Sem semis pela 1ª vez na história. Nadal x Djokovic



Na semana em que se comemora os 10 anos da maior rivalidade atual e uma das maiores de todos os tempos, Roger Federer x Rafael Nadal, teremos uma final a principal concorrente, Nadal x Djokovic. E uma final ao modo peculiar, ou melhor, bizarro.

Pela primeira vez na história da Era Aberta (tênis profissional a partir de 1969) um mesmo torneio ATP tem jogos finalizados por WO em suas semifinais. Isso mesmo, desistências nas duas semis. Kei Nishikori abriu mão por uma lesão na perna esquerda e Tomas Berdych com uma gastroenterite.

Triste para o torcedor que comprou ingresso esse dia e principalmente para Roger Federer que sacou em 6/3 4/3 para derrotar o japonês e perdeu nos detalhes. Nem tanto para Dolgopolov que perdeu em sets diretos.

Mais curioso é que Djokovic chega na final tendo disputado apenas três dos cinco jogos que deveria fazer. Nas oitavas o alemão Florian Mayer alegou um problema físico e não entrou em quadra.

Nadal, na última coletiva, deu uma demonstração que está bastante preocupado com sua situação no ranking. Ele deu esta declaração após vencer as quartas contra Raonic: “Fazer semis aqui após perder cedo em Indian Wells é importante pra minha confiança e marco bom número de pontos aqui também. Agora até o fim de Roland Garros é uma parte importante do ano pra mim. A diferença das quartas pra semi é grande e amanhã terei mais uma chance de jogar melhor”.

Com a vaga na decisão ele embolsa 600 pontinhos e fica com pouco menos de 2 mil de vantagem para Djokovic caso o natural de Belgrado leve o caneco. Se ganhar, Nadal ficaria com pouco mais de 2,3 mil. Cada ponto marcado é importante nessa briga, principalmente para Rafa que defende 5100 até o fim de Roland Garros contra somente 1910 pelo sérvio.

Sobre favoritos para esse jogo, não me arrisco. Ambos vêm atuando bem. É uma questão de quem aproveitar melhor as oportunidades. E as táticas de um contra o outro são claras. Um jogo de gato e rápido. Djokovic tentando pegar cedo na bola, explorando o backhand de Nadal e o espanhol tentando jogar agressivo, com bolas profundas, com o revés longo e saque firme para não sofrer com as devoluções de Djokovic.

E também fica aquela história. Quem vencer sai com aquela confiança para o saibro.

Curtinhas:

Será o 40º jogo entre os dois e a 20ª final. Djokovic lidera as finais em 10 a 9 e Nadal o geral em 22 a 17. Nadal nunca venceu Miami, terá a quarta oportunidade. Djokovic tenta o tetra. Venceu em 2007, 2011 e 2012.



  • Marcelo-Jacity

    Gallas, já imaginava que este fato curioso e triste para o tênis masculino fosse inédito.

    Os torcedores serão reembolsados? Fico imaginando os brasileiros que compraram pacote para acompanhar os jogos…

  • O problema poderia ser resolvido com o mesmo critério do lucky loser no qualifying. Se os vencedores desistissem, os perdedores voltariam ao torneio nas semifinais. Bom para o espetáculo, púbico que pagou ingresso, patrocinadores e cobertura de TV. Hoje teríamos Federer X Djoko e Nadal X Dolgo. O show deveria continuar. Quem apoiar a ideia pode encaminhar à ATP para análise. Saudações tenísticas!

  • Marta

    Moçada sinto muito, mas o Rafa vai levar a final! Tá jogando muito!!! Sobra!!! O Djokovick ficou só claudicando. Aquele joguinho de paredão, bate/rebate do Djokovick, este nunca terá os números ou será igual ao Rafa.

    • Neto

      Ou não…

    • Mário Fagundes

      Hum hum… E que aula o baloeiro tomou hoje, hein?!

    • Marcos

      Tá sabendo legal, hein!!!

      • Rodrigo Alvez

        CHUPA!!!!!!!

MaisRecentes

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo

Quanto Nadal está disposto a arriscar por Londres ?



Continue Lendo

Quem é o melhor do ano ? Federer ou Nadal ?



Continue Lendo