Bellucci. Preparação prejudicada, dores e em busca da alegria



Inegável que Thomaz Bellucci sente a pressão por jogar em casa e sente a pressão quando é tido como o favorito. Um dia ruim como o de ontem acontece, é inerente para qualquer tenista mortal que não se chame Federer, Nadal ou Djokovic. São cerca de 25 até 30 semanas do ano que os tenistas jogam, eventualmente em uma ou outra ele não irá bem e em algumas encaixará seu melhor tênis.

As vaias recebidas ontem se justificam por uma torcida extremamente passional como a brasileira, que tem a cultura do vencer, vencer, vencer e de se dar valor aqueles que correm, chamem a torcida e exibam suas emoções em quadra. Mas o público precisa entender, além do tema abordado acima, que a personalidade de Bellucci é mais contida. Com um estilo de jogo agressivo, se o dia é ruim, a tendência é que o saque não entre e os erros apareçam. Isso não quer dizer que ele não esteje lutando, que não esteja dando o seu 100%. Tênis não é futebol e Bellucci não é o Guga.

O que Thomaz precisa, como bem disse seu treinador, Daniel Orsanic, em bate papo que tivemos esta semana, é jogar mais alegria, desfrutando mais para aliviar as tensões. E parte deste trabalho está sendo realizado pela psicólogica Carla di Pierro. Agora o caminho não é fácil, Bellucci não é nenhum menino de 15 anos e sua característica é essa.

Lesão crônica, preparação inadequada e preocupação para 2013 – Me preocupa muito esse início de ano de Bellucci. Contando a Copa Davis, foram quatro competições e nenhuma delas com duas vitórias em simples. O mais preocupante são as derrotas fáceis para jogadores teoricamente mais fracos (Kavcic e Volandri).

Duas são as explicações. Em nosso bate papo, Orsanic revelou que Thomaz sofre há mais de um ano com incômodos no ombro, dores crônicas por sobrecarga que se acentuaram há alguns meses. Bellucci aliviou o ombro na pré-temporada, não deu certo, teve bastante dor no Australian Open e problemas mais brandos durante a Copa Davis. Por esses problemas ele vem fazendo, com seus fisioterapeutas, um trabalho de correção postural. A cirurgia é descartada e o técnico destaca uma melhora no quadro e confiança em sanar o problema num futuro próximo para jogar sem dor. Orsanic admitiu que em alguns dias dói mais e outros, menos.

Se Bellucci está com dores crônicas no ombro e precisou aliviar o mesmo na pré-temporada, não deveria, em hipótese alguma jogar, o Challenger Finals e as exibições na turnê de Federer em dezembro. Mas o tenista é agenciado pela promotora dos dois eventos e não poderia ficar de fora delas, não é ? De certa forma contribuiu em sua preparação inadequada e pagou o preço na demora da recuperação, que ainda promete levar algum tempo, e em alguns desses resultados nada bons do começo de ano.

E aí meu amigo, sem uma preparação boa, eventualmente com dores, os movimentos e golpes são prejudicados, a tendência é atuar sem confiança e um tenista sem confiança, pouco rende.

A entrevista completa com Daniel Orsanic está aqui



  • Maria Helena de Campos

    Olá, Fabrizio! Gostei muito do seu comentário. Como é bom de se ler uma matéria em que os fatos são realmente apurados e divulgados, de forma clara e objetiva, diferente de alguns muitos comentários que só sabem criticar sem conhecimento algum do que está criticando – críticas fúteis e bem desrespeitosas -. O Thomaz é um grande tenista e tem potencial. Acredito que ele ainda nos dará muitas alegrias. E como você mesmo disse – ele não é o Guga – mas também tem o seu valor. É necessário parar com esta cultura do vencer, que a grande maioria cultua, porque eles só pensam no resultado final e não saboreiam a partida num todo. A vitória é parte do jogo, parte importante, é claro, mas tem derrotas que são bem mais degustáveis do que algumas vitórias sem gosto, sem graça. Parabéns, pela matéria, Fabrizio! Você é um profissional sério e que respeita o atleta e também o público leitor. Muito obrigada!

  • ALberto

    Fabrizio, parabéns pela coluna, abordou muito bem o fato das dores durante os jogos. Como jogador “peladeiro” e com ombro bem bichado sei bem como funciona isso. Sai cada peteleco…

  • Thomásio Belooser

    Simplesmente ridículo mais uma vez. O tenis apresentado pelo Bellucci está pior a cada dia, vai acabar virando tenista amador e bater uma bolinha com a gente no Sesi de Votorantim.

  • adams

    As vaias não afetaram Bellucci. na entrevista após a derrota ele Disse estar “chateado” mas sua fisionomia era de quem ñ estava nem aí. Percebi q o Bellucci era um tenista medíocre, qd ele perdeu pro veterano Nicola Lapentti na Copa DAvis 2009. Lapentti não estava nem em fim de carreira, aposto q nem jogava mais qd foi convocado pelo Ecuador. E ganhou de Bellucci após ter 3 set-games contra si! Quem vaiou Bellucci são ingênuos ou ñ entende nada de tenis. Bellucci me lembra o Luiz Mattar, q era considerado o melhor juvenil do mundo mas nos profissionais, inventou a famosa jogada de “Mattar”: aquela q matava a torcida brasileira de raiva!

  • ANDREI Felipe Camargo

    O Que aconteceu com Federer?fazia tempo que não via jogar tão mal,desde de 2008 ele não perdia pra um top20 em quartas,parece que as jogadas dele não são mais a mesma!

  • lee

    Algum colunista escreveu e eu assino embaixo (kkkk): quando não se tem carisma para ídolo, não adianta.

MaisRecentes

Laver Cup faz história e dá um tapa na cara da Davis. E Bia Maia muda seu patamar no circuito



Continue Lendo

Nadal no Olimpo



Continue Lendo

O enorme coração de Del Potro



Continue Lendo