A raça de Murray e Delpo



Apesar de ser criticado e ter seu nome transformado em sinônimo de amarelar, Fernando Verdasco já esteve entre os sete melhores do mundo, possui ótimos resultados e muito talento. Sendo assim não seria vergonha Andy Murray perder para ele. Apenas uma decepção pelo favoritismo incrementado pela chave mais aberta do que se imaginava.

Murray jogou mal. Isso é inegável. Mesmo que Verdasco estivesse firme, mostrou nervosismo com escolhas erradas e erros bobos. Mas conseguiu se reerguer, lutando por cada bola e não deixando a peteca cair. Mostrou gana para vencer longe de estar em seu melhor nível. É um alerta, um sinal amarelo ? Não acredito. Vencer dessa forma para um tenista que já tem experiência como ele só tende a aumentar a confiança para as rodadas finais. Ponto muito positivo para o britânico que pega Jerzy Janowicz, o vencedor do quadrante que tinha Federer e Nadal em Wimbledon e 1º polonês nas semis de um Grand Slam no masculino. Um duelo muito perigoso. Jerzy marcou 30 aces hoje e salvou todos os seis breaks do rival. Ter um sacador, confiante e sem nada a perder na semi não tende a ser nada agradável para Murray.

Djokovic segue como um grande paredão em Wimbledon. Quanto mais forte e angulado se bate, maia a bola volta. Ele foi testado hoje, mas Berdych não soube controlar a ansiedade nos momentos decisivos e por isso foi derrotado em sets diretos. Você tem 5 a 4 em um tie-break, erra três bolas, abre 3/0 com duas quebras no segundo e perde o set com dupla-falta isso atesta a fragilidade mental do tcheco. Ele não construiu as boas chances com Djokovic jogando mal e sim por seus méritos, mas falhou e pagou perdendo por 3 a 0. Bom para Nole que escapa ileso.

Djokovic e Juan Del Potro disputam uma das semis. Os dois não perderam sets na competição. Louvável Del Potro. O argentino machucou novamente o joelho esquerdo em novo tombo. Chorou e cogitou se retirar da partida após consulta com o médico que o aconselhou a testar o local nos games seguintes. Como disse em outros posts, o coração do argentino é enorme e seu tênis na base da força com o saque minimizam efeitos para um jogo na correria. E hoje ele mostrou muita confiança e conseguiu não só vencer Ferrer como batê-lo em sets diretos jogando muito tênis. Quanto maior o problema, mais Del Potro se supera.

O problema é que agora Del potro precisa estar melhor do que nunca para encarar Djokovic que devolve bolas mais firmes e difíceis que o espanhol na grama e é um tenista mais confiante e convicto. Logo por esse cenário vejo um bom favoritismo para Nole, algo como um 70-30 em percentagem. Mas nunca duvido do que o argentino possa produzir.

Minha final é Murray x Djokovic.

Brasileiro na semi

Marcelo Melo na semi de duplas ao lado do croata Ivan Dodig. Um excelente resultado para Melo que vinha em uma temporada irregular até com duas primeiras rodadas na grama com o mesmo parceiro. Ele repete as semis de 2007 onde jogou com André Sá e tentar,a nesta quinta, vaga na final contra a dupla campeã do Australian Open do ano passado, Stepanek/Paes, cabeças de chave 4. Jogo duríssimo, mas que dá pra ganhar.

Curtinhas:

Semis do feminino basicamente só de zebras. Flipkens x Bartoli uma incógnita. Esperava pela vitória de Kvitova nas quartas. No outro jogo, que promete ter bom nível técnico, Radwanska x Lisicki. A alemã vem muito confiante, é agressiva e tem bom saque, mas Radwanska defende muito bem e contra-ataca com firmeza. A germânica precisará ter bastante consistência.



  • Ygor Viegas

    Impressionante como o Berdych é moído mentalmente pelos tops. No primeiro set, quando estava 5 a 6 no tie-break, ele cometeu um erro de esquerda bobo demais, complicado para alguém de 27 anos de idade e que pretende ganhar um Slam. No segundo, abriu logo de cara 3 a 0 e sacando. Não aguentou e sucumbiu, sendo quebrado três vezes no set: 4/6.

    Continuo na torcida pelo Murray, que, logo após a derrota do segundo set, em nenhum momento gritou palavrão, xingou, deu raquetada na cabeça. Claramente se via que ele estava nervoso demais, com aquela cara de medo de que o pior poderia – e a tendência era essa – acontecer. Mas se manteve firme, positivo. Não gritou de raiva quando levava ace ou saque sem retorno. E jogou bem demais os pontos importantes, algumas trocas de 20, 25 bolas, sempre se defendendo e atacando no momento certo.

    • Marta

      Concordo plenamente, Murray não ficou quebrando raquete igual a Djokovic, merece ser campeão. Aliás Del Potro também que está apresentando um tênis de primeira. Para mim a final será Murray e Del Potro.

  • Dae fabrizio,beleza? é por causa de uns jogos como hj que não consigo gostar mais do murray,o cara é mto fraco no mental pra chegar um dia a ser número 1,e na minha humilde opinião nunca vai chegar lá,afinal de contas todos os tops são unanimidade quanto ao que pesa mais no nível em que jogam,mente forte! Djoko,Nadal são monstros quanto a isso,por isso conseguem mto mais,e Federer apesar de não ser tão bom quanto os dois é bem melhor que o Murray e tem talento de sobra que geralmente compensa…gosto dele, mas essas duplas faltas e erros bizarros em momentos chave são recorrentes demais…Nadal fazer isso as vezes é normal tendo em vista que ele tem mais dificuldade nessas jogadas “fáceis”,mas murray não tem desculpa não! torço mto pelo polonês,merece mais que o murray, tem mais fibra e mais coragem!

    • Fabrizio Gallas

      fraco no mental não acho, agora ele precisa melhorar muito a regularidade, ter melhores resultados no saibro e oscilar menos durante o ano. Falta é consistência

      • talvez tenha me expressado mal, quando digo fraco, digo comparando ele a djoko e nadal,que seriam seus “iguais” no circuito, e a consistência é mto fruto tbm de um mental melhor,mas de qualquer maneira vamos na torcida pelo del potro,sou mto fã dele,depois do nadal,acho que é o cara com mais coração,gosto disso!

  • Otavio Neves

    Caro Fabrizio: Escrevo p/ falar de outro assunto, mas, antes de tudo, quero registrar que, no geral, acho o trabalho atual da CBT bem positivo. Mas não posso deixar de considerar o seguinte: Foi um absurdo a CBT cancelar o ÚNICO torneio juvenil previsto para 2013 que a entidade realizaria em agosto aqui na cidade do Rio de Janeiro. Como pode a segunda maior cidade do país e que realizará em 2016 as Olimpíadas ficar sem ao menos um Torneio da CBT? São vários juvenis jogando aqui no Rio, vide o sucesso que foi o Circuito Escolar Universitário, nem todos podem viajar para fora do Estado, será que a CBT quer elitizar ainda mais o Esporte? Quero acreditar que não. Nem que seja em outra data e/ou em outro local, espero que a CBT resolva qualquer problema e realize ainda em 2013 um Torneio juvenil aqui – quando se tem vontade política, competência e disposição para o trabalho problemas podem ser resolvidos. Parece que dinheiro não falta, não falta ajuda do Governo, via Correios, para a CBT. Grande abraço, obrigado pelo espaço e até breve…

    • Fabrizio Gallas

      Por qual motivo cancelaram ? Onde seria o torneio ?

      GRato

      • Otavio Neves

        1-O motivo eu não sei – no site da CBT eles não deram nenhuma satisfação para o público. Ano passado ouvi, de pessoas da CBT, reclamações quanto ao custo de hospedagem no Rio… Se for isso eles poderiam dar uma maneira de resolver, sem cancelar.
        2- O Torneio CBT seria em agosto – no Marina Barra Clube. Já estava no Calendário oficial da CBT/2013.
        3- Sem mais por agora, mais uma vez, meu muito obrigado – abraço.

  • Marta

    Djokovic jogou em Indian Wells, Miami, Madri e Roma, ou seja, nada! Até agora só pegou pastel, vamos ver com Del Potro, que tá jogando um tênis de primeira! Aliás será que desta vez o equilibrado Djokovic não vai quebrar a raquete ou ficar chutando a bolinha?

    • Giovanna

      Por esse comentário se vê quem entende de tênis e quem não entende…
      Falar que Indian Wells, Miami, Madri e Roma são torneios descritos como “nada” me faz ter vontade de chorar.
      Só pegou “pastel”… Ele disputou diversas vezes este ano jogos com o Nadal, jogou também contra Berdych, Murray, Ferrer e Del Potro. Pelo amor de Deus, antes de comentar alguma coisa tenha argumentos!
      Você pode não gostar do jogador mas não destrua a história do mesmo e do tênis falando coisas sem fundamento.
      Gosto dos dois jogadores, e torço para que o melhor vença, mas já que você acusa tanto o Djokovic de perder a cabeça, xingar, quebrar raquetes e etc. Procure ver alguns torneios para perceber que o Murray não é conhecido pelo seu bom comportamento…

MaisRecentes

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo

Quanto Nadal está disposto a arriscar por Londres ?



Continue Lendo

Quem é o melhor do ano ? Federer ou Nadal ?



Continue Lendo