O Touro reage. E Gulbis pode parar Djokovic ?



Saque fraco, com média abaixo dos 150km/h e vulnerabilidade nos pontos com a profunda e firme devolução de David Ferrer. Rafael Nadal sofreu bastante no 1º set, segurou firme no segundo aproveitando o único break-point que teve e salvando os de David Ferrer, elevou o nível, foi mais agressivo e mudou a postura entrando mais em quadra e também no serviço elevando a velocidade e assim causou mais danos para a resposta do adversário que foi definhando em ansiedade, pressa e consequentemente os erros pela confiança que a cada game vinha sendo abalada.

O Touro reagiu, mostrou suas garras e pisou forte no local onde perdeu apenas uma vez em 65 partidas e colocou que pode sim conquistar o nono título de Roland Garros apesar ainda de acreditar que Novak Djokovic tenha certo favoritismo pelo alto nível que vem jogando.

Não vejo Murray derrotando Nadal. Mesmo que faça um jogo perfeito para seus padrões no piso lento. Vimos em Roma que mesmo jogando mal, Nadal foi lá e venceu.

Falando em favoritismo do sérvio, será que Gulbis pode aprontar de novo ? O letão vem jogando sem nada a perder, derrotou Roger Federer de forma muito merecida e trucidou Tomas Berdych. A diferença é que Djokovic está um verdadeiro paredão no torneio, devolve todas com muita eficiência e ao mesmo tempo saca bem e joga agressivo. Esses fatores tendem a irritar e levar o letão ao erro. Gulbis necessita manter a precisão e jogar com alto percentual de primeiro serviço para poder dar trabalho e quizá beliscar um set. Mas o sérvio também não pode baixar o nível, caso contrário corre o sério risco de ser abocanhado pelos backhands, direitas e saques demolidores da eterna promessa que finalmente desabrochou.

Curtinhas:

Gulbis será top 10 com a campanha em Paris. Finalmente chegou na turma depois de anos de esperança e desconfianças dada sua falta de compromisso.

E o Brasil vai bem no juvenil com Orlandinho Luz e Marcelo Zormann nas quartas de final e boas chances de uma semi. Vamos seguir na torcida.

Uma pena a queda de Bruno Soares na semifinal de mistas após perder três match-points.



  • Paulo Filho

    Ainda tenho minhas dúvidas se foi o Nadal que jogou bem, ou se foi o Ferrer que amarelou de novo. Acho que o jogo contra o Murray vai dizer muito mais do que esse contra o Ferrer, que estava visivelmente ansioso e, justo quando não podia perder a cabeça, foi lá e desabou mentalmente.

    É fato que o Murray tem o mental muito mais forte que o Ferrer, mas não sei se o jogo dele, apesar de estar na semi, vai ser suficiente para incomodar o Nadal. Se ele vier sem pressão, como deve vir, pode sim castigar o Nadal, mas se fizer o feijão com arroz como fez hoje contra o Monfils, o Nadal come com farinha.

    Sobre o Djokovic, é bom ele entrar com seriedade, pois sem sombra de dúvidas o Gulbis será o maior desafio até agora, uma vez que ele vem completamente sem pressão e totalmente descansado. O Djokovic é considerado o maior favorito do evento, e mais uma vez tem a pressão pelo caneco por ser o único major que ele não tem, então é perfeitamente cabível que num momento intenso do jogo, ele esbraveje e perca a concentração.

    O Gulbis nunca sente pressão, e como vem embalado por derrotar 2 top 10, sendo um deles o Federer, vai vir pra cima como azarão e, como este ano é o ano da zebra, as estatísticas estão todas a favor dele.

    Eu acredito que o Nadal vença o Murray por 3×1, o Gulbis vença o Djokovic por 3×2 e o Nadal vença o Gulbis por 3×1. Vamos ver. Ainda não acredito que vai ser dessa vez que o Djokovic vai fechar o Grand Slam.

  • Marcia Bastos

    CHEGA DOER, SUA PREOCUPAÇÃO EM ACHAR CAMINHOS PRO GULBIS DERROTAR O SÉRVIO. VC É A NADALETE MAIS FERVOROSA QUE CONHEÇO!

  • Lyse

    O que falta nos jogadores brasileiros é muuuuuuuuuuita raça e auto-estima. Não é possível perderem tanto mesmo estando tão proximo de vitórias. Cade a raça, povinho???

  • Carlos Luiz

    Bom tarde Fabrizio.
    Gosto bastante dos seus comentários.
    Acho Rafael Nadal um baita jogador uns dos melhores, mas agora que ele está sendo provado.
    Penso que a ATP deveria mudar esses critérios de sorteios nos torneios, pois Djokovic e Federer foram prejudicados com adversário mais capacitados.
    Um abraço.

    • Fabrizio Gallas

      O sorteio é igual para todos, em teses os favoritos enfrentam jogadores de menor ranking. Acredite que era pior há 10 anos quando existiam apenas 16 cabeças. Nadal ou Djokovic ou Federer podiam enfrentar o Gulbis na primeira rodada. Imagina só ?

MaisRecentes

Nadal no Olimpo



Continue Lendo

O enorme coração de Del Potro



Continue Lendo

Federer, Nadal ou Zverev ? Quem é o favorito ao US Open ?



Continue Lendo