Bruninho brilhante. Almagro irritante



Por problemas da ordem familiar não pude escrever ao longo desta semana, então vos deixo com um resumão da semana no tênis.

Uma semana muito positiva pro tênis brasileiro, mas com certa preocupação. Bruno Soares, depois de duas derrotas em estreias de forma seguida, lavou a alma com o troféu em Barcelona, debaixo de chuva, batendo quatro dos melhores duplistas do mundo. Com a coroa, a segunda da dupla do ano, ele e Alexander Peya alcançaram a TERCEIRA COLOCAÇÃO no ranking da temporada com 1560 pontos, atrás em 200 pontos dos vice-líderes Marcel Granollers/Marc Lopez.

Com tal campanha, é possível dizer que Bruninho e Peya tem ótimas chances de ir ao ATP World Finals em novembro, em Londres. A linha de corte dos classificados em 2012 foi de 4115 pontos quando a dupla classificada final ficou no sétimo lugar e 3450 com a dupla garantida no oitavo posto (naquele ano a parceria sétima colocada teve 4010.

Como no ATP Finals há uma vaga reservada pra uma dupla campeã de Grand Slam que termine o ano dentro do top 20, seria mais seguro elevar essa linha de corte ao sétimo lugar, ou seja, a faixa dos 4 mil pontos. Sendo assim, Soares e Peya possuem cerca de 40% dos pontos com quatro meses de temporada. Muito bom.

A temporada de Thomaz Bellucci não está sendo de muita sorte. Quando encaixou duas vitórias seguidas e com boa chance de ir pruma semi de um ATP 500, uma nova lesão, no abdômen apareceu e o vai tirar do torneio 250 de Munique. Esperamos que não afete seu desempenho nos próximos torneios em Madri e Roma e principalmente Roland Garros. Mais um baque para a temporada europeia de saibro onde Thomaz tem mais chances de subir. Neste ano, ele vinha sofrendo com um problema crônico no ombro e com má preparação teve atuações ruins e derrotas inesperadas.

Guilherme Clezar aproveitou bem os torneios no Brasil, venceu ótimos jogos, fez duas semis seguidas e faltou detalhes da ordem mental para dar um passo adiante. Seu jogo está mais consistente, encorpado. É questão de tempo para voltar a vencer um challenger e poder entrar em chaves de ATPs. Seria importante migrar para os challengers europeus no saibro desta época para ajudar nesse amadurecimento. Está entre no top 180, evoluindo.

Rogério Silva mais uma vez tem o melhor ranking, o 86º, e acaba de anunciar um novo patrocínio para até o fim de Wimbledon. Com este ranking já entraria na série no saibro após Wimbledon onde tem chances de bons resultados. Quem está beliscando o top 100 é João Souza, com a 106ª colocação. Deixou escapar alguns jogos na série no Brasil que vão lhe custar a vaga direta em Roland Garros. Esta última semana porém, perdeu sua avó, mas ganhou o troféu de duplas em SP em sua boa parceria com Marcelo Demoliner. Os dois estão entre os 90 melhores na categoria.

Não poderia deixar de falar em Nadal. Campeão em Barcelona, quarto caneco do ano, segundo melhor tenista da temporada. Terá uma semaninha de descanso para o desafio da altura de Madri, onde sempre tem mais problemas. O que me deixa irritado é a seguida amarelada de Nicolas Almagro. Faz 3 a 0 com duas quebras no primeiro set, pela enésima vez não aproveita chances contra os melhores e diante de Nadal e sai dando desculpas, como a chuva de hoje (bola ficou pesada e atrapalhou). Contra Ferrer nas quartas do Australian Open a culpa das várias chances perdidas sacando pro jogo foram as dores no pé. Atitudes lamentáveis.

E no feminino, a saibrista Maria Sharapova foi campeã sobre Na Li. Quinto título da musa na superfície. Ano passado ela ganhou também Roma e Roland Garros. Será que repetirá o feito ? O certo é que ela ganhou o segundo Porsche da patrocinadora de Stuttgart e essa semana assinou com a marca como embaixadora. É ampliar a garagem para receber os carrões.



  • lucas

    Fabrizio um comentário sobre a edição do site. “Roger Federer número dois do mundo, terá mais um concorrente para a disputa do ATP 500 da Basileia, na Suíça, sua cidade natal. Rafael Nadal, quinto colocado, confirmou nesta segunda-feira seu retorno ao evento após nove temporadas.” “Federer possui cinco títulos no torneio e terá seu algoz da final de 2012 na disputa mais uma vez o argentino Juan Martin Del Potro, atual sétimo colocado.” você ao dizer que o rf terá mais um forte cocorrente rafa, está dizendo que o federer vai jogar basileia, mas não vai. ele para se poupar tirou o atp de basileia do seu calendário

    • Fabrizio Gallas

      lucas, há um impasse, primeiro ele não ia jogar, depois, dia 9, disse que ia mesmo sem contrato, e hoje o diretor do torneio recuou dizendo que Federer ainda não havia respondido sobre o contato. Ou seja, segue o imbróglio.

      • lucas

        ok brigado

  • Federer recuou no mesmo dia que foi anunciado a confirmação do Rafa..é medo!

  • Marcio

    Meus sentimentos pro Feijão, perder avó é sempre muito triste! Como torcedor do tênis brasileiro, estou muito contente com o crescimento do garoto Guilherme Clezar, que esse ano já derrotou o Rogerinho e o Feijão, por pouco não derrotou o Bellucci também, acho que ele tem potencial para chegar no top 100! Outro garoto que tem crescido muito é o Thiago Monteiro, essa semana já entre os 360 do mundo! Quero muito acompanhar essa challenger de Rio Quente, pena que não vai ter transmissão pela tv!

  • Andre

    Olá Fabrizio, tudo bem?

    Primeiramente, gosto bastante do blog. Leio direto e acho o conteúdo bem original e interessante. Parabéns!

    Gostaria de propor uma crítica construtiva. Ao meu ver, a segunda frase do terceiro parágrafo (sobre a pontuação de corte do Finals) ficou meio confusa. Fiz uma pesquisa e achei um link com a pontuação das duplas antes do Finals (http://www.stevegtennis.com/rankings/2012/tm110512.htm – a pontuação de Bhupathi/Bopanna está errada, na verdade é 4455 pontos os deixando na 5a. posição). Pelo que entendi o sétimo colocado ficou 3515 pontos (Qureshi/Rojer) e a oitava dupla com 3510 (Fyrstenberg/Matkowski), mas perderam a vaga conforme a regra do campeão de Grand Slam que você mesmo citou.

    Abraços e boa sorte!

  • Adriano

    Fabrizio, como pai de atleta, sabendo das dificuldades para se conseguir um patrocínio e dar um retorno ao patrocinador, fico intrigado pq os meios de comunicação não ajudam os atletas nesse “retorno”.
    Quando você fala que “Rogério Silva mais uma vez tem o melhor ranking, o 86º, e acaba de anunciar um novo patrocínio para até o fim de Wimbledon”, o que te impede de citar a empresa que (como tão poucas nesse país) resolveu apoiar um atleta?
    Você vivencia o tênis e acho que sabe o valor disso, não??
    Um abraço!

  • Adriano

    Olá Fabrizio,

    Pq meu comentário ficou sem resposta (e publicação) ???

    Não entendi….

    Adriano

MaisRecentes

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo

Quanto Nadal está disposto a arriscar por Londres ?



Continue Lendo

Quem é o melhor do ano ? Federer ou Nadal ?



Continue Lendo