Nadal no Brasil. Muito bom! Mas em quais condições ele vem ?



Conforme o blog informou em primeira mão sobre as negociações, Rafael Nadal e Koch Tavares chegaram a um denominador comum e a promotora anunciou a presença do Rei do Saibro no Brasil Open para o torneio que começa entre os dias 11 e 17 de fevereiro.

Uma grande notícia e um grande gol da promotora conseguir a presença de Rafa por aqui após oito anos de sua primeira aparição quando ainda era uma promessa para conquistar o título na Costa do Sauípe (BA).

Sem dúvida, Nadal é a melhor notícia do principal torneio no Brasil desde a época de Guga. Ele trará ainda mais patrocinadores ao evento e visibilidade perante a mídia do esporte no país aquecendo ainda mais o mercado de tênis que vem recheado de bons nomes e ótimos torneios nos últimos meses. Somente entre novembro e fevereiro teremos a presença no país de nomes como Djokovic, Federer e Rafa com a confirmação de dois WTAs e dois ATPs, um deles nível 500, para a próxima temporada.

A princípio, São Paulo será o primeiro torneio do espanhol em sua volta às quadras onde não joga desde julho. Depois da estranha desistência de Doha e do Australian Open com a desculpa de infecção estomacal – onde dois dias depois estava treinando – é preciso saber se Rafa não vai pipocar em cima da hora. Mas pelo saibro ser uma superfície menos danosa ao seu joelho, não acredito que isto vá ocorrer. A dúvida que paira é a real condição e nível de jogo.

Nadal não vai encontrar aquela moleza em SP. Como o torneio é de 28 jogadores, ele sairá de bye na primeira rodada e pegará um tenista com ritmo em sua primeira partida. E a chave de SP está com bons tenistas na superfície como Nicolas Almagro, Juan Monaco. David Nalbandian e porque não dizer, Thomaz Bellucci. Vai que ele pega logo de cara um Nalbandian babando. A chance de derrota cedo fica latente causando chateação para torcida + patrocinadores/promotora.

É bom que se diga. O diretor do torneio Viña del Mar, Alvaro Fillol, deu como quase certa a vinda do tenista ao seu evento, mas ainda não confirmou. Seria ruim por um lado pro Brasil Open essa confirmação pois tiraria o rótulo do “torneio que mar o retorno do Rei do Saibro”, mas bom por outro já que o espanhol chegaria com mais ritmo.

Conforme relato de jornalistas e dos jogadores da exibição de Federer em dezembro, o Ginásio do Ibirapuera estava uma sauna. É bom que esse problema seja amenizado. Fevereiro ainda é um mês de calor por aqui e pega muito mal ter estrelas e uma estrutura ruim. Se bem que para quem está ganhando US$ 1 milhão ou até mais, não seria tão sacrificante jogar até no deserto no Saara.

Os ingressos já estão à venda e os preços por enquanto accessíveis. É bom que se diga. Nadal só joga a partir da quarta ou quinta-feira.

Venus no Brasil – Dando sequência aos bons eventos por aqui. Venus Williams foi confirmada para o WTA de Florianópolis (SC) que virá no fim de fevereiro, a partir do dia 24. São sete títulos de simples de Grand Slam e muita história. Um ótimo nome e uma lista bem agradável com nomes como a adolescente Laura Robson, que aposentou Kim Clijsters e ganhou medalha com Andy Murray na Olimpíada, a tenista de 42 anos Kimiko Krumm, que se tornou a mais velha a vencer um jogo de Australian Open, entre outras.

O torneio será jogado nas quadras da Federação Catarinense de Tênis com três disponíveis para jogo e outras duas de treino. A CBT tem direito à dois convites e a WTA mais dois. Fala-se em negociações com a francesa Marion Bartoli. Existe a possibilidade de se trazer uma top 10.



MaisRecentes

Nadal chega em Paris com sobras. Djokovic pode brigar



Continue Lendo

Nadal não será afetado por derrota em Madri. Zverev cresce, mas precisa confirmar em um Slam



Continue Lendo

Triplo 11 de Nadal ?



Continue Lendo