Nadal pronto para Roland Garros. E o piso duro ?



Rafael Nadal teve, nos últimos dois dias, seus maiores testes após o retorno da lesão no joelho. E passou com sobras, tirou NOTA 10.

A semana em Acapulco foi bem diferente da do Brasil. Com uma quadra e bola adequada, o espanhol mostrou um melhor tênis que culminou com as maiores atuações diante dos fortes e respeitados Nicolas Almagro e David Ferrer.

A atuação nesta madrugada diante de Ferrer foi surpreendente em todos os aspectos. Nadal foi bastante agressivo, jogou com o revés firme e fundo e o forehand dominando o rival além de uma ótima movimentação. Bem certo que os rivais espanhois não costumam jogar seu melhor contra Nadal, dão aquela tremida. Das raras chances que teve, Ferrer falhou, com erros. Mas mesmo se as fizesse não escaparia da derrota, pela forma como Rafa jogava. Jogou em seu melhor nível, comparado ao que fez ano passado no piso lento.

Se tinha alguém duvidando da volta dele, se tinha condições de buscar o título em Roland Garros, a resposta foi dada em alto e bom som. Pelo menos para o saibro, Nadal está pronto para derrotar os melhores, inclusive os top 3.

O jornal MARCA publicou no início da semana sobre a desistência de Nadal de Indian Wells e Miami. Conheço os repórteres de lá e sei que tem ótimos contatos e por isso “embarquei” na notícia divulgada por eles. Mas depois de Acapulco, das exibições de Nadal, do sentimento dele melhor perante ao joelho, fico com a sensação de que ele VAI tentar jogar pelo menos Indian Wells e caso não vá bem em relação às dores, o correto seria descansar durante Miami. Caso opte por desistir dos dois, no cenário de hoje, seria uma surpresa.

O piso rápido é diferente, machuca o joelho e minimiza o poder do espanhol pela rapidez maior do jogo, mas pelo que se viu esta semana, Nadal está preparado para ir bem nos Masters. Eu diria que Nadal está ponto para vencer ou ao menos dar trabalho aos top 3 na superfície. O problema são os jogos anteriores que podem provocar um desgaste em seu joelho. Se ele conseguir passar bem pelos outros jogos, sem se cansar muito e o joelho responder adequadamente, certamente suas chances crescem. Só diria que o desafio Novak Djokovic ainda é um pouco distante para Rafa. O sérvio está com a confiança muito alta.

O sérvio está tendo um começo de ano muito bom. Campeão do Australian Open, agora de Dubai e jogando um tênis firme em todos os aspectos, principalmente no mental. Estaria dando uma pinta que poderia repetir 2011 com mais de 40 vitórias seguidas ? Até o momento são 18 (13 em 2013). Os Masters americanos darão novas respostas.

Curtinhas:

Antes de tomar qualquer decisão, Nadal vai avaliar suas condições esta semana jogando uma exibição contra Juan Del Potro nesta segunda-feira em Nova York, no Madison Square Garden. O jogo é no piso rápido.

Monica Niculescu faturou o WTA de Florianópolis. Curioso seu estilo de jogo com um forehand praticamente só com slices. Peculiar e interessante. Com este jogo ela chegou ao top 30. Prova de que o mental faz toda a diferença. E o físico deixou Venus Williams na mão mais uma vez. É difícil ver a americana capaz de ganhar um grande torneio outra vez. Ela é capaz de aprontar algumas surpresas, mas sua energia não é a mesma de outrora fruto de lesões e da Síndrome de Sjorgren, doença que afeta o sistema imunológico. Uma pena.



MaisRecentes

Nadal aterroriza em Monte Carlo



Continue Lendo

Isner é muito mais que o saque e uma direita



Continue Lendo

O que há com Djokovic ? 



Continue Lendo