Final dos sonhos (ou não)



Sob o ponto de vista plástico, do jogo bonito e do interesse de todos (público, mídia e torneio), a final deste domingo entre Rafael Nadal x David Nalbandian será a dos sonhos do Brasil Open. Certamente a Koch Tavares , promotora do evento, gostaria que a decisão fosse do espanhol contra Thomaz Bellucci, mas o brasileiro caiu na chave para uma eventual semi contra o Rei do Saibro e decepcionou.

Agora resta saber, em primeiro lugar, se teremos essa final, se Nadal vai entrar em quadra. O rosto, gestos corporais e palavras de Rafael Nadal foram totalmente negativos. Ele disse que este sábado foi o pior dia da semana em termos de dor, destacando que a mesma o limitava nos movimentos mais do que nos outros encontros. Foi questionado sobre a final contra Nalbandian e além de elogiá-lo, minimizou as chances por conta das condições rápidas da quadra e dos problemas, disse que esperava acordar melhor neste domingo e quando perguntado se existia o risco de entrar em quadra, não foi firme e deixou no ar “Espero que não (não haja risco de não jogar)”.

É visivel a insatisfação geral de Nadal com o torneio (ele culpa a ATP pelos problemas da quadra e a bola fornecida) e com suas condições físicas. Nadal tem um imbróglio a definir. Se está ruim como detalha, seria melhor conversar seu joelho, mas e o pressão do torneio que pagou US$ 1 milhão ou mais para tê-lo junto com várias outras regalias ? E a pressão do mesmo com o público com todos os nove mil ingressos vendidos ? O que é certo dizer, em um Masters 1000 ou Grand Slam, Nadal não recebe garantias então esse tipo de decisão é mais fácil.

Caso entre em quadra, pelo que vem jogando, se movimentando e pela rapidez da quadra, acredito que suas possibilidade dele contra o argentino seja pequena. Nalbandian tem experiência, já o derrotou duas vezes e tem o jogo para superá-lo novamente. Começando pela devolução de esquerda, variação e ângulos para abrir a quadra e deslocá-lo.

Se Nadal eventualmente melhorar muito da noite pro dia, a tendência é de um super clássico.

Curtinhas:

Que não me venham dizer que a decisão de Rafa deveria ser contra Nicolas Almagro. Mesmo com três títulos aqui, ele não tem um jogo tão vistoso como o argentino e não tem resultados que o credenciam a tal – nunca entrou no top 8, nunca venceu um Masters e sequer passou das quartas de um Grand Slam.



MaisRecentes

Nadal chega em Paris com sobras. Djokovic pode brigar



Continue Lendo

Nadal não será afetado por derrota em Madri. Zverev cresce, mas precisa confirmar em um Slam



Continue Lendo

Triplo 11 de Nadal ?



Continue Lendo