A hora da verdade para Nadal. Quem termina como o Nº 1 ?



Começou pra valer a temporada de verão na América do Norte e junto com ela se abre a briga pelo número 1 do mundo e a hora da verdade para Rafael Nadal.

O espanhol largou bem no Masters 1000 de Montreal com duas vitórias convincentes e a de hoje difícil contra Jerzy Janowicz. O que é um bom indicador é que pela primeira vez desde o retorno em fevereiro, no Brasil, Rafa joga sem a proteção no joelho e vem afirmando estar com melhores sensações no local. E a possibilidade de fazer semifinal é bem alta com Marinko Matosevic como adversário.

No ranking de entradas, confirmando o favoritismo nesta sexta, Rafa desbancaria David Ferrer e subiria ao terceiro lugar tendo a possibilidade de ser número dois já em Cincinnati.Mas a chance de Nadal desbancar Novak Djokovic e terminar a temporada na ponta é boa. Por enquanto ele é o melhor do ano com 7010 pontos contra 6230 do sérvio. No de entradas, que será o mesmo deste ranking do ano em novembro, Rafa não defende nada e Djokovic terá 5800 pontos a descartar (título do ATP Finals invicto, Xangai, Canadá, Pequim, vice do US Open e vice de Cincinnati).

O 1º capítulo dessa briga pode se dar no sábado com a esperada semifinal contra Rafa. Uma vitória do sérvio lhe dá um primeiro suspiro. O triunfo de Nadal por exemplo já corta essa vantagem em pelo menos 1240 (640 a menos pro sérvio e 600 com a final pro espanhol).

É muito improvável que Nadal por exemplo faça no piso duro o que fez no saibro este ano (venceu seis dos sete torneios jogados), mas se beliscar, por exemplo, um título de Masters, uma semi ou final do US Open e bons resultados no fim da temporada vai somar cerca ou pouco mais de 3 mil pontos, chegando na faixa dos 10 mil, o que obrigaria Djokovic a repetir o fim de ano quase perfeito de 2012.

Murray acabou de sofrer uma derrota que não chega a ser uma grande surpresa pela qualidade de Ernests Gulbis, mas que pelo bom momento não era o esperado. Ele descarta cerca de 3,3 mil até o fim da temporada e além de ter que repetir o US Open precisa ir muito bem no ATP Finals e levar um ou dois Masters contando ainda com uma queda ou outra de Nole.

A briga começou e pode ter um desfecho interessante. Vamos avaliando semana a semana.

Esta semana está sendo disputado o challenger do Rio de Janeiro. Bati um papo com João Zwetsch o qual espera que Thomaz Bellucci chegue pelo menos com algumas vitórias na bagagem pra Davis e relata os prós e contras da disputa pelo Nº 2 de simples do país contra a Alemanha. A decisão só será tomada após o quali do US Open e o texto (ou os textos) sobre a conversa, que inclui assuntos do tênis nacional, CT Olímpico e Guilherme Clezar, serão publicados na próxima semana.

Curtinhas:

Nadal x Matosevic nesta sexta nas quartas. O australiano tropeçou por acidente nas garrifinhas do espanhol em Monte Carlo. Alguém acredita nele ? Eu não. Será que vai ter tropeço de novo ? (risos).

Como UMA CAMPEÃ DE WIMBLEDON leva uma raquete só pra um jogo ? Marion Bartoli fez isso hoje em Toronto. Rompeu a corda e a adversária foi solidária, emprestou a sua para a francesa jogar alguns pontos até que alguém levasse o restante do equipamento. Se não bastasse isso, ainda sentiu dores no abdomên e abandonou no segundo set. Que dia hein ?



  • Ygor Viegas

    Essa provável semifinal entre Nadal e Djokovic pode dar um rumo interessante ao ranking de final de ano. Isso porque certamente o que vencer será o campeão do Masters, já que agora o Murray foi eliminado, e o único, na minha opinião, com capacidade de brigar com os dois numa possível final é o Delpo, que, enquanto estou digitando, está perdendo por 5/7 2/3 e sacando para o Raonic, dono da casa.

    Se o nadal vence o Djoko na semi, e sequentemente se torna campeão, ficaria com 8010 pontos ao final do torneio, e o sérvio com “apenas” 6590. Daí por diante, acho bem difícil o espanhol não ficar em primeiro ao final do ano.

    Mas, se o Djokovic vencê-lo e depois se tornar campeão, ficará com 7230 e o espanhol, ainda um pouco à frente, com 7370. São 150 pontos que eu acredito serem impossíveis de não serem superados, pois duvido que o Djokovic não tenha um melhor desempenho que Nadal nas quadras duras de agora em diante.

    A briga promete, graças a Deus. haha

    PS: Sim, eu já descartei a hipótese do Murray se tornar número 1 ainda em 2013, pois, depois da derrota de hoje, ele ficará pelo menos 2000 pontos atrás de Djoko e/ou Nadal.

  • gabriel

    Fabrizio,por falar em #1,hoje o gênio foderer completa 32 anos.VIDA LONGA AO REI!!!!!!!!!!!!!

  • Vou torcer para o Nadal, espero que ganhe, mas se não ganhar não faz mal, gosto do jogo dele assim mesmo. Quando ao Sérvio não gostei das declarações do Pai dele isso é competição, que vença o melhor, que erspero seja o Nadal.

  • Fabrizio,

    Como vem sendo a temporada de Rafa, diga-se de passagem ESTUPENDA! após 7 meses lesionado, e com a semi vencida por ele hoje (sábado) contra o peluqueiro Djoko, Eu, estou vendo o numero 1 ameaçado e se Rafa continuar nesse ritmo sem dúvidas será o Rafa!

  • Fabrizio,

    Alguém tem düvida? Depois de 8 canecos e 2 semi em 10 finais, precisa dizer mais?
    Djoko não é o mesmo, Federer quase indo pra casa de vez, e Murray inconstante, mas bem melhor do que anos atrás.
    Sólidez mesmo só Rafa! E espero que continue para deleite dessa imensa torcida!
    Vamos Rafa!
    Amamos você!
    Abs.,
    Nadalistas

MaisRecentes

Nadal no Olimpo



Continue Lendo

O enorme coração de Del Potro



Continue Lendo

Federer, Nadal ou Zverev ? Quem é o favorito ao US Open ?



Continue Lendo