Nadal pisa forte. Federer tem o 1º grande desafio



O recorde de calor – quatro dias seguidos acima dos 40º C -, feito só alcançado há mais de um século no torneio, foi o assunto que dominou a primeira semana. Agora é hora dos jogos esquentarem em Melbourne.

Três sets a zero contundentes de Rafael Nadal sobre um excelente jogador no piso rápido, Gael Monfils. O espanhol passou com sobras no primeiro grande teste no Aberto da Austrália, aquecendo paras as próximas rodadas que prometem ser bem complicadas.

Não acredito que Rafa possa se complicar muito com Kei Nishikori e tampouco vou me arriscar a dizer que sua chave facilitou com a saída de Juan Del Potro pois Roberto Agut vem jogando um grande tênis, sem nada a perder, e igual Grigor Dimitrov é um tenista que costuma o incomodar bastante. Mas de qualquer forma ter um adversário que já lhe bateu algumas vezes em condições similares gera um maior respeito que os demais citados.

Roger Federer está com céu de brigadeiro em sua caminhada na Austrália. Fez três ótimas e confiantes atuações, não perdeu tempo e poupou físico para as tempestades que prometem atravessar seu caminho. Não achei que Tsonga fez lá grande exibições no torneio, mas é um tenista que incomoda e não respeita mais Federer – vide Rolanda Garros do ano passado. Mas ao contrário daquela partida, onde Federer vinha baleado fisicamente (havia precisado de cinco sets para bater Gilles Simon), o natural da Basileia vem se mostrando muito veloz no jogo de pernas e fresco fisicamente, eu diria, preparado para um jogo de cinco sets.
Será o primeiro grande desafio do suíço que acima de tudo não pode sair atrás no marcador para manter sua confiança e minimizar a do rival. Se por um lado Tsonga não vem devolvendo tão bem assim na competição e Federer pode tirar proveito desse aspecto, o francês aproveita a quadra mais veloz para usar bem seu serviço. Roger não pode deixar as prováveis poucas chances escaparem.

Maria Sharapova se enrola a cada partida na Austrália, mas, aos trancos e barrancos, está vencendo e avançando. Seu melhor tênis, com consistência, precisa vir já, caso contrário cairá cedo ou então tende a perder feio para as duas que dominam o circuito atualmente. Ainda há tempo e muito para a musa evoluir na semana.

Olho na menina Bouchard, do Canadá, que tem boas chances de fazer quartas. Ela já vem com uma ótima campanha, sua melhor em Slams, e é um dos nomes que podemestar no top 10 já já. Pra quem não lembra, Bouchard, hoje perto do top 30, venceu Teliana Pereira de virada no quali do ano passado na Austrália. Falando na brasileira, sua algoz, Anastasia Pavlyuchenkova fez 7/5 2/0 sobre a top 5 Radwanska, mas faltou perna, físico. É um bom alento que a brasileira está em um nível para conquistar bons resultados em 2014.

Nas duplas, Soares e Melo estão nas oitavas e fazem campanhas melhores que a do ano passado. Eles têm pedreiras nas oitavas.

Não tenho boas expectativas com nossos juvenis na Austrália, não vem obtendo bons resultados e não tem tanta experiência em torneios grandes. Mesmo assim, sigo na torcida para que possam queimar minha língua.



  • lina

    Olá Fabrizio, tudo bem,
    Gostei de suas explanações, eu também estou com grandes expectativas sobre o próximo confronto do Federer X Tsonga, agora realmente ele será testado. Aliás Fabrizio, tanto o Federer, Murray e Djokovic ainda não foram testados, só pegaram molezinha. Eu já havia comentado antes que o Rafa em tese com a chave mais difícil seria até melhor, porque entraria mais rápido no ritmo. Acredito que será um bom jogo, bastante disputado entre Federer X Tsonga, o próprio Tsonga falou em revanchce, será o terceiro jogo da quadra central, esse não perco.
    Abraços Fabrizio.

MaisRecentes

Nadal no Olimpo



Continue Lendo

O enorme coração de Del Potro



Continue Lendo

Federer, Nadal ou Zverev ? Quem é o favorito ao US Open ?



Continue Lendo