Existe a esperança!



Certo que a expectativa para Brasil x Alemanha não é nada animadora quando se vê a fase negra de Thomaz Bellucci. Não dá confiança a nenhum torcedor. Mas é justo nestes momentos ruins, onde ninguém aposta nele e que entra como uma espécie de zebra, é que o brasileiro costuma render melhor.

Copa Davis é um torneio diferente do circuito. O tenista vira um grupo com os colegas dando força e com capitão, que é ex-técnico e conhece bem o Thomaz, que costuma ajudar o brasileiro a extrair seu melhor nas partidas. Tanto na Rússia quanto na segunda partida contra os Estados Unidos, Bellucci entrou em um clima um tanto parecido e correspondeu.

A esperança é que faça o mesmo nesta sexta e que possa acabar com a fase ruim e beliscar ao menos um pontinho para nós. Seu 1º rival, Florian Mayer, é um jogador chato para ele, com variações, idas à rede, mas não é nada daquele tenista regular, que erra pouco, algo que costuma atrapalhar o estilo do brasileiro.

E não descarto Rogerinho não. Sua garra, luta, determinação e confiança após o US Open me levam a crer que há possibilidade ainda mais contra um Kohlschreiber que já admitiu estar muito pressionado. Caso não vença, o paulista tem toda a condição de cansar bastante o rival para um domingo que, na minha opinião, será o dia decisivo nesse confronto. Estou otimista.

A Copa Davis neste final de semana está bem interessante só com a ausência de Federer e Del Potro entre os dez primeiros (a França de Gasquet e Tsonga não joga). Estou curioso para ver as reações de Nadal e Djokovic após nenhum dia de descanso, voo longo, fuso horário e tipo de quadra diferente. Em anos anteriores o sérvio sofreu muito e até se lesionou. Murray pega o número 1 e atual campeão do US Open, Borna Coric. Pode ser interessante.



  • Acho q se o 1º dia terminar empatado temos chance sim de superar a alemanha. pois nas duplas podemos fazer 2 a 1, e botar pressão neles, no ultimo dia tudo pode acontecer, embora o nosso termometro seja o Bellucci se ele conseguir superar o Mayer e Kohlschreiber, com certeza venceremos o confronto, acho q o Rogerinho pode surpreender o Mayer mais contra o Kohlschreiber acho que não dá para o nosso Rogerinho, por isso o 1º dia será fundamental Bellucci precisa a qualquer custo vencer o Mayer. acho q Bellucci vai voltar a jogar seu melhor Tênis este final de semana. vamos Brasil!

  • Maria Helena de Campos

    Eu torço muito pelo Thomaz e acredito que esta fase vai passar. Copa Davis é um torneio que ele gosta muito e que sempre surpreende. É preciso ter esperança. O sonho move e transforma a vida. Eu acredito! Acho que será um bom confronto. Vale muito a pena conferir e torcer. Bjs.

  • mariliense

    Rafael Nadal se já era um fenomeno na quadra de saibro, agora tornou um multicampeão da técnica,habilidade,fisico e mental. Não tem mais ponto fraco no jogo do espanhol em qualquer piso, nunca o mundo do tenis assistiu algo assim dentro desse esporte. Bjorn Borg até então o maior de todos não conseguiu o tão sonhado titulo no US Open. Jimmy Connors foi um grande matador nas quadras rápidas mas no saibro era um verdadeiro desastre. McEnroe e Boris Becker faziam grandes malabarismos nas quadras de grama mas deixaravam a desejar no saibro. Pete Sampras o maior nas quadras rápidas mas fraco demais nos torneios de saibro. E Roger Federer o mais plastico tenista de todos os tempos, só ganhou Roland Garros na ausencia do rei do saibro touro miura e leva pra história o maior vexame no mano a mano contra o seu maior rival, 21×10 por enquanto. Enfim Rafael Nadal, 13 G Slams em todos os pisos contra os grandes rivais de sua geração, 01 medalha olimpica individual, 26 Master 1000 (recorde), 04 Copa Davis, e a maior série de vitórias contra todos os top 10 de sua geração. Isto quer dizer que Nadal sózinho tem mais vitórias somadas contra a soma de vitórias de todos os seus grandes rivais no mano a mano. É um dominio absoluto ,humilhante e constrangedor para os adversarios e torcida rival, que parece estar longe de chegar ao fim . Mas mais do que isso, acredite se quiser ……o cara continua humilde

    • Carlos Renato

      Mariliense,

      Você fala como se as quadras duras fossem “rápidas” como antigamente e que o “touro” não faz um esforço tremendo, mais que qualquer um entre todos os esportes, para estar no nível que está (isto se não usa algo ilícito).

  • Caio

    Esqueceu do grande David Ferrer!

    • Fabrizio Gallas

      Isso, Ferrer tá fora!

  • Paulo Roberto Fernandes de Oliveira

    Enquanto os brasucas se derretem de amores pelo jogador espanhol, o Nadal, assisto pela tv, desencantado, a triste apresentação que Rogerinho e o Thomaz estão tendo na Alemanha, pela Davis. Parece jogo de top ten (eles, lógico) contra garotos do Banana Bowl (nós).
    É absurdo que um país continental, como o nosso, não consiga produzir sequer um único talento que possa nos representar com mais dignidade e como um mínimo de esperança de fazermos um papel menos ridículo, em simples.
    Tudo bem e vá lá que temos dois duplistas de respeito, mas acho que isso é apenas uma consolação e não ameniza em nada a nossa fraqueza e insignificância no contexto mundial do tênis.
    Parece que esse fundo do posso realmente não tem fim, pois tirando os dois que estão em terras germânicas, quem mais restou que pudesse ser escalado para defender o Brasil em um confronto entre nações? Absolutamente ninguém e vejo aí o principal motivo pelo qual, cada vez mais, os brasileiros passem a torcer por tenistas estrangeiros na medida em que o nosso mundinho tenístico tupiniquim segue minguando às moscas…

    • Maurício Luís

      O Brasil é continental sim, assim como continental também é a falta de apoio ao tênis. Guga e Maria Ester Bueno são estrelas solitárias e geniais, que venceram porque tinham enorme talento, e não por causa da eterna péssima estrutura e falta de apoio. Triste, mas é a verdade.

  • Paulo Roberto Fernandes de Oliveira

    Correção: favor ler “fundo do poço” ao invés de “fundo do posso”. Agradecido.

  • Wanda Ribeiro

    Gente, sejamos realistas. O tempo passa, o Bellucci ainda é jovem e acho que está na hora de rever a profissão que deve seguir. Tenista, decididamente, não é. Temos excelentes duplistas, porém no individual, paramos no Guga. Este sim, se não fossem os sérios problemas de contusões que teve, tenho certeza que estaria fazendo bonito nas quadras.

MaisRecentes

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo

Quanto Nadal está disposto a arriscar por Londres ?



Continue Lendo

Quem é o melhor do ano ? Federer ou Nadal ?



Continue Lendo