Federer favorito e protagonista para Wimbledon



Finalmente se foi o carma de dez meses sem títulos. Um bom fim de 2012 com decisões no Finals e Basileia, mas um 2013 ruim para os padrões Roger Federer e apenas uma final, no saibro de Roma. Nada como a grama para ajustar seu melhor jogo com muita agressividade, pontos curtos e menor demanda física.

O suíço tinha a boa chance de resgatar uma confiança então perdida na temporada e aproveitou. Encaixou ótimas vitórias sobre Tommy Haas e Mikhail Youzhny, levantou o caneco em Halle e chega com moral para o Grand Slam o qual tem mais possibilidades de uma final e título, em Wimbledon, ao jogar em seu habitat natural.

O ressurgimento de Federer só dá mais emoções para o Grand Slam na grama que começa em oito dias. Andy Murray também chega com sede de vitória após a boa participação em Queen´s e tanto Nadal como Djokovic com dúvidas pela falta de preparação na superfície. Os dois precisam superar a falta de ritmo nas primeiras rodadas para evitar surpresas. Sendo assim, se tornam fortes candidatos.

Uma pena a derrota na final de Bruno Soares. Sempre esbarrando nos irresistíveis irmãos Bob e Mike Bryan que alcançaram o 90º título, oitavo do ano. A campanha de Bruninho no ano é sensacional com cinco finais, três títulos, dois com Alexander Peya, somando ainda uma final em Madri e semi de Roland Garros. Disparados a segunda melhor dupla do ano e na contagem regressiva para a vaga no ATP Finals. Faltam menos de 1 mil pontos.



MaisRecentes

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo