Nadal por R$ 60 ou R$ 90 no Rio de Janeiro. Nada mal…



“Queremos a arena cheia todos os dias, o sucesso do evento é ter a arena cheia”, diz Márcia Casz, organizadora do torneio Rio Open que teve detalhes de ingressos definido nesta terça-feira em coletiva de imprensa.

Os bilhetes variam de R$ 20 até R$ 350 e começam a ser vendidos a partir do dia 13. De acordo com a organização, já começou uma pré-venda para clientes Itaucard e Claro HDTV. Os valores são:

Segunda e Terça-feira:
– Cadeira Lateral diurno: R$ 20, 00
– Cadeira Lateral noturno: R$ 60, 00
– Cadeira Fundo de quadra diurno: R$30,00
– Cadeira Fundo de quadra noturno: R$70,00

Quarta e Quinta-feira:
– Cadeira Lateral diurno: R$ 30, 00
– Cadeira Lateral noturno: R$ 90, 00
– Cadeira Fundo de quadra diurno: R$40,00
– Cadeira Fundo de quadra noturno: R$100,00

Sexta-feira:(sessão única)
– Cadeira Lateral: R$140,00
– Cadeira Fundo de quadra: R$ 170,00

Sábado:(sessão única)
– Cadeira Lateral: R$280,00
– Cadeira Fundo de quadra: R$ 310,00

Domingo:(sessão única)
– Cadeira Lateral: R$320,00
– Cadeira Fundo de quadra: R$350,00

* Meias entradas estarão disponíveis a compra de acordo com os dispositivos da lei federal.

** Idosos acima dos 65 anos e crianças terão direito a gratuidade, também conforme disposto dos Estatutos vigentes.

As sessões diurnas começam às 10h e o último jogo por volta das 15h e as noturnas começam às 16h30. Serão três jogos de destaque para cada sessão.

Fazendo uma breve avaliação, imagino que para ver pelo menos Rafael Nadal, o número 1, jogar uma vez na capital carioca, será preciso desembolsar R$ 60 ou R$ 90 e para ver dois jogos do espanhol entre R$ 150 e R$ 180 (lembrando que o valor é para quem não possui a meia-entrada). Em uma chave de 32 jogadores o tenista estreia na segunda, terça ou na pior das hipóteses na quarta. Pelo próprio preço dos ingressos e a magnitude de um jogador como Nadal, não dá para imaginar que Rafa jogue numa segunda-feira na sessão diurna.

Sendo assim, os preços para ver uma atração como Nadal estão acessíveis. Hoje em dia se paga valor maior que isso para acompanhar shows/grandes eventos nas maiores cidades do país. Sendo assim é de se imaginar que as arquibancadas estarão bem cheias ao longo da competição. Nada mal.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo