De novo o físico …



O calor é insano. Jogar com 42º C com umidade não é fácil pra ninguém. Mas há aqueles que aguentam e outros que não. O físico deixou Thomaz Bellucci na mão de novo. Pela enésima vez. Desta pronta não foi com 3h, 4h de jogo e sim com 1h30, 1h40. Ele já não aguentava mais, pedia atendimento médico, fazia saque e voleio para encurtar os pontos.

Sim, Thomaz fez uma boa partida no geral, poderia ter vencido o primeiro set e seguiu lutando, buscando alternativas. Não entregou e por pouco não endureceu mais o encontra diante do top 10 Tsonga, mas a sensação que dá é que a cada vez as esperanças se esvaem quando o talentoso tenista brasileiro é exigido nessa parte. Bellucci tem um jogo de nível top 15, top 20, mas o físico não acompanha e o coloca em um patamar bem abaixo.

Para ir bem em Grand Slam, a resistência é fundamental. Está aí um dos motivos pelo qual o brasileiro ainda não passou da quarta rodada de um torneio desse porte.

Fica de alento a sequência de vitórias e o bom tênis apresentado pelo brasileiro diante de um top 10. Mostrou que pode vir com bons resultados para 2014, principalmente em torneios melhor de três sets e sem calor e umidade excessiva. Seguimos acreditando que o novo trabalho no físico do brasileiro iniciado no fim do ano passado traga frutos, mas a cada episódio como o de hoje, o torcedor brasileiro perde as esperanças e os adversários aproveitam.

Curtinhas:

Del Potro mais uma vez ficou no 5º set em um Slam para um jogador que não deveria, em tese, sair derrotado. Ano passado caiu cedo no US Open para Lleyton Hewitt e ara Jeremy Chardy na Austrália e sem uma grande campanha em Roland Garros. Para chegar lá no top 3 é preciso bons resultados nos Majors e o argentino vem pecando neles.



MaisRecentes

Nadal chega em Paris com sobras. Djokovic pode brigar



Continue Lendo

Nadal não será afetado por derrota em Madri. Zverev cresce, mas precisa confirmar em um Slam



Continue Lendo

Triplo 11 de Nadal ?



Continue Lendo