A hora da verdade para Nadal. Quem termina como o Nº 1 ?



Começou pra valer a temporada de verão na América do Norte e junto com ela se abre a briga pelo número 1 do mundo e a hora da verdade para Rafael Nadal.

O espanhol largou bem no Masters 1000 de Montreal com duas vitórias convincentes e a de hoje difícil contra Jerzy Janowicz. O que é um bom indicador é que pela primeira vez desde o retorno em fevereiro, no Brasil, Rafa joga sem a proteção no joelho e vem afirmando estar com melhores sensações no local. E a possibilidade de fazer semifinal é bem alta com Marinko Matosevic como adversário.

No ranking de entradas, confirmando o favoritismo nesta sexta, Rafa desbancaria David Ferrer e subiria ao terceiro lugar tendo a possibilidade de ser número dois já em Cincinnati.Mas a chance de Nadal desbancar Novak Djokovic e terminar a temporada na ponta é boa. Por enquanto ele é o melhor do ano com 7010 pontos contra 6230 do sérvio. No de entradas, que será o mesmo deste ranking do ano em novembro, Rafa não defende nada e Djokovic terá 5800 pontos a descartar (título do ATP Finals invicto, Xangai, Canadá, Pequim, vice do US Open e vice de Cincinnati).

O 1º capítulo dessa briga pode se dar no sábado com a esperada semifinal contra Rafa. Uma vitória do sérvio lhe dá um primeiro suspiro. O triunfo de Nadal por exemplo já corta essa vantagem em pelo menos 1240 (640 a menos pro sérvio e 600 com a final pro espanhol).

É muito improvável que Nadal por exemplo faça no piso duro o que fez no saibro este ano (venceu seis dos sete torneios jogados), mas se beliscar, por exemplo, um título de Masters, uma semi ou final do US Open e bons resultados no fim da temporada vai somar cerca ou pouco mais de 3 mil pontos, chegando na faixa dos 10 mil, o que obrigaria Djokovic a repetir o fim de ano quase perfeito de 2012.

Murray acabou de sofrer uma derrota que não chega a ser uma grande surpresa pela qualidade de Ernests Gulbis, mas que pelo bom momento não era o esperado. Ele descarta cerca de 3,3 mil até o fim da temporada e além de ter que repetir o US Open precisa ir muito bem no ATP Finals e levar um ou dois Masters contando ainda com uma queda ou outra de Nole.

A briga começou e pode ter um desfecho interessante. Vamos avaliando semana a semana.

Esta semana está sendo disputado o challenger do Rio de Janeiro. Bati um papo com João Zwetsch o qual espera que Thomaz Bellucci chegue pelo menos com algumas vitórias na bagagem pra Davis e relata os prós e contras da disputa pelo Nº 2 de simples do país contra a Alemanha. A decisão só será tomada após o quali do US Open e o texto (ou os textos) sobre a conversa, que inclui assuntos do tênis nacional, CT Olímpico e Guilherme Clezar, serão publicados na próxima semana.

Curtinhas:

Nadal x Matosevic nesta sexta nas quartas. O australiano tropeçou por acidente nas garrifinhas do espanhol em Monte Carlo. Alguém acredita nele ? Eu não. Será que vai ter tropeço de novo ? (risos).

Como UMA CAMPEÃ DE WIMBLEDON leva uma raquete só pra um jogo ? Marion Bartoli fez isso hoje em Toronto. Rompeu a corda e a adversária foi solidária, emprestou a sua para a francesa jogar alguns pontos até que alguém levasse o restante do equipamento. Se não bastasse isso, ainda sentiu dores no abdomên e abandonou no segundo set. Que dia hein ?



MaisRecentes

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo