Ferreiro) e quando chegaram no Masters1000 de Hamburgo, Djokovic já havia encostado no ranking, aquele jogo decidiria quem era quem, valia o posto no ranking, e, Nadal fechou os punhos, lutou como um leão naquele jogo, e venceu o tira-teima, o que não só segurou ele como numero 2 como reverteu aquela tendencia de queda qe ele vinha aparentando e deu o gás para sequencia da sua carreira, o resto da história todo mundo sabe… ele venceu na sequencia dessa partida RG, Wibledom pela primeira vez naquela final historica e todos os masters na quadra dura coroando com a chegada ao topo.. Djokovic só voltaria a conseguir o que ele pretendia nessa final de Hamburgo de 2008 dois anos depois.. eu não sou o maior fâ do estilo de jogo do Nadal, mas é fato que ele quem sabe seja o maior “vencedor” de tenis de todos os tempos, quando a coisa aperta, quando tudo depende da força de vontade, nesse quesito ninguem o vence, o cidadão é a superação em pessoa!!!

  • sergio

    Mais uma vez, o melhor tenista de todos os tempos demonstrou sua raça, coragem e humildade. Mesmo não estando fisicamente 100% (problema nas costas que o acompanha deste o Australian Open), venceu de forma categórica (o próprio técnico do Djoko reconheceu a superioridade de Rafa) um dos torneios mais difíceis do circuito (haja vista que Sampras nunca foi campeão em RG). Rafa estando 100% é quase imbativel em qualquer superfície.

  • Altair

    Fenômeno indiscutível e ponto!!!

  • lina

    Ótimo post Fabrízio,
    Nadal é realmente um fenômeno, eu sou fã do Rafa e Federer, cada um no seu estilo, são fantásticos.
    Fabrizio, o Djokovic deu um encostada no ranking do Nadal, mas, a situação agora mudou de lado , fiz umas continhas e até a final da temporada, o Djokovic tem mas pontos a defender. Confere o que estou dizendo?
    Um abraço Fabrizio.

  • Altair

    Indiscutivelmente um fenômeno a ser estudado e admirado!!Te cuida Federer seu recorde já não parece tão distante…

  • lina

    Fenômeno mesmo. Esse cara se transforma em Roland Garros, não duvido nada que ele possa ganhar o décimo caneco em 2015.
    Parabéns pelo post Fabrizio.

  • Maurício Luís

    Muito interessantes estas fotos. Não me simpatizo com ele, mas há que se reconhecer que ele tem uma garra e vontade de ganhar que não são coisa deste mundo.
    Vamos ver até onde os analgésicos e as infiltrações vão segurar a onda dele. ” Não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se acabe”.

MaisRecentes

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo

Quanto Nadal está disposto a arriscar por Londres ?



Continue Lendo

Quem é o melhor do ano ? Federer ou Nadal ?



Continue Lendo