Brasil x Espanha – Que cidade e piso para receber Nadal e Ferrer aqui ?



O sorteio foi o pior dos piores para o Brasil. Mesmo jogando em casa. A Espanha é a equipe mais forte e homogênea da Copa Davis. Tudo bem, eles não avançam no Grupo Mundial desde o ano passado, mas só estão onde estão porque Rafael Nadal e David Ferrer optaram por ficar de fora.

No ano passado Nadal não esteve na primeira rodada e foi resgatar a equipe contra a Ucrânia. O duelo foi em casa e no piso lento, propício para Rafa, mas vejo como bem provável sua vinda para cá. Um dos motivos é que estará jogando o US Open na semana anterior e a distância para o Brasil é similar a de Nova York para a Europa.

Obviamente que a convocação é feita 10 dias antes do confronto, mas o local precisa ser definido meses antes. Sendo assim o capitão e Confederação tem que escolher pensando no que virá de melhor do outro lado. Qual seria então, caro leitor, a melhor opção do Brasil para receber a Espanha de Nadal ?

Já descarto de cara um saibro bem lento e um local úmido. Razões bem óbvias. Melhores condições possíveis para Nadal e as piores para Thomaz Bellucci vide o que vem ocorrendo em 2014.

E aí ? Escolhemos um piso rápido ? É possível. Um saibro em uma cidade com altitude e com bola rápida é uma boa opção e uma das que Thomaz melhor joga. Até o saibro coberto seria uma boa opção. Um piso duro não tão veloz seria mais adequado aos nossos jogadores, um piso duro muito veloz (coberto) já tira a possibilidade de uma boa apresentação dos nossos tenistas independente se tira um pouco a capacidade de Nadal, Ferrer e cia.

Sobre os locais do duelo. São Paulo com o Ginásio do Ibirapuera ao meu ver seria uma boa ideia. Cidade grande e um local grande para um confronto que é enorme e que deveria ser para mais de 10 mil pessoas. São José do Rio Preto seria outra, só que precisaria se construir um local com capacidade maior do que foi construída para os últimos confrontos. E lá novamente os jogos ao fim do dia para evitar o excesso de calor para nosso número 1.

Curtinhas:

A Sérvia terá que viajar para a Índia. Viagem bem longa pra quem vem dos Estados Unidos com grande chance de um confronto na grama. Tenho minhas dúvidas se Djokovic irá. Vai somente se Tipsarevic não estiver jogando bem e faltar opção.

A Argentina não terá vida fácil em Israel não. A equipe israelense é mediana, mas experiente, com uma ótima dupla e um jogador acostumado ao circuito e a competição, Dudi Sela, e o time argentino perdeu muito em qualidade sem Juan Del Potro e David Nalbandian.

O Canadá precisa ficar atento ao ascendente time colombiano que agora tem uma dupla de respeito. A equipe deve escolher um piso duro e coberto bem veloz para Milos Raonic que precisa estar no seu melhor para fazer a diferença, mas o resto dos jogos são favoráveis ao time visitante.

Os Estados Unidos tem bom favoritismo contra a Eslováquia. Croácia e Holanda tem tudo para ser bem equilibrado. A Austrália tem favoritismo em casa contra o Uzbequistão. Ucrânia e Bélgica é outro confronto bem duro.

Entre hoje e amanhã sai a equipe brasileira da Fed Cup. Com Bia Maia viajando para duas semanas nos Estados Unidos e ainda sem vitórias em cinco torneios, o time deve ser o mesmo para encarar a Suíça em Catanduva (SP). Teliana Pereira, Paula Gonçalves, Laura Pigossi e Gabriela Cé. A notícia ruim é que Belinda Bencic acabou de fazer uma semi em Charleston em um saibro verde e rápido e passou Teliana no ranking. A menina vem confiante.



  • Rubens

    Pode ser em qualquer piso. Vai apanhar do mesmo jeito. Com Belucci (morto-vivo), não vai chegar a lugar nenhum!!

  • Paulo Filho

    Os únicos brasileiros que jogam bem no piso duro são os duplistas, por isso eu descartaria esse piso. Tudo bem que jogar no saibro é suicídio, mas a Espanha é favorita em qualquer circunstância, então eu acho que temos que jogar onde os nossos jogadores são melhores, independente do adversário. Rio Preto é a pedida mais racional, pois o Brasil se dá muito bem lá e se eu não me engano nunca sofreu uma eliminação nessa cidade. O Ibirapuera é horrível para o tênis pq ninguém joga bem no saibro coberto, e o Nadal já foi campeão ali, então esquece.

