Mundo do esporte chocado. Alerta ao tênis ?



Nesta madrugada, por cerca de uma hora dividi minhas atenções da cobertura do Australian Open com a entrevista de Lance Armstrong à Oprah Winfrey no canal Discovery.

Foram chocantes as declarações do ex-ciclista, revelando o esquema de doping liderado por ele através de transfusões de sangue, drogas, entre outras formas para obter maior performance e conquistar seus sete títulos da Volta da França, a prova mais popular do esporte. Segundo Lance, como até 2005 não existiam testes anti-doping fora da época de competições, todo processo para ganho de peformance por vias indevidas dos atletas era feito na preparação e assim eles ficavam livres. E também desde então os testes passaram a ser mais rigorosos.

Mais chocante da entrevista eram as ameaças de Lance à pessoas que participavam ou sabiam do esquema e que confessavam um ou outro detalhe tal como suas mentiras quando era publicamente questionado ou investigado, dizendo na época ser limpo. Tudo, segundo ele, foi pela obsessão da vitória. Desmoronando para todos a imagem daquele competidor duplamente vencedor, que saiu de um câncer nos testículos para voltar e se consagrar.

Lance só foi pego pois recentemente o ciclismo adotou o sistema de passaporte biológico, que analisa os vários testes de sangue feitos pelos atletas ao longo do tempo e consegue discriminar se houve ou não anomalias que possam ser consideradas doping.

Com tudo isso, parei e fiquei me perguntando. Qual será o número de atletas e esportistas que posam ter participado outrora ou estarem participando de esquemas deste tipo ? Será que o tênis é realmente limpo como se prega ? É um tema delicado, onde não dá para acusar ninguém sem provas, mas é algo a se pensar.
Andre Agassi revelou, há alguns anos, que a ATP encobria seus dopings na década de 90. James Blake declarou há alguns meses que tenistas se dopavam, mas não quis citar nomes. E a mais recente delas. Christopher Rochus, que já foi 38 do mundo e hoje está aposentado, questionou as ausências de Rafael Nadal e Robin Soderling das quadras. Basicamente ele disse ser muito estranho que os dois tenham se afastado das quadras pouco tempo depois de obterem seus melhores resultados e estarem fora há mais de um ano (Soderling) e seis meses (Nadal). Disse ainda ter sofrido represálias da ATP quando acusou tenistas de se doparem no passado e os dopings de argentinos terem sido confirmados.

Difícil para alguém como Rochus falar estas coisas sem ter provas. Fica com a ideia que disse isso por inveja ou para aparecer. Mas fico com uma pulga atrás da orelha quando leio tanto as palavras do belga como os ocorridos citados acima.

É um pouco intrigante ler da boca de Djokovic, Federer, Murray, entre outros, que os testes de sangue no tênis têm diminuído nos últimos anos. Mas ao mesmo tempo a cada semana os tenistas, os principais, reclamam de serem acordados às seis da matina para serem testados. E todos precisam estar disponíveis em qualquer parte do planeta por pelo menos uma hora por dia para possíveis testes. Se falharem três vezes, são punidos.

Obviamente que sempre há um ou outro querendo tirar vantagem e que invariavelmente será pego pelo doping. Mas acredito que o tênis seja limpo e confio no caráter de tenistas como Nadal, Federer, Djokovic, Serena, Murray, entre outros,etc além da dignidade da ATP que nos últimos anos ao lado da ITF e WADA (Associação Mundial Anti-Doping) têm posto um controle mais rígido aos jogadores.

Curtinhas:

Oprah Winfrey é minha forte candidata ao prêmio Pulitzer. Para quem não sabe, é um prêmio americano dado a quem presta serviços de excelência no jornalismo. Oprah não deixa Lance Armstrong fugir de nenhum assunto, questiona ele de outras formas, duas, três vezes, até o ex-atleta confessar e dar detalhes. Faz uma entrevista buscando a verdade e não faz um bate-papo chapa-branca querendo deixar a imagem do entrevistado de coitadinho. Oprah foi sensacional, muito habilidosa.

Australian Open

Djokovic foi testado pela primeira vez num jogo duro contra Radek Stepanek, mas segue sem perder sets. Após o jogo ele detonou Armstrong o chamando de “desgraça” para o esporte.

Crise na Sibéria! Sharapova perdeu quatro games! (risos). Depois de duas rodadas dando bicicleta era esperado muito mais dificuldade contra Venus Williams. A musa russa segue arrasando.

Uma pena, mas Bruno Soares não segue nas duplas mistas por conta da lesão da parceira Anabel Medina, da Espanha. Eles venceram a primeira esta madrugada, mas desistiram. Na noite de hoje, às 22h, tem Soares x Bellucci e Sá na 2ª rodada de duplas do masculino.



MaisRecentes

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo

Emoções no US Open



Continue Lendo