Wawrinka chegou. E mais um revés para Djokovic no saibro ?



Stanislas Wawrinka provou em Monte Carlo que o ocorrido no Australian Open não foi um golpe de sorte, uma semana inspirada, e superou sua última barreira para aqueles que duvidavam de sua capacidade. Derrotar o amigo e outro algoz, Roger Federer, e logo em uma final.

Sim, o retrospecto era de 13 a 1 e Federer vem jogando seu melhor tênis neste ano. Sendo assim, a vitória de Stan mostra que ele chegou não só para incomodar, mas sim para se fixar entre os melhores do mundo. E basta lembrar que na semifinal ele deu um 6/1 em David Ferrer que vinha de vitória sobre Rafael Nadal.

Arriscar que Wawrinka dominará o circuito é leviano. Como mencionei anteriormente, a tendência é que este ano siga como está, disputado, com forças divididas, cada um vencendo uma vez e alguns cachorrões caindo mais cedo do que se imagina. E isso é ótimo para o tênis, para o público e mídia. O ranking do ano fala por si só, com a diferença do primeiro para o quarto (Nadal para Wawrinka), inferior aos 800 pontos.

E Djokovic passará por exames para saber se a lesão no punho se agravou e ficará sem tocar na raquete por tempo indeterminado. Mais um problema na temporada de saibro para o sérvio que ano passado lesionou o tornozelo durante Monte Carlo. Sim, ele ganhou o torneio, mas acusou o golpe em Madri e roma na sequência. Justo agora quando vinha jogando com mais confiança e com chances maiores dada a queda de Nadal.

Resta saber a gravidade da lesão. Ficar dez dias sem treinar já irá comprometer parte da temporada do saibro e sua preparação para Roland Garros que é seu objetivo. Apesar de perder pontos na briga com Nadal pelo ranking, ainda tem uma boa chance de se tornar o número 1. O espanhol defende 4500 pontos contra pouco mais de 900 seus.

O time do Brasil da Fed Cup lutou, fez um ótimo papel, mas pecou pela falta de experiência. Não começamos bem a série contra a Suíça. Teliana Pereira decepcionou no primeiro dia, se pressionou demais e pagou com erros e derrota em jogo chave. Se recuperou com brilhante atuação no domingo, mas infelizmente era tarde. Paula Gonçalves mostrou um excelente potencial, belos golpes e um jogo moderno, mas precisa de maior consistência. Tem tênis para estar entre as 100 melhores em breve.

Um duelo de aprendizado para que no ano que vem consigamos a sonhada vaga no Grupo Mundial II e quem sabe com Teliana, Paula, Laura Pigossi, Gabriela Cé acima no ranking e Beatriz Maia recuperando.



  • vandenberg

    Confesso que Wawrinka ainda não me inspira total confiança. Acho que ele não é capaz de vencer Nadal no saibro de Roland Garros. E com a lesão de Djokovic, RG já era, pode dá o trofeu ao Nadal. Apesar do espanhol ter caido em Monte Carlo, o pífio torneio de Barcelona, com um bando de fregues, dará confiança ao espanhol. Talvez não vença madri e roma, mais pelo menos um belisca, e daí pra frente é difícil não vencer em RG. Fiquei decepcionado com a entrevista do Nadal em se considerar o cara que mais perdeu oportunidade por lesão. Caramba, se tem um jogador que estava voando, e perdeu as maiores oportunidades na carreira, esse foi o Del Potro. Fala sério Nadal. Você abandonou alguns torneios e ficou meio ano parado, e o Del Potro? Voando em 2009 e de repente sofreu uma lesao no punho que até hoje o persegue. Entrevista infeliz do Nadal.

    FABRIZIO, o que acha da entrevista do Nadal? E quanto aos candidatos que podem para-lo em RG. Pra mim só poderia ser o Djokovic (Voltando o mais rapido possivel); Tsonga (Se jogar 3 sets como jogou o primeiro contra Federer); Gubis (Se colocasse a cabeça no lugar); Wawrinka (Se tiver cabeça); Ferrer (Se o jogo for antes da semifinal). Qual sua opinião?