    Para o Brasil vencer, tem que jogar todas as fichas em cima do segundo jogador da Espanha, pq o Nadal nunca perdeu uma partida de Davis e não acho que vá perder agora, e a nossa dupla tem que se virar pra vencer, pq provavelmente a Espanha virá com o Marc López e o Marcel Granollers, que são excelentes nessa modalidade.

    O Brasil tem chance de no máximo 20% de vencer, mas tem que acreditar.

  • Filho do federer

    Quando deve ser anunciado o local e piso do confronto?? Davis em porto alegre de 2009 foi epica!

  • vandenberg

    Só tinha uma opção do Brasil vencer esse confronto: Ser na grama (Acho que o único lugar do mundo onde Nadal não é um monstro e o Ferrer nunca foi grande coisa nesse piso) Agora, é claro que o Belucci teria que jogar muito e vencer o Ferrer e o Nadal. Por que eu digo a grama? Por que em qualquer outro piso, mesmo que o Belucci jogue muito, não vencerá o Nadal. E o numero 2 do Brasil não vence ferrer em quadra nenhuma, sejamos realista. Logo, como no Brasil não tem grama (só grama pra burro comer) então Brasil de volta ao Zonal ano que vem. A não ser que Nadal e Ferrer não venha. E mesmo assim, RObredo, almagro, Verdasco, Lopez, podem resolver.

  • Boris

    Não temos estrutura para sediar um evento decente de tenis, é sempre tudo feio e improvisado.
    E não temos nenhum tenista que preste.
    A vergonha será menor se o Brasil desistir ou dar WO.
    Espanha 4 X 1 Brasil, fato!
    Antes que alguém pergunte, eu entendo de tenis e não de mega-sena.

  • Aimar Matarazzo Ribeiro

    Ola Fabrizio fui presidente do Harmonia Tenis Clube e o responsavel por trazer as Davis contra a Colombia e Russia ,concordo com vc em 100% ,tb acho que São Paulo e Rio Preto seria otimas opçoes ,em Rio Preto temos um ginasio de 7500 pessoas ,seria um boa né ,eu como vice presidente da FPT vou tentar junto com o Presidente Balieiro viabilizar esta Davis no Estado de SP ,abraços

  • Frabrízio, Convocar o Orlando sera pedir demais? Os outros não tem chances contra Nadal e Ferrer, seria para dar experiencia pro Orlando. Convocaria Thomaz, Orlando, Bruno e Marcelo.

    • Fabrizio Gallas

      Walter,

      Por enquanto seria pedir demais sim. Se o garoto conseguir um bom salto no profissional até setembro, quem sabe ? Mas no momento é muito cedo pra ele…

  • Leonardo

    O Thomaz troca de técnico todo ano, e ele sempre escolhe um saibrista, no piso duro tá feio pra ele, ainda mais em 5 sets, ele não tá aguentando nem 3. É 100% certo que o Nadal fará os dois pontos. Na dupla fazemos um, depois e a única chance é o Thomaz e o Rogerinho vencerem o Ferrer. kkkkkkkk…. já era. é melhor pensar no Equador ou no Uruguai pra 2015.

  • MAURICIO ANDRADE

    Não vejo melhores opções que Rio Preto e Ibirapuera. A questão importante é saber se Nadal vem ou não. Se vier, vai de Ibirapuera, caso contrário, o interior põe mais pressão.

  • bruno

    Belo Horizonte seria uma boa, um pouco mais alto que o Sp.
    Porém seria dificil pelas atuais condiçoes do Mineirinho. Mas 18 mil pessoas apoiando o Brasil poderia fazer diferença

    • Fabrizio Gallas

      É uma boa cidade, mas deu muito problema naquela Copa Davis de 2006, tanto na quadra onde tacaram fogo por conta das chuvas e problemas financeiros.

  • Creo que la mejor opción para el equipo brasileño, es la pista pista cubierta de superficie de velocidad media. Es probable que Rafa y Ferru estén en las últimas rondas en NY y tendrán más dificultades para adaptarse, si se encuentran en una pista no tan rápida como en la del US Open, ni tan lenta como la arcilla. y en una ciudad de altura. Con un público muy ruidoso encima. Jugar Copa Davis de local, da un plus, y de eso debe aprovecharse; por eso pienso que lo principal es pensar en si mismo y no tanto en el rival. Un ejemplo de lo que digo es el “marplatazo” de 2008, donde los argentinos pensaron más en Nadal (que al final no jugó), que en su propio equipo. Y de aquellos polvos, es posible que hayan venido estos lodos para La Argentina en CD.

MaisRecentes

Laver Cup faz história e dá um tapa na cara da Davis. E Bia Maia muda seu patamar no circuito



Continue Lendo

Nadal no Olimpo



Continue Lendo

O enorme coração de Del Potro



Continue Lendo