Só falta Roland Garros! Saibro promete



É necessário louvar a atitude e persistência de Djokovic. Chegou ao torneio nem sabendo que iria jogar pela torção no tornozelo. Decidiu na véspera, jogou mal os primeiros jogos pedindo atendimento e vencendo no sufoco. Foi evoluindo e se consagrou com o troféu. Quando todos esperavam, inclusive eu, que não jogaria ou não chegaria longe, foi lá e ganhou de Rafael Nadal na final. Um troféu que fica na memória do sérvio por tudo que passou e que dá uma baita confiança principalmente para Roland Garros.

E somente tênis de altíssimo nível, beirando a perfeição para destronar o espanhol de Monte Carlo após oito títulos seguidos e 46 triunfos consecutivos. Djokovic se torna o maior vencedor de finais no saibro diante de Nadal (três vencidas, as outras em Madri e Roma).

Se Roma o saibro é mais ralo proporcionando um jogo um pouco mais veloz e em Madri existe a altura também ampliando a velocidade da bola, para Roland Garros as condições são similares ao evento no Principado. Logo, com este triunfo e nível de atuação, o sérvio fica numa ótima posição para alcançar tal feito.

Na final deste domingo, Djokovic passeou num primeiro set onde foi um pouco ajudado pelo saque mais fraco e bola mais curta do espanhol. Nadal ajudou o sérvio a abrir aquela vantagem de 5/0 e por pouco não aplicar um pneu. Quando alongou as bolas e buscou agressividade, Nadal colocou o sérvio na parede, fez Nole errar e teve boas chances de vencer a parcial com 4/2 e 6/5 e saque. Nadal não soube jogar o seu melhor para fechar ao passo que o natural de Belgrado foi pra cima e mereceu a virada.

Apesar da derrota, não vejo como um baque nas pretenções de Nadal para o saibro. Djokovic é seu último desafio nesse retorno após a lesão no joelho e as dores nas costas o atrapalharam no final de Monte Carlo onde titubeou nas últimas rodadas. O segundo set feito pelo espanhol foi muito bom e deve animá-lo para seguir treinando firme e buscar mais eficiencia num jogo agressivo que viveu altos e baixos esta semana. Ano passado, Nadal venceu três vezes Nole no saibro jogando pra cima e com bom serviço e precisão. Hoje, quando conseguiu adotar esse estilo foi mais efetivo.

Por essas e outras, temos a possibilidade de uma temporada de saibro sensacional com muita disputa com Nadal e Djokovic no comando. Não podemos nos esquecer de Roger Federer que descansou bastante e teve tempo de preparação. De David Ferrer que sempre é forte no piso e quem sabe Andy Murray. Se melhorar a movimentação e paciência para trabalhar o ponto, o britânico pode dar muito trabalho.

Curtinhas:

Teliana Pereira na final do quali do WTA de Marrakech virando um primeiro set de 1/5. Ela furou os qualies em Bogotá e Charleston este ano e prova que vem jogando cada vez mais entrando nos principais torneios. Tem uma boa chance, contra uma eslovaca 295 do mundo, de entrar na chave nesta segunda-feira e seguir somando pontos rumo ao top 100.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo