Respeitar é bom, Tomic!



Assistindo ao jogo de Federer x Tomic, notei uma evolução de Bernard Tomic do ano passado para este. O saque mais eficiente, a movimentação – mesmo que ainda deficiente – um pouco melhor fazendo com que seus golpes ficassem cada vez mais precisos e potentes. O que faltou então para ele sair com a vitória ou apertar mais o suíço ? A experiência – vencer os pontos importantes e não começar o jogo levando uma quebra – e consistência para manter o alto padrão por 100% da partida.

Quem não viu a partida ou só assistiu ao terceiro set pode estar me perguntando ? “Ah, o Tomic tomou 3 a 0, levou um pau!”. Só perdeu dessa forma pois do outro lado da quadra tinha um Roger Federer jogando muito tênis. O tie-break era de Tomic com 5 a 3 e saque e Federer desde ali jogou seu melhor tênis, barrou o serviço do rival, se defendeu com maestria e leu perfeitamente a transição de defesa para o ataque.

O que Tomic precisa ? Falar menos. Seguir fazendo seu trabalho sem deixar a peteca cair e nas declarações procurar respeitar mais os principais adversários. Não é porque ele ganhou um título vencendo tenistas só fora do top 20 e bateu Novak Djokovic num torneio-exibição onde a atenção é menor que ele possa vir dizendo que está invicto e que vai derrotar o Federer.

É muito bom apenas para mídia quando se tem um tenista falastrão numa época onde o politicamente correto está em alta no tênis. Ele garante a a manchete.

É bom por um lado para ele se mostrar confiante, que acredita em si, mas por outro, gera um ar de superioridade e cria uma rivalidade, inimizade com outros tenistas e cria uma série de anti-torcedores. Não é assim que funciona para um tenista jovem, com aspectos a melhorar, que sequer bateu a barreira do top 20.

1ª zebra – Inesperada derrota de Juan Martin Del Potro. Confesso que cotava ele para até bater Andy Murray nas quartas e lutar pelo troféu. Mas pegou um Chardsy inspirado, num dia iluminado, acertando tudo e que acuou o argentino com sua agressividade e anulou seu jogo ofensivo também com variação e slices. Chardy teve um dia de top 10. Uma pena que jogue assim por raras vezes na vida. A tendência é que perca na próxima rodada.

Para Del Potro, uma derrota precoce na Austrália significa mais dificuldades para atingir o top 5. Deixou de somar pontos importantes.

Bom mesmo para Murray que vai vendo sua chave abrir até pelo menos a semifinal. Mas precisa melhorar, pois não atuou bem na terceira rodada. Sorte que o rival não exigiu tanto.

Serena de volta – Para quem achava que Serena estava mal, com problema no tornozelo, dificuldades e medo na movimentação, ela deu a resposta prontemente. Em forma ela é sobra no circuito. Coitada da Azarenka, que vem se mostrando um pouco presa no torneio, com altos e baixos. Se bobear nem alcança o grande jogo semifinal com a americana.

 

 

 



MaisRecentes

51 vezes Nadal. Uma boa ideia



Continue Lendo

Djokovic está de volta!



Continue Lendo

Um racha no circuito ? 



Continue Lendo