Incógnitas



Foi definida a ordem dos jogos de Brasil x Estados Unidos nesta quinta-feira. Nenhuma surpresa nas escalações. Thomaz Bellucci abre contra Sam Querrey e Thiago Alves fecha o primeiro dia contra John Isner. Nas duplas, os irmãos Bryan pegam Melo e Soares.

Em uma situação normal eu diria que o Brasil tem pequenas chances com um Bellucci iluminado vencendo seus jogos – o que acredito não ser nenhum milagre – e a dupla repetindo sucesso que já teve sobre os irmãos Bryan. Esse cenário faria um espetacular 3 a 2 para o time canarinho. É bom lembrar, Bellucci jogando fora de casa, sem favoritismo, sempre pressão, costuma atuar em seu melhor nível.

Mas o duelo é rondado de alguns mistérios que dão uma pimentinha a mais no confronto e podem ajudar ou atrapalhar o time brasileiro de acordo com a real situação de cada um. Será que John Isner chega em boas condições ? E será que Thomaz Bellucci também estará em sua plenitude ? Pelas últimas informações que obtive, minha resposta seria NÃO para as duas perguntas.

John Isner revelou no início da semana ainda não se encontrar 100% da lesão óssea no joelho e dificilmente aguentaria os dois jogos de simples. De acordo com informações obtidas no final de semana passado, Thomaz Bellucci ainda sente algumas dores no ombro que vêm desde os torneios da Oceânia.

Sempre gosto de fazer o exercício de pensar como estaria a cabeça de cada capitão quando um time tem algum problema na equipe ou variável para tenistas nas simples ou nas duplas. Cada capitão sempre conta com um ponto aqui, outro ali e precisa pensar sempre nas condições de cada jogador para o domingo.

Por isso busquei entrar um pouco no imaginário do capitão Jim Courier. Se ele escalou o baleado Isner é porque ele, mesmo sem estar 100%, apresenta uma condição razoável de entrar em quadra e mesmo assim é favorito contra Thiago Alves. Infelizmente Alves não vem desempenhando um bom papel nos últimos meses e teve um começo de ano jogando sem confiança e com vários problemas para vencer dois jogos não tão complicados em São Paulo.

Certamente na cabeça de Courier, a opção de Isner veio para tentar fechar o confronto por 3 a 0, no sábado, mas o tiro pode sair pela culatra se, por exemplo, Bellucci derrotar Querrey nesta sexta-feira. Pelo que se sabe, Isner não aguentaria jogar duas partidas de simples. E por quarto jogo como ficaria ? Teria que colocar um dos irmãos Bryan e possivelmente o confronto iria pra um quinto e nervoso jogo ou até seria finalizado com vitória brasileira caso nossa dupla os derrote.

Chances dos brasileiros. Se por um lado Alves não vem em boa fase, terá a motivação de retornar à Davis e o estilo franco-atirador para o jogo desta sexta. Confio que o brasileiro possa jogar bem por esses motivos e também pela habilidade e ajuda do capitão João Zwetsch para tirar o melhor de si. Conseguindo devolver o saque de Isner e balançá-lo em quadra, surge a chance do americano sentir o problema e assim se apressar cometendo mais erros e dando chances.

Em boas condições Bellucci tem tênis sim pra bater tanto Querrey como Isner como dito no início deste post. Vale lembrar que Querrey tem um retrospecto de NENHUMA vitória em QUATRO jogos de Copa Davis (duelos melhor de cinco sets). Mas a incógnita está no ombro. Tanto na Austrália como em Auckland ele sacou mal e foi quebrado várias vezes. E jogar com incomodo neste local contra os dois grandalhões que sacam muito, será suicídio.

De fato, a ótima equipe médica do time brasileiro teve condições de amenizar as dores de Bellucci, mas meu medo é que prováveis jogos longos possam fazer o problema reaparecer. Como todos sabem, o físico do brasileiro é frágil.

Por esses ingredientes, o confronto deste final de semana promete e vale sua torcida. A partir das 17h, no Sportv 2 e no Tênis News, você acompanha os dois jogos de simples, Ao Vivo.

Djokovic critica ITF. Com justiça. Um das respostas foi dada nesta quinta-feira. Novak Djokovic saiu da Austrália na segunda-feira, chegou na quarta na Bélgica, foi treinar e meteu o pau na quadra de saibro coberto, construída sobre uma quadra de basquete. Segundo Nole, a superfície é perigosa e desliza muito. Saibro é um artesanato, é preciso se construir algumas camadas abaixo para depois se colocar o pó de tijolo por cima. Provavelmente algumas dessas etapas foi burlada propositalmente, ou não. E a ITF aprovou.

Se ainda não bastasse o problema das datas da Copa Davis, este ano após Grand Slams, o Masters de Miami e o ATP Finals, você ainda joga em alguns locais novos, com quadras inadequadas e ainda tem a chance de mudança brusca de piso. E a Federação Internacional ainda se torna conivente. Depois reclamam que os tops sempre colocam a Davis em segundo plano…

Só para constar. Federer, Nadal, Ferrer, Del Potro e Tipsarevic são os top 10 ausentes dessa rodada. Para abril, Murray avisou que não enfrentará a Rússia.



  • Maurício

    Muito boa a análise. Agora, minha análise de leigo.
    No lugar do capitão do Brasil, eu estaria me sentindo um PRESUNTO. A boa fase do Bellucci é como o cometa Halley: só uma vez a cada 76 anos. E mesmo assim, quase sempre no saibro.
    Só sinto firmeza no Bruno Soares, mas isto é muito pouco. Isner, com seus mais de 2 metros e na quadra rápida… QUE DEUS NOS ACUDA!

    • Paulinho

      Só posso dizer uma coisa, como sempres vamos passar vergonha com esse Belucci que conhecemos, sem motivação , sem raça, sem alma, sem nada. Meu Deus que falta faz o Guga. Esse belucci é um lixo.

      • Marcio

        Se vc assistiu ao jogo, com certeza queimou a língua…

  • Rafael Burgos

    Se o confronto ainda estiver em jogo no domingo, e o Isner não estiver em condições de jogar, o substituto não seria o Harrison? Por Que um Bryan?

MaisRecentes

Um novo patamar para o Next Gen



Continue Lendo

Touro afia as garras para Roland Garros



Continue Lendo

Maior de todos no saibro, Nadal já pode almejar liderança na temporada



Continue Lendo