A hora da verdade para Nadal. Quem termina como o Nº 1 ?



Começou pra valer a temporada de verão na América do Norte e junto com ela se abre a briga pelo número 1 do mundo e a hora da verdade para Rafael Nadal.

O espanhol largou bem no Masters 1000 de Montreal com duas vitórias convincentes e a de hoje difícil contra Jerzy Janowicz. O que é um bom indicador é que pela primeira vez desde o retorno em fevereiro, no Brasil, Rafa joga sem a proteção no joelho e vem afirmando estar com melhores sensações no local. E a possibilidade de fazer semifinal é bem alta com Marinko Matosevic como adversário.

No ranking de entradas, confirmando o favoritismo nesta sexta, Rafa desbancaria David Ferrer e subiria ao terceiro lugar tendo a possibilidade de ser número dois já em Cincinnati.Mas a chance de Nadal desbancar Novak Djokovic e terminar a temporada na ponta é boa. Por enquanto ele é o melhor do ano com 7010 pontos contra 6230 do sérvio. No de entradas, que será o mesmo deste ranking do ano em novembro, Rafa não defende nada e Djokovic terá 5800 pontos a descartar (título do ATP Finals invicto, Xangai, Canadá, Pequim, vice do US Open e vice de Cincinnati).

O 1º capítulo dessa briga pode se dar no sábado com a esperada semifinal contra Rafa. Uma vitória do sérvio lhe dá um primeiro suspiro. O triunfo de Nadal por exemplo já corta essa vantagem em pelo menos 1240 (640 a menos pro sérvio e 600 com a final pro espanhol).

É muito improvável que Nadal por exemplo faça no piso duro o que fez no saibro este ano (venceu seis dos sete torneios jogados), mas se beliscar, por exemplo, um título de Masters, uma semi ou final do US Open e bons resultados no fim da temporada vai somar cerca ou pouco mais de 3 mil pontos, chegando na faixa dos 10 mil, o que obrigaria Djokovic a repetir o fim de ano quase perfeito de 2012.

Murray acabou de sofrer uma derrota que não chega a ser uma grande surpresa pela qualidade de Ernests Gulbis, mas que pelo bom momento não era o esperado. Ele descarta cerca de 3,3 mil até o fim da temporada e além de ter que repetir o US Open precisa ir muito bem no ATP Finals e levar um ou dois Masters contando ainda com uma queda ou outra de Nole.

A briga começou e pode ter um desfecho interessante. Vamos avaliando semana a semana.

Esta semana está sendo disputado o challenger do Rio de Janeiro. Bati um papo com João Zwetsch o qual espera que Thomaz Bellucci chegue pelo menos com algumas vitórias na bagagem pra Davis e relata os prós e contras da disputa pelo Nº 2 de simples do país contra a Alemanha. A decisão só será tomada após o quali do US Open e o texto (ou os textos) sobre a conversa, que inclui assuntos do tênis nacional, CT Olímpico e Guilherme Clezar, serão publicados na próxima semana.

Curtinhas:

Nadal x Matosevic nesta sexta nas quartas. O australiano tropeçou por acidente nas garrifinhas do espanhol em Monte Carlo. Alguém acredita nele ? Eu não. Será que vai ter tropeço de novo ? (risos).

Como UMA CAMPEÃ DE WIMBLEDON leva uma raquete só pra um jogo ? Marion Bartoli fez isso hoje em Toronto. Rompeu a corda e a adversária foi solidária, emprestou a sua para a francesa jogar alguns pontos até que alguém levasse o restante do equipamento. Se não bastasse isso, ainda sentiu dores no abdomên e abandonou no segundo set. Que dia hein ?



MaisRecentes

Nadal chega em Paris com sobras. Djokovic pode brigar



Continue Lendo

Nadal não será afetado por derrota em Madri. Zverev cresce, mas precisa confirmar em um Slam



Continue Lendo

Triplo 11 de Nadal ?



Continue Lendo