Federer x Nadal perdeu a essência ?



Bem certo que Rafael Nadal sempre teve uma vantagem tática e sobretudo mental sobre Roger Federer no clássico e por esses dois aspectos passam o dobro de vitórias em derrotas dele (20 a 10). O que assusta, nos confrontos desse ano, é a facilidade com que Nadal superou o suíço.

Obviamente o nível de Nadal foi alto tanto em Indian Wells quanto hoje em Roma, mas nos dois encontros o espanhol não necessitou chegar ao 100% de sua capacidade. Federer esteve apático, cometendo demasiados erros e me pareceu entrar derrotado em quadra ou perder a fome, o instinto pela vitória após sofrer baques iniciais de quebra.

Parte dessas derrotas fáceis passam pelo serviço de Federer que, volto a dizer, não tem sido demolidor como antes tanto contra o espanhol como contra outros rivais. Nem podemos colocar o saibro como fator e desaceleração da bola, em Indian Wells, um piso duro, ocorreu o mesmo.

O sentimento é que Federer x Nadal vem perdendo sua essência pela queda do suíço. Masse colocarmos na balança, o ano 2013 em si não vem sendo o esperado e Federer vem se tornando mais vencível do que antes. E assim, diante dos Monstros atuais do tênis, ainda mais contra quem tem seu número, tende a ser presa mais fácil.

Federer alcançou esta semana sua primeira decisão na temporada onde vem sofrendo derrotas inesperadas. Já é um avanço, mas o deixa no segundo escalão de favoritos para ganhar Roland Garros. Sem dúvida, Nadal e Djokovic seguem na dianteira.

Curtinhas:

André Ghem tem uma casa na Alemanha que comprou há anos para facilitar na disputa de torneios pela Europa. Foi para o ATP de Dusseldorf e furou o quali batendo o 121 do mundo, João Sousa, ótima vitória e um bom primeiro rival na chave, o japonês Go Soeda, 114º e jogador de piso duro.

Rogério Silva joga nesta segunda a final do quali no ATP de Nice, na França.

E quem para Serena Williams ? 24 vitórias seguidas, venceu os dois principais torneios no saibro sobre suas principais concorrentes, Sharapova e Azarenka. Seu único título em Roland Garros, 2002, vem após seu primeiro caneco em Roma. Difícil apostar em outra campeã para Paris.



MaisRecentes

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo

Emoções no US Open



Continue Lendo