Respeitar é bom, Tomic!



Assistindo ao jogo de Federer x Tomic, notei uma evolução de Bernard Tomic do ano passado para este. O saque mais eficiente, a movimentação – mesmo que ainda deficiente – um pouco melhor fazendo com que seus golpes ficassem cada vez mais precisos e potentes. O que faltou então para ele sair com a vitória ou apertar mais o suíço ? A experiência – vencer os pontos importantes e não começar o jogo levando uma quebra – e consistência para manter o alto padrão por 100% da partida.

Quem não viu a partida ou só assistiu ao terceiro set pode estar me perguntando ? “Ah, o Tomic tomou 3 a 0, levou um pau!”. Só perdeu dessa forma pois do outro lado da quadra tinha um Roger Federer jogando muito tênis. O tie-break era de Tomic com 5 a 3 e saque e Federer desde ali jogou seu melhor tênis, barrou o serviço do rival, se defendeu com maestria e leu perfeitamente a transição de defesa para o ataque.

O que Tomic precisa ? Falar menos. Seguir fazendo seu trabalho sem deixar a peteca cair e nas declarações procurar respeitar mais os principais adversários. Não é porque ele ganhou um título vencendo tenistas só fora do top 20 e bateu Novak Djokovic num torneio-exibição onde a atenção é menor que ele possa vir dizendo que está invicto e que vai derrotar o Federer.

É muito bom apenas para mídia quando se tem um tenista falastrão numa época onde o politicamente correto está em alta no tênis. Ele garante a a manchete.

É bom por um lado para ele se mostrar confiante, que acredita em si, mas por outro, gera um ar de superioridade e cria uma rivalidade, inimizade com outros tenistas e cria uma série de anti-torcedores. Não é assim que funciona para um tenista jovem, com aspectos a melhorar, que sequer bateu a barreira do top 20.

1ª zebra – Inesperada derrota de Juan Martin Del Potro. Confesso que cotava ele para até bater Andy Murray nas quartas e lutar pelo troféu. Mas pegou um Chardsy inspirado, num dia iluminado, acertando tudo e que acuou o argentino com sua agressividade e anulou seu jogo ofensivo também com variação e slices. Chardy teve um dia de top 10. Uma pena que jogue assim por raras vezes na vida. A tendência é que perca na próxima rodada.

Para Del Potro, uma derrota precoce na Austrália significa mais dificuldades para atingir o top 5. Deixou de somar pontos importantes.

Bom mesmo para Murray que vai vendo sua chave abrir até pelo menos a semifinal. Mas precisa melhorar, pois não atuou bem na terceira rodada. Sorte que o rival não exigiu tanto.

Serena de volta – Para quem achava que Serena estava mal, com problema no tornozelo, dificuldades e medo na movimentação, ela deu a resposta prontemente. Em forma ela é sobra no circuito. Coitada da Azarenka, que vem se mostrando um pouco presa no torneio, com altos e baixos. Se bobear nem alcança o grande jogo semifinal com a americana.

 

 

 



MaisRecentes

Nadal chega em Paris com sobras. Djokovic pode brigar



Continue Lendo

Nadal não será afetado por derrota em Madri. Zverev cresce, mas precisa confirmar em um Slam



Continue Lendo

Triplo 11 de Nadal ?



Continue Lendo