São Paulo tende a ficar para trás em 2014



A mudança do Brasil Open da Costa do Sauípe para São Paulo, em 2012, foi um GOL da organização. Surtiu efeito no quesito público, enchendo o Ginásio do Ibirapuera, e atraindo melhores jogadores com a proximidade de outras cidades e posição no calendário. Para 2013 a situação será parecida e ainda melhor com a atração de fortes nomes em destaque para Rafael Nadal.

Na noite deste domingo a ATP divulgou o calendário de 2014. A gira latinoamericana passa a ser exclusivamente sulamericana, mantida para fevereiro com todos os torneios no saibro. São Paulo, que era a segunda semana, passa a ser a quarta e última, logo depois do Rio de Janeiro – Viña del Mar, Buenos Aires, Rio e fecha em SP. Acapulco mantém a data, mas migra pro piso duro.

VEJA O CALENDÁRIO 2014 AQUI!

A data e concorrência jogam contra o torneio paulista. Em primeiro lugar o evento é jogado logo antes do Masters 1000 de Indian Wells, na Califórnia, evento sempre de prioridade dos tops. Mesmo que só comece na quinta-feira, o torneio californiano é bem longe de SP, ruim de disponibilidade de voos, tem um fuso enorme e é em outro piso.  Em segundo lugar, SP está na mesma semana de Dubai e Acapulco, torneios da série 500, com o dobro de premiação e pontuação. Ou seja, as grandes estrelas ou até mesmo os tenistas do top 20, 30, terão melhores opções.

A tendência é que o calendário de um top que escolha o saibro sul-americano seja Viña Del Mar e Rio de Janeiro, ou Buenos Aires e Rio de Janeiro, ou as três competições para quem for mal no Chile.

A chance do Brasil Open retornar ao que era alguns anos no Sauípe (BA), esvaziado e com poucos jogadores do top 50, é enorme. Por outro lado, fica a esperança para o torcedor paulista com o investimento da promotora em trazer fortes nomes. Só com uma boa garantia para alguém de peso vir ao evento em 2014. Com o novo cenário, talvez nem uma ótima oferta seja suficiente.

Enquanto isso a posição do Rio de Janeiro no calendário junto com a importância do torneio devem atrair os nomes mais fortes tal como funciona em Acapulco até este ano.

Vale lembrar que Brasil Open e o futuro Rio 500 Open são de promotoras diferentes. O primeiro da Koch Tavares e o segundo da IMX, de Eike Batista e parceira da IMG.

Curtinhas:

Não se sabe onde será o ATP 500 do Rio e WTA que serão jogados na mesma semana. Mas pelo calendário, o evento será no saibro ao céu aberto, o que exclui possibilidades de Ginásios fechados. Como a Olimpíada 2016 será sobre o piso rápido do complexo do Autódromo, essa é outra possibilidade excluída.

O lado positivo do calendário é a semana de descanso entre Paris e o ATP World Finals. Os grandes devem “voltar” ao evento.



  • vinicius cordeiro

    Rio de janeiro está na frente

  • A Gira como um todo ficará mais forte. O ATP 500 do Rio por motivos óbvios será o maior torneio, mas acho que o Brasil Open irá saber tirar proveito da situação. E o tênis brasileiro agradece, agora teremos mais torneios de primeira linha, em 2014 serão 4, 2 ATPs e 2 WTAs.

MaisRecentes

Federer pode sonhar com o Nº 1



Continue Lendo

Murray segue perdendo chances



Continue Lendo

A insana chave de Indian Wells



Continue Lendo