Djokovic x Murray ? Ou o imponderável ?



Roger Federer, Rafael Nadal e Jo Tsonga foram embora. Hoje foi a vez de Serena Williams, com 34 vitórias seguidas e franca favorita, ser batida se juntando ao cemitério londrino em 2013 que no feminino conta com Maria Sharapova e Victoria Azarenka.

Com esse torneio tão imprevísível, cheio de zebras não dá para afirmar, dar o tiro certo – a final será essa e ponto. Mas pelo que vêm jogando, difícil não imaginar uma final entre Novak Djokovic x Andy Murray. Difícil imaginar que alguém da chave seja capaz de vencer três sets destes dois.

Os dois estão muitos firmes em basicamente todos os aspectos – saque, devolução, forehand, backhand, jogo agressivo e no mental. Ambos deram uma deslizada nesta segunda-feira no que por enquanto foram os maiores testes da competição, mas conseguiram reverter sets que poderiam escapar e complicar seus encontros.

Na teoria, Murray tem um caminho menos árduo pela frente. Comparo Verdasco com Youzhny. Aquele tenista talentoso que pode complicar, roubar um set e que Andy não pode deixar gostar do jogo, mas que não me dá a sensação de ter as armas para vencê-lo, a menos que o britânico esteja em um dia ruim, errático. Para a semi, o perigo maior está com Jerzy Janowicz por conta de seu saque e jogo agressivo que se adapta bem à grama, mas a falta de experiência leva o escocês a ter uma ótima chance.

Na chave de Djokovic a situação parece ser mais complicada para as quartas. Mesmo sendo freguês, Berdych tem um ótimo jogo de grama, já fez final em Wimbledon e confiante é um tenista que pode ganhar de qualquer um. A devolução do sérvio, que vem bem, precisa continuar afiada.

Para a semi se pegar Ferrer, não vejo muita chance ao espanhol. Encarando Del Potro, o buraco pode ser mais embaixo sobretudo se as condições do argentino forem boas. Mas Delpo é um pouco dramático igual ao tango argentino. Não é nenhuma novidade ver o sul-americano jogar e atuar bem com algum problema. Sim, não digo que ele está mentindo. Delpo é humilde e não esconde o que sente, por isso acaba revelando qualquer problema que tenha. Reconhecidamente ele precisa melhorar o físico, mas ao mesmo tempo o argentino compensa com muito coração e somado ao seu estilo potente, acaba conseguindo minimizar tais efeitos.

Agora é sentar, olhar na telinha e acompanhar com uma boa pipoca, analisando e sem duvidar dos fantasmas que rondam o All England Club. Eles estão loucos em 2013.

Olha que detalhe interessante. Sabine Lisicki eliminou as campeãs de Roland Garros em 2009, 2011, 2012 e agora 2013. Svetlana Kuznetosva, Na Li,Maria Sharapova e agora Serena Williams provaram do veneno da alemã. Com a chave sem as top 3 em ação, o feminino fica ainda mais aberto que o masculino com chances de uma super zebra ou de uma Radwanska ganhar seu primeiro Grand Slam. Quem sabe é a chance de Lisicki ? Ela tem um ótimo jogo para a grama.

E a brasileirada está no estaleiro. Bellucci ainda sem previsão já vai sair do top 50 e se não jogar Stuttgart deixará o top 60. Caso não entre em Gstaad no fim do mês deixará o top 100. Feijão segue aumentando paulatinamente os treinos, mas ainda definindo o calendário e Rogerinho sentiu o tornozelo em Braunschweig bem com uma série de ATPs perfeitos para ele no saibro. Uma pena.



MaisRecentes

Nadal chega em Paris com sobras. Djokovic pode brigar



Continue Lendo

Nadal não será afetado por derrota em Madri. Zverev cresce, mas precisa confirmar em um Slam



Continue Lendo

Triplo 11 de Nadal ?



Continue Lendo