    • Antonildo S Costa

      ô Vandenberg, eu não sei se tu reparou, acredito que não, e se essa é mesma sua opinião, ou Você é nadalista de carterinha ou você não vem acompanhando a temporada de 2014, deixar o Federer fora dessa sua lista de possíveis adversários do Nadal em RG, você ta de brincadeira, só pode, e te digo mais, nadal naõ vai ganhar o atp 500 de Barcelona, valeu!!!!

    • Antonildo S Costa

      Ô Vandenberg, chegou mais pra um tua lista “El pequenino Nícolas Almagro”, negócio tá feio.

  • Lourenço Almeida Prado

    Creio que o Wawrinka tenha chegado para ficar. Precisamos lembrar da sua evolução mental desde o Australian Open de 2013, aonde ele teve um jogo épico contra o Djoko de 5 sets. Depois teve outro grande jogo contra o Djoko no US Open 2013, também de 5 sets. Em que pese ele ter perdido aqueles dois jogos, a confiança dele começou a aumentar em um processo mental que desdobrou na conquista do caneco do Australian nesse ano. A maré esta boa para ele, Nadal perdendo aquela intensidade de 2013, Federer se preparando para uma nova paternidade, que segundo Ele, será prioridade número um em 2014, e Djoko nessa incerteza nebulosa do seu punho. Arrisco a dizer que caso o Djoko se afaste por um período maior do que o anunciado, o Nadal continue a oscilar nos torneios durante o ano, o Wawrinka tem potenciais chances de se tornar o número 1 do mundo, ainda que só por algumas semanas. Aguardemos o desenrolar desta temporada sui-generis.

  • Pires

    Ele falou em relação aos seus rivais diretos (federer, djokovic e murray). Óbvio que se alguém mencionasse o Del Potro, Rafa concordaria q este sim perdeu mais oportunidades

  • Willian

    Creio que os únicos atletas em reais condições de derrotar Nadal no saibro de RG em 2014 seriam Djokovic e Wawrinka. Infelizmente, o suíço não consegue manter boa consistência por muito tempo, alternando atuações impecáveis com verdadeiros fiascos. Quanto a David Ferrer, acho difícil superar um Nadal concentrado e mais motivado como será em RG.
    A maior expectativa seria mesmo em relação ao Djokovic. Vale lembrar que na final de 2012 a chuva salvou Nadal !!! Djokovic havia ganho 8 games seguidos e fatalmente viraria o jogo, pois Nadal já se encontrava batido em termos físicos e táticos. Na retomada do jogo, no dia seguinte, Rafa conseguiu se recuperar. Uma pena, pois o sérvio já vem merecendo esse grand slam há algum tempo.
    Torço para que não ocorra com Djoko o mesmo que ocorreu na carreira de Ivan Lendl, que apesar de ser um dos maiores de todos os tempos, jamais venceu no saibro de Paris!!

  • Dennys

    Concordo com Vandenberg. Na minha opinião, apesar de ter ganho o ATP de Monte Carlo, Wawrinka ainda é muito instável. Basta ver seu desempenho nos ATPs que sucederam após ter ganho o Austrália Open. Ele tá lembrando o Murray de 2012/2013, ex-top 5 e quase indo para o top 20, que dava shown em certos momentos, mas perdia para top 50 de vez enquanto. Enfim, se Djokovic não tivesse se lesionado seria mais um caneco, pois em boas condições, é muito difícil derrotá-lo. Quanto a Nadal, eu acredito que vai cair bastante neste semestre, como profetizou Guga, pois ninguém mais ter medo de enfrentá-lo, até o velho soldado Ferrer, depois de 10 anos o derrotou. Ele tá cada dia mais pesado e lento, e não consegue mais voar feito grilo no saibro. Tá se acabando o gás da juventude. É o início do fim do baloeiro que sempre foi apenas um jogador forte e rápido, mas sem a técnica dos grandes. O atual Federer continua disperso na quadra e sonhando com a prole mais nova, vai voar para Suiça assim que enfrentar um top 30 inspirado.

    • Antonildo S Costa

      Ô Dennys, te decide ou tu concorda com Vandenberg ou com o Guga, pois os mesmos tem opiniões diferentes

      • Dennys

        ô Antonildo, poste aí a tua opinião sobre assunto ou tu só sabe criticar? Repare que Vandenberg começou enaltecendo Nadal e depois amenizou, seguindo a mesma opinião de Guga.

        • Antonildo S Costa

          Ô Dennys não precisa ficar irritado não parceiro, já que tu quer mesmo saber a minha opinião, vamos lá: eu acho que esse ano o Nadal não vence RG e não conseguirá defender 50% dos pontos no saibro, e pra vc Dennys vai mais um lembrete, não se impressione se no final do ano o Nadal estiver figurando o 3º ou 4º lugar no ranking, valeu parceiro!!!

  • Bruno Ramalho

    Esse ano vai ser um ano muito equilibrado, pois houve uma aproximação muito grande dos tenistas em relação a nadal e djoco.

  • Waldeir

    Apenas uma opinião!
    É fácil concordar com algumas coisas,como também discordar.
    Quando se fala em tenis, para aqueles que conhecem a modalidade, logo vão se lembrar de nomes que foram ícones deste esporte Lendell,Borg,Connors,McEnroe,Boris Becker,Mats Wilander,Sampras,
    Agassi,Navratilova,Cris Evert,Steffi Graf,Monica Seles entre muitos outros.Para nós Brasileiros até aqueles que não acompanham o tenis é facil lembrar do Guga,como era bom vê-lo ele em quadra não é verdade? Todos esses citados e mais alguns,vão ser lembrados na História como alguns dos melhores tenistas de todos os tempos.
    Hoje Federer já é considerado o melhor de todos os tempos,e os números estão a favor do maestro.À mais ou menos quinze anos atrás falavam em Sampras como melhor (o rei do saque e voleio)alguém discorda?
    Mas o Esporte é assim,vão surgindo os quebradores de recorde e as opiniões vão se dividindo,sempre vão ter aqueles que tem preferências,por alguns atletas, gostam de um e não gostam de outros,e isso é coisa de torcedor.
    Analisando como esportista e conhecedor da modalidade,não da pra concordar que Rafael Nadal,é apenas um tenista de força e velocidade.Mesmo se estivéssemos falando de atletismo,só força e velocidade não bastaria se não tivesse técnica.
    Então é difícil entender como um atleta Campeão Olímpico,vencedor de vários Grand Slans em todas as superfícies entre outros muitos títulos disputados contra os melhores atletas de uma época,entre eles o melhor de todos os tempos poderia vencer apenas com força e velocidade.
    Rafael Nadal tem força,rapidez e uma técnica peculiar.
    Roger Federer tem uma técnica tão apurada que supera as suas outras virtudes como esportista,e que não analisamos.
    Novak djocovic é forte,rápido,ágil,técnico com muita resistência física.
    É este conjunto de virtudes que fazem deles,Grandes Campeões! Mas não seriam, se não tivessem a técnica.
    Boa semana a todos.

  • JOAO G FILHO

    Ontem confirmei o que já suspeitava, Está surgindo mais um ” carne de pescoço ” para os tops do tênis. Já tinha visto o Austríaco Thiem em duas ocasiões e ele me impressionou bastante, não só pela sua juventude mas, principalmente, pela convicção de seus golpes. Hoje, pelo máster de Madri, este garoto, simplesmente, eliminou nada mais nada menos que o jogador do ano Wawrinka. Tive o privilégio de ver, ao mesmo tempo, as duas esquerdas mais bonitas do circuito. Se tivesse dez dólares apostaria que ele chega a top 10 ainda este ano. Eu ganharia a aposta.

    • Calma João, concordo que o austríaco é um bom tenista, já são sete qualis que ele consegue passar só nesse ano, mas não acredito em tal feito, apesar de ter uma ótima esquerda, Thiem não conseguirá chegar se quer no top 20, se ele terminar esse ano no top 30, já vai tá no lucro, e digo mais, eu aposto 20 dólares contra 10 teu que o austríaco não chega esse ano no top 10, falou!

MaisRecentes

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo

Quanto Nadal está disposto a arriscar por Londres ?



Continue Lendo

Quem é o melhor do ano ? Federer ou Nadal ?



Continue Lendo