O pontinho que fez a diferença



A história se repete em Roland Garros para Roger Federer. Em 2013, nas quartas de final contra Jo Tsonga, abriu uma quebra, abriu 4/3, mas vacilou, perdeu o set e se abateu. Neste domingo, abriu 1 set a 0, 5/3, 40/15, teve um smash para definir o set e marcar 2 sets a 0, mas jogou na mão do rival. Ali mudava a história de Roger Federer no torneio parisiense em 2014.

Diferente do ano anterior, a apatia ficou por alguns games, conseguiu se recuperar, mas o equívoco pesou no fim. Com 2 sets a 0 a confiança dele e do adversária seria outra e certamente ele estaria lutando por uma vaga nas quartas de final.

Quando se fala que muitos jogos são decididos em poucos pontos, mesmo que terminem no 5º set, ao exemplo foi dado hoje. Federer falhou e foi punido.

Quem foi punido foi torcedor que pagou ingresso para ver Tsonga na Philippe Chatrier. Quem aprecia o bom tênis se apreciou com a bela atuação de Novak Djokovic e se frustrou com a displicência, nervosismo e falta de gana do francês. É aquela coisa, o sérvio jogou muito tênis, mas também não foi exigido, não foi pressionado. Teve a vida facilitada. Mesmo assim, digo e repito, será difícil alguém pará-lo neste torneio. Tudo conspira a seu favor.

Curtinhas:

Brasil começa com duas vitórias no juvenil de Roland Garros. Orlando Luz e Luisa Stefani avançaram. Rafael Matos e Letícia Vidal perderam. Marcelo Zormann, que treinou com Djokovic hoje, e João Menezes, estreiam amanhã

Bruno Soares nas quartas de duplas mistas com a cazaque Yaroslava Shvedova.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo