Nadal preocupa. Federer e Djoko testados



Ele tirou a camisa e apareceu o tapping (espécie de fita para aliviar dores) nas costas. Com uma estranha queda de rendimento a partir do segundo set e um saque notoriamente mais fraco, a imprensa em Paris não poderia deixar escapar o que tinha ocorrido na entrevista coletiva e Rafael Nadal confessou que as dores voltaram. Aquelas que apareceram na final do Australian Open e vieram em semanas como o Rio Open e Indian Wells.

“Senti um pouco de dor nas costas, então não forcei tanto no saque. Desde a segunda rodada já não saquei bem. Tive problemas na Austrália, na minha carreira. Espero que desta vez tudo dê certo”.

Ter um saque mais fraco para partidas contra tenistas de mais baixo calibre ou inexperiente não influenciaria, como de fato não ocorreu. O problema tende a se acentuar a partir das quartas de final. Dificilmente não teremos um Nadal x Ferrer e a devolução de David, que já é uma das melhores do circuito, vai, sem dúvida alguma, causar estragos se o número 1 permanecer com problemas e apesar colocar o primeiro saque.

Se o cenário de Nadal em Paris parecia bonito com duas ótimas atuações nas primeiras rodadas, a preocupação de seu torcedor cresce e ao mesmo tempo a expectativa e favoritismo em cima de Novak Djokovic aumentam.

Federer e Djokovic tiveram o primeiro susto do torneio na sexta-feira e escaparam bem e tendem a ter outros duros jogos neste domingo. Tsonga, apesar de não estar com aquela confiança de um ano e meio, dois anos atrás, se motiva e cresce com a torcida. Há dois anos o francês teve match-point para eliminar o sérvio na mesma Philippe Chatrier em um jogo espetacular. O suíço precisa abrir o olho contra Ernests Gulbis em um jogo com promessa de muitos winners e jogadas plásticas.

Choradeira ? Segue a reclamação constante de Rafael Nadal com os árbitros mais rígidos com o tempo de demora para o saque. Tomou uma advertência num break contra e pediu o teste relógio grande em quadra para os tenistas se adequarem à regra. Logo ele que reclama tanto que a regra do tempo só piora o espetáculo ? Para que não sabe, tem sido muito discutido nas reuniões do Conselho de Jogadores da ATP o tal relógio em quadra.  Nada de concreto por enquanto.

Brasil eliminado – Se até quinta-feira tínhamos 100% de aproveitamento, dois dias depois todos os nossos jogadores, exceto nas mistas, estão eliminados. Teliana poderia ter jogado melhor, mas fez muito ao quebrar a barreira dos 25 anos sem vitórias do tênis nacional em Grand Slams.

Thomaz Bellucci segue jogando em altos e baixos e notoriamente não estava confiante para encarar Fabio Fognini. Tem sido assim em boa parte do ano, bons e maus jogos, problemas físicos, muita inconstância. Não dá confiança no torcedor de que vá deslanchar e alcançar o que esperavamos no início de sua carreira.



  • esse ano acredito que o djokovic vai quebrar essa barreira de vencer roland garros, e sinceramente não acredito que seja por causa de qualquer lesão do Nadal,pois o cara sempre coloca a culpa de derrotas nas lesões que o cercam,como se os adversários não tivessem valor algum.se o federer chegar as semifinais pode ganhar força na briga pelo título,mas sinceramente esse ano deve dar o djoko.

  • Marta

    O que me preocupa é este post! Sinceramente, acho que você detesta o Rafael Nadal. Observe, que Federer e Djokovic ganharam com dificuldades.

  • artur

    Pra mim essa frase é letal para o desenvolvimento do tênis brasileiro:

    “Teliana poderia ter jogado melhor, mas fez muito ao quebrar a barreira dos 25 anos sem vitórias do tênis nacional em Grand Slams.”

    O tempo (25 anos) pode dá até uma sensação de relevância para o “feito”, mas ganhar uma partida em RG e depois perder facilmente na segunda rodada não diz nada mais do que: O TÊNIS FEMININO BRASILEIRO É TÃO INEXPRESSIVO NO CIRCUITO QUANTO A LIGA DE FUTEBOL AMERICANO BRASILEIRA É IRRELEVANTE PARA OS AMERICANOS.

    O resultado do Brasil em geral foi pífio, ridículo, inexpressivo. A imprensa tem que começar a usar os adjetivos corretos.

    • Fabrizio Gallas

      Artur, Para quem não tinha nada, ter uma jogadora em Grand Slam, vencendo mesmo que uma partida, e ganhando mídia, é para ser comemorado, óbvio que nem tão comemorado como se faz por aí, mas é muito bom para nosso tênis.

  • jonas

    Fabrizio sempre querendo tirar a pressão do Nadal nos posts para no fim coloca: “e mais uma vez o touro ressurgiu!!”. Ta ficando batido já.

    Nadal é o favorito e ponto final.

  • Maurício Luís

    Duvide-o-dó que o Nadal vá muito mais longe do que isto com estas dores nas costas. Pra ganhar Roland Garros ou qualquer outro Grand Slam, tem que estar 100%. Do contrário, neca de título. E esse negócio de tomar analgésicos tem limite. Todo remédio alopático tem efeitos colaterais. Enfim, é o preço que ele paga por abusar do físico, não deixando tempo suficiente para o corpo se recuperar.
    Não sei se isto que ele faz – insistir em continuar jogando com dores – é espírito competitivo ou ganância por dinheiro.
    Não estou aqui pra julgá-lo, isto é apenas uma constatação.

MaisRecentes

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo

Quanto Nadal está disposto a arriscar por Londres ?



Continue Lendo

Quem é o melhor do ano ? Federer ou Nadal ?



Continue Lendo