Campeão do 1º trimestre, Djokovic pode finalmente ganhar Roland Garros ?



A temporada está só começando e neste domingo terminamos o 1º trimestre que consolidou o melhor tenista dessa primeira parte das mais disputadas dos últimos anos. Há pouco tempo Novak Djokovic era o quarto colocado no ranking do ano e com o troféu pula para 2690 pontos contra 2600 de Rafael Nadal, o novo vice-líder. Os dois deixam Stanislas Wawrinka (2470) e Roger Federer (2190) para trás. Só mostra o quão equilibrada foi essa primeira parte da temporada.

As duas conquistas do sérvio no ano vieram justo sem o novo contratado Boris Becker do seu lado e sim o técnico de longa data, Marian Vajda. Fato curioso.

Outro dado interessante. Djokovic se tornou o segundo a conquistar Miami e Indian Wells na sequência por duas vezes (2014 e 2011) repetindo o sucesso de Federer em 2005 e 2006. Para os supersticiosos, os dois quando obtiveram tais feitos terminaram o ano como o número 1.

Como já pontuado em outros posts, Djokovic dá mais um passinho para recuperar a liderança do ranking de entradas. Ele diminui de 2230 para 1920 pontos a diferença tendo 1910 a defender em toda a temporada de saibro contra mais de 5 mil de Nadal.

Sobre a final de hoje. Djokovic jogou um tênis de altíssimo nível, errou muito pouco e só deu uma chancezinha para Nadal, logo no primeiro game. Nadal poderia ter jogado melhor, principalmente nos games de devolução onde cometeu muitos erros sobretudo no segundo set. Com um set a frente, quebra logo no começo e um rival devolvendo mal, tudo conspirou para que Nole dominasse Nadal. O espanhol não colocou nenhuma pulguinha na orelha de Nole que sobrou e brilhou.

Agora a grande questão é. Pode Djokovic brilhar no saibro ? O título em Miami deve trazer a confiança para buscar seu maior objetivo da carreira – derrotar Rafael Nadal e ganhar Roland Garros. No ano passado ele venceu Monte Carlo sobre o espanhol em condições semelhantes e por pouco não o derrotou em Paris após ter 4/2 no 5º set, caindo com 9/7.

Cada torneio é diferente do outro, mas o sérvio chegará embalado e colocando aquelas mesmas dúvidas de 2011 na cabeça do espanhol. Afinal, esta já é sua terceira vitória seguida sobre Rafa.

Curtinhas:

Não posso deixar de comentar a fase do juvenil Orlando Luz. Campeão do Banana Bowl e hoje vencedor da Copa Gerdau que hoje mudou para um nome enorme e pouco prático por conta da Lei de Incentivo ao Esporte. Orlandinho é mais uma cria de Larri Passos e se tornará número 3 do mundo juvenil nos próximos dias. A Gerdau foi um torneio um pouco mais forte que o Banana e o brasileiro aguentou fisicamente uma série para três títulos e 16 vitórias seguidas (ganhou também um importante torneio no Paraguai).

Agora o desafio do gaúcho de Carazinho de apenas 16 anos é ir bem nos Grand Slams onde o nível sobe. Mas independente disso, vi muita qualidade no jogador que joga um tênis moderno, agressivo com bons golpes na direita e esquerda e que tem personalidade . É mais uma jóia que precisa ser bem lapidada daqui por diante já que o mundo do profissional é mais exigente do que o dos juniores.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo