Federer quente e um Murray frio. Uma nova estrela ?



Como de praxe, os quatro melhores do masculino estão nas semifinais. Agora sem Rafael Nadal, mas sim com o lutador David Ferrer, que encara Novak Djokovic enquanto que Roger Federer desafia Andy Murray.

O caminho mais árduo foi o de Federer. Eliminou com ótimo tênis e autoridade nomes como Bernard Tomic, Milos Raonic e fez o melhor jogo da rodada e um dos melhores do torneio contra Jo Tsonga nas quartas. Uma partida de alta qualidade, pontos bonitos e muita emoção que mereceu o quinto set.

Os difíceis jogos anteriores deram o ritmo necessário para que Federer chegasse “quente” para um grande desafio e isso pode ser determinante no encontro contra Andy Murray na semifinal.

Andy Murray é o que menos vem tendo trabalho na competição. Está jogando seu melhor tênis. Não. Está com a chave mais fácil. Só pegou baba e quando poderia ter um duro teste contra o destemido Jeremy Chardy, pegou um tenista errático que já saiu sendo quebrado com bobagens. Murray teve os méritos que Del Potro não teve. Conseguiu abrir a quadra na esquerda do rival para dominar a maioria dos pontos. Mas Chardy não foi nem de longe aquele preciso tenista no saque e no forehand como havia sido anteriormente.

Murray teve sua vida muito confortável na Austrália ee isso pode ser ruim pra ele, ter um menor ritmo diante dos rivais. Com certeza, o quente Roger Federer vai entrar com tudo como quase sempre faz em suas partidas e o escocês precisa ficar ligado para não começar numa desvantagem e precisar correr atrás.

Em termos de vantagem física, não vejo tanta coisa assim. O suíço teve seus jogos mais apertados, mas não fez aquelas cinco horas em quadras que Djokovic realizou.

Por falar no sérvio, ele mais uma vez se recuperou rápido da batalha épica contra Stanislas Wawrinka para superar Tomas Berdych. Nem parecia que havia jogado 5h02min, se mexia muito bem e de forma leve em quadra com golpes soltos em três dos quatro sets. É o amplo favorito para bater um David Ferrer que foi acuado pela agressividade de Almagro, mas só ganhou por sua raça, mas com uma histórica amarelada do mesmo.

O pior cego é aquele que não quer enxergar. Almagro sacou para sua primeira semi de Grand Slam e primeira vitória sobre Ferrer em 5/4 no terceiro set e depois duas outras vezes no quarto. Perdeu o jogo e na coletiva de imprensa deu desculpa de problemas físicos. Segundo Almagro, passou a sentir o problema no 4/3 do terceiro set e perdeu firmeza no saque. Se fosse assim ele não teria liderado todo o quarto set e tido outras duas chances de liquidar a fatura. Almagro amarelou sim, mas negou veementemente. Não foi sincero consigo mesmo.

É por essas e outras atitudes e seu comportamento muitas vezes desrespeituoso dentro de quadra que fico com a sensação que ele não merece estar nas finais dos Slams.

Djokovic já está garantido como Número 1 após a Austrália e Federer já defendeu seus pontos do ano passado. A cada rodada que Federer avançar a partir de agora serão menos pontos de vantagem para Djokovic e se vencer o torneio, vai apimentar a briga pelo topo durante o saibro europeu.

E no feminino a praga de Victoria Azarenka (e por que não Maria Sharapova ?) deu certo. Serena Williams vinha comandando bem a partida de quartas de final até travar suas costas, perder rendimento e diminuir sua velocidade no saque. Um torneio com uma praga absurda em cima da americana que lesionou o tornozelo e machucou a boca com uma raquetada involuntária. Mesmo com todos esses problemas Serena quase fez semi e ganhou todos os seus jogos com facilidade, provando sua superioridade.

Mas não vou tirar os méritos de Sloane Stephens. A jovem de 19 anos mostrou personalidade. Ficou um pouco nervosa com a lesão de Serena, mas se controlou. Absolutamente normal. Uma tenista que entra sem nada a perder e de repente vê a enorme chance de ganhar com a lesão da adversária. Muda-se o pensamento e só esta troca podem custar erros e games que na hora eram decisivos. Com agressividade e idas à rede, Stephens conseguiu a virada, se livrar de um break abaixo no terceiro set para vencer. Mostrou personalidade e talento e pode alavancar sua carreira neste torneio. Mas ainda é cedo para avaliar se será ou não uma nova estrela. Victoria Azarenka, Maria Sharapova e Na Li como possíveis respostas.

A briga pelo Nº 1 – Ficou interessante. Serena é a virtual número 1, mas para confirmar precisa fazer uma reza braba para que Azarenka e Sharapova percam nas semis desta madrugada a partir da 0h30. Quem fizer a melhor campanha a partir daqui, Sharapova e Azarenka, leva a liderança. E Na Li já garantiu seu retorno ao top 5. Stephens está neste momento no 17º lugar e se for a campeã será 11 do mundo.

Curtinhas:

O staff de Murray reclamou de favorecimento a Federer pelo suíço fazer jogos seguidos à noite e ele ficar no calor, na parte da tarde. E Murray definitivamente fez os jogos mais complicados para pedir sessão noturna ? A organização, com justiça, avaliou que as partidas de Federer eram as mais atrativas para público e TV. Não tem o que discutir.

 

 



MaisRecentes

Djokovic, o mais completo de todos ?



Continue Lendo

51 vezes Nadal. Uma boa ideia



Continue Lendo

Djokovic está de volta!



Continue Lendo