Bruninho brilhante. Almagro irritante



Por problemas da ordem familiar não pude escrever ao longo desta semana, então vos deixo com um resumão da semana no tênis.

Uma semana muito positiva pro tênis brasileiro, mas com certa preocupação. Bruno Soares, depois de duas derrotas em estreias de forma seguida, lavou a alma com o troféu em Barcelona, debaixo de chuva, batendo quatro dos melhores duplistas do mundo. Com a coroa, a segunda da dupla do ano, ele e Alexander Peya alcançaram a TERCEIRA COLOCAÇÃO no ranking da temporada com 1560 pontos, atrás em 200 pontos dos vice-líderes Marcel Granollers/Marc Lopez.

Com tal campanha, é possível dizer que Bruninho e Peya tem ótimas chances de ir ao ATP World Finals em novembro, em Londres. A linha de corte dos classificados em 2012 foi de 4115 pontos quando a dupla classificada final ficou no sétimo lugar e 3450 com a dupla garantida no oitavo posto (naquele ano a parceria sétima colocada teve 4010.

Como no ATP Finals há uma vaga reservada pra uma dupla campeã de Grand Slam que termine o ano dentro do top 20, seria mais seguro elevar essa linha de corte ao sétimo lugar, ou seja, a faixa dos 4 mil pontos. Sendo assim, Soares e Peya possuem cerca de 40% dos pontos com quatro meses de temporada. Muito bom.

A temporada de Thomaz Bellucci não está sendo de muita sorte. Quando encaixou duas vitórias seguidas e com boa chance de ir pruma semi de um ATP 500, uma nova lesão, no abdômen apareceu e o vai tirar do torneio 250 de Munique. Esperamos que não afete seu desempenho nos próximos torneios em Madri e Roma e principalmente Roland Garros. Mais um baque para a temporada europeia de saibro onde Thomaz tem mais chances de subir. Neste ano, ele vinha sofrendo com um problema crônico no ombro e com má preparação teve atuações ruins e derrotas inesperadas.

Guilherme Clezar aproveitou bem os torneios no Brasil, venceu ótimos jogos, fez duas semis seguidas e faltou detalhes da ordem mental para dar um passo adiante. Seu jogo está mais consistente, encorpado. É questão de tempo para voltar a vencer um challenger e poder entrar em chaves de ATPs. Seria importante migrar para os challengers europeus no saibro desta época para ajudar nesse amadurecimento. Está entre no top 180, evoluindo.

Rogério Silva mais uma vez tem o melhor ranking, o 86º, e acaba de anunciar um novo patrocínio para até o fim de Wimbledon. Com este ranking já entraria na série no saibro após Wimbledon onde tem chances de bons resultados. Quem está beliscando o top 100 é João Souza, com a 106ª colocação. Deixou escapar alguns jogos na série no Brasil que vão lhe custar a vaga direta em Roland Garros. Esta última semana porém, perdeu sua avó, mas ganhou o troféu de duplas em SP em sua boa parceria com Marcelo Demoliner. Os dois estão entre os 90 melhores na categoria.

Não poderia deixar de falar em Nadal. Campeão em Barcelona, quarto caneco do ano, segundo melhor tenista da temporada. Terá uma semaninha de descanso para o desafio da altura de Madri, onde sempre tem mais problemas. O que me deixa irritado é a seguida amarelada de Nicolas Almagro. Faz 3 a 0 com duas quebras no primeiro set, pela enésima vez não aproveita chances contra os melhores e diante de Nadal e sai dando desculpas, como a chuva de hoje (bola ficou pesada e atrapalhou). Contra Ferrer nas quartas do Australian Open a culpa das várias chances perdidas sacando pro jogo foram as dores no pé. Atitudes lamentáveis.

E no feminino, a saibrista Maria Sharapova foi campeã sobre Na Li. Quinto título da musa na superfície. Ano passado ela ganhou também Roma e Roland Garros. Será que repetirá o feito ? O certo é que ela ganhou o segundo Porsche da patrocinadora de Stuttgart e essa semana assinou com a marca como embaixadora. É ampliar a garagem para receber os carrões.



MaisRecentes

Zverev tem tudo, mas ainda falta muito. Estranho, não ? 



Continue Lendo

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo