Djokovic esquentou e não quer deixar barato



No dia frio, chuvoso e cheio de interrupções em Roland Garros, quem esquentou mesmo foi Novak Djokovic. Depois de uma estreia nervosa, travada, o sérvio engatou a quarta e a quinta marcha contea o argentino Guido Pella.

O sérvio tirou aquele peso de estreia, de se acostumar com as condições, ambiente, quadra, etc. E entrou bem atento contra o regular argentino. O sérvio olhou a previsão, viu as seguidas interrupções pela chuva e tratou de encerrar o mais rápido possível.

Um teste interessante para Nole no sábado contra Grigor Dimitrov que o derrotou na estreia em Madri. O sérvio não vai querer deixar barato a derrota na Espanha e chega melhor preparado e já ambientado no torneio. A quadra de Paris é mais lenta e sem altitude o que minimiza os efeitos do serviço e dificulta na realização dos winners. Em contrapartida, estar frio ou quente interfere nesse aspecto. Quanto mais frio e úmido, mais lento é o jogo sendo melhor ao sérvio. Quanto mais quente e seco, mais veloz e rápido, melhorando a chance do búlgaro.

A tendência é de um ótimo jogo e um Djokovic que precisa estar muito atento para não ser surpreendido novamente.

E amanhã Federer ‘estreia’ no torneio com seu primeiro duro jogo. Assim como Nole, o suíço não pode bobear ainda mais com uma torcida em peso a favor do rival. Se deixar Benneteau gostar do jogo sua vida pode se complicar.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo