Dia do Sono. Tomic perdido



A terça-feira não prometia muito com a relação de jogos a completar a primeira rodada. Mas como em todo Grand Slam, você acorda bem cedo na expectativa de jogos ao menos interessantes como os que ocorreram na segunda-feira e logo de cara se depara com a temida chuva que gosta de dar o ar da graça e atrapalhar este e o US Open, Majors que temem em não colocar o teto retrátil ou demoram para tal por burocracias (cobertura prevista para 2018 em Paris, no US Open nenhum sinal).

Sem jogos a acompanhar, resta é esperar, olhar para as previsões e relatos sobre o clima em Paris. Quando volta, um joguinho fraco de Marion Bartoli que teima em durar mais de três horas com outra interrupção pela chuva que acaba cancelando boa parte da rodada.

Pois bem, vem aí o devastador Djokovic em quadra, e faz uma exibição pro gasto, com altos e baixos, e por muitos momentos sonolenta diante de David Goffin. Tudo bem que o adversário jogou bem e conseguiu dificultar, mas o sérvio se enrolou porque quis, mas quando precisou foi lá e confirmou.
No restante sem mais em Roland Garros, hoje, em termos de jogos, foi o DIA DO SONO. Normal, acontece em em Majors com programações que variam de 13 até 15 dias dependendo do torneio.

O que me acordou na chata manhã foram as fofocas do repórter Matt Cronin do Tennis Reporters e da Tennis.com na Rádio de Roland Garros. Contou os bastidores da separação de Maria Sharapova e o ex-jogador da NBA Sasha Vujcic, entre outros assuntos.

A bola murcha do dia ficou para Bernard Tomic que em entrevista disse amar o pai e que irá mantê-lo como treinador. John Tomic bateu em seu ex-sparring, o monegasco Thomas Drouet, durante Madri e está sendo investigado, cena que protagonizou a exclusão dele dos torneios de Roland Garros e outros da ATP. Além disso, protagonizou várias cenas que atrapalham a carreira do filho como pedir para que se retirasse de um jogo de future por não concordar com marcações dos árbitros. Além de criar um problema com a federação local.

Está claro que John Tomic vem contribuindo para a não evolução do talentoso filho e pelo visto isso irá continuar e a tendência é que Bernard não desabroche e se torne um tenista comum.



  • pois eh fabrizio isso eh foda.. pra vc ver q esses detalhes burocraticos nao existem soh no brasil.. enfim…
    cara eu to muito confiante em relação ao federer.. tem uma chave relativamente facil, e não ta nem esquentando o banco nas partidas dele, isso eh importante, pra chegar na final e poder jogar quantas horas for, e destruir, demolir tanto djoko, quanto nadal.. mais sou realista… Não entendi como o federer na final de roma faz aquele papelão, tava totalmente descansado, partidas de 1 horas e poucos, e na final que eh pra dar todo aquele gas que ta acumulado.. aconteçe akilo, não deu tempo nem sentar na poltrona.. eh foda.. o federer eh foda as vezes…

    ahhh fabrizio.. cara se tu puder colocar os videos no youtube com as partidas completas do federer, as duas q ele jogou eu te agradeço… tava viajando e não assisti…

    valeu.. um abraço!!

  • Nossa, eu vi esse dia, foi exatamente isso !

MaisRecentes

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo

Quanto Nadal está disposto a arriscar por Londres ?



Continue Lendo

Quem é o melhor do ano ? Federer ou Nadal ?



Continue Lendo