A grama pune…



Me permita adaptar a frase do renomado treinador de futebol, Muricy Ramalho. “A grama pune”. São apenas duas semanas de preparação para um Grand Slam e quem não tem um estilo agressivo e precisa fazer uma adaptação acaba ficando bastante vulnerável no início do torneio, ainda mais depois de chegar sem nenhum evento preparatório.

Assim foi com Rafael Nadal nesta segunda-feira. Chegou nu, cru, pegou um rival mais acostumado com o piso, jogando de forma agressiva e acabou sendo surpreendido e de forma pior do que se imaginava, por 3 sets a 0, incomum para ele. Era nítido que Nadal buscava jogar agressivo, mas o forehand e o backhand falha, o reflexo na devolução de saque não era o ideal. Sofreu desde o início e perdeu a chance da virada na segunda etapa.

Nadal fez uma opção. Não jogar nenhum preparatório. Foi uma boa decisão visando o futuro visto o desgastante Roland Garros, mas tudo tem um preço e ele acabou pagando em Londres. Ficou claro que para ele é preciso com algum ritmo para ir bem no Grand Slam inglês.

Rafa não quis dar desculpes de lesões. Só disse que vai trabalhar bem duro. Vamos aguardar o seguimento de sua preparação que agora foca o piso duro, mais um desafio importante para o joelho que não ainda não é tão confiável.

Em termos de ranking, Nadal não deve sofrer queda, mas deixa de somar pontos na luta para manter o número 1 do mundo e avançar na tabela de entradas. Quem está comemorando no hotel em Londres é Roger Federer, um alívio para ele na chave. E também um pouco Andy Murray que teria dois grandes algozes para a semi e só tem um.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo