A grama pune…



Me permita adaptar a frase do renomado treinador de futebol, Muricy Ramalho. “A grama pune”. São apenas duas semanas de preparação para um Grand Slam e quem não tem um estilo agressivo e precisa fazer uma adaptação acaba ficando bastante vulnerável no início do torneio, ainda mais depois de chegar sem nenhum evento preparatório.

Assim foi com Rafael Nadal nesta segunda-feira. Chegou nu, cru, pegou um rival mais acostumado com o piso, jogando de forma agressiva e acabou sendo surpreendido e de forma pior do que se imaginava, por 3 sets a 0, incomum para ele. Era nítido que Nadal buscava jogar agressivo, mas o forehand e o backhand falha, o reflexo na devolução de saque não era o ideal. Sofreu desde o início e perdeu a chance da virada na segunda etapa.

Nadal fez uma opção. Não jogar nenhum preparatório. Foi uma boa decisão visando o futuro visto o desgastante Roland Garros, mas tudo tem um preço e ele acabou pagando em Londres. Ficou claro que para ele é preciso com algum ritmo para ir bem no Grand Slam inglês.

Rafa não quis dar desculpes de lesões. Só disse que vai trabalhar bem duro. Vamos aguardar o seguimento de sua preparação que agora foca o piso duro, mais um desafio importante para o joelho que não ainda não é tão confiável.

Em termos de ranking, Nadal não deve sofrer queda, mas deixa de somar pontos na luta para manter o número 1 do mundo e avançar na tabela de entradas. Quem está comemorando no hotel em Londres é Roger Federer, um alívio para ele na chave. E também um pouco Andy Murray que teria dois grandes algozes para a semi e só tem um.



MaisRecentes

Nadal aterroriza em Monte Carlo



Continue Lendo

Isner é muito mais que o saque e uma direita



Continue Lendo

O que há com Djokovic ? 



Continue Lendo