Nadal mantém carma. Djokovic com caminho livre



Rafael Nadal eliminado no Masters 1000 de Indian Wells. Surpresa ? Nem tanto para como vinha jogando. Na verdade desde o Rio Open que o espanhol jogou bem apenas em uma partida e meia podemos dizer. Escapou da derrota na estreia na Califórnia e hoje não resistiu a Aleksandr Dolgopolov.

Não tirando os méritos do ucraniano, que jogou um belo e agressivo tênis minimizando as viajadas que costuma dar, mas Rafa cometeu excessivos erros no início da partida e perdeu o saque com frequência. Está jogando um tênis sem consistência.

Dado curioso. Você sabia que Nadal tem um carma em qualquer piso que não seja o saibro ? Ele NUNCA, é isso mesmo, NUNCA defendeu um título no piso rápido ou na grama. Defender o título, para quem não conhece muito a expressão, é repetir as conquista no ano seguinte. São 16 canecos no piso rápido e outros três na grama dentre as 62 conquistas do espanhol que mantém a escrita negativa em Indian Wells.

Sendo assim ele levará 955 pontos a menos na tabela da próxima segunda-feira. Se Novak Djokovic vencer o torneio, ficará com desvantagem perto de 2.100 pontos. Atualmente a vantagem de Rafa era de quase 4 mil.

O sérvio, que não teve uma estreia tão empolgante assim, tem uma chave mais branda que os rivais da parte de cima. Para completar, Tomas Berdych e Jo Tsonga já foram embora. Mesmo assim, se não manter o nível da rodada inicial, é bom abrir o olho.

Uma constatação. O sucesso de nomes como Wawrinka, que jogou muito hoje novamente e venceu todos os 14 jogos do ano, e algumas surpresas na temporada como Fognini, Dimitrov e agora Dolgopolov, indicam que o feito de Stanislas na Austrália está dando mais crença aos coadjuvantes do tênis. Por enquanto é só o início, mas o tênis pode estar dando mais um passo em sua transição. Observemos os novos capítulos.

Falando em transição, Maria Sharapova ainda não se acertou com o saque e foi surpreendida pela bela Camila Giorgi. A chave feminina vai abrindo caminho para Na Li e outras de fora chegarem firme.



MaisRecentes

Zverev tem tudo, mas ainda falta muito. Estranho, não ? 



Continue Lendo

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo