Melhores e Piores de Ano



Final de temporada, sem jogos nível ATP do ano, somente exibições rolando. É hora de fazer meu relato dos Melhores da Temporada. Você pode concordar ou discordar. Fique à vontade.

Melhor Jogador e Jogadora – Novak Djokovic e Serena Williams. Numa temporada muito disputada, o sérvio acabou sendo mais consistente e após perder o número 1 o recuperou derrotando Federer na decisão do ATP Finals, torneio que o suíço dominava. Ao suíço faltou melhores resultados nos Slams para ganhar meu voto. Serena quando quer faz o que fez no segundo semestre, dá banho em todas. Fez a número 1 e 2 do mundo, Azarenka e Sharapova, de gato e sapato e ganhou Wimbledon, US Open, Olimpíadas e o WTA Championship.

Melhores Tenistas Brasileiros – Bruno Soares e Teliana Pereira. Só o fato de vencer um Grand Slam já daria o voto, mas Bruninho fez mais, venceu quatro torneios no ano, três no fim de temporada, fechando no top 20. Em segundo lugar colocaria Thomaz Bellucci junto com Marcelo Melo. Melo, com parceiros diferentes, fez duas semis de Masters 1000 e teve outros bons resultados com duas quartas de Grand Slams. Bellucci foi campeão em Gstaad, fez final em Moscou e ótimas partidas contra os tops. Venceu David Ferrer. No feminino, como destaque disparado, Teliana Pereira. Alcançou seu melhor ranking, 159, ganhou três challengers, com finais em mais três competições, e disputou quali dos Grand Slams. Depois de dois anos lesionada, um retorno muito bom e promessa de melhores resultados para 2013.

Melhores Jogos do Ano – Sem dúvida, Djokovic x Nadal da final do Australian Open. Batalha de 6h com muitas reviravoltas, emoção, alto nível de tênis e parte física e uma improvável virada de Djokovic no fim. No feminino, a final do US Open em que Serena salvou match-point e bateu Azarenka numa partida emocionante.

Melhor e Pior Torneio do Ano – Australian Open pelos jogos. Tivemos partidas empolgantes ao longo do torneio como as semifinais tanto de Federer x Nadal como de Djokovic x Murray e Nadal x Berdych nas quartas. O Pior foi a invenção do Saibro Azul de Madri. Fizeram o processo errado, a quadra ficou escorregadia e vários tenistas apresentaram lesões. Mais parecia um piso rápido e de gelo do que um saibro convencional. Recebeu críticas por todos os lados e foi vetado pela ATP.

A Burrada e o Fanfarrão do Ano – Nalbandian em Queen´s. Vencendo a partida ele perde o controle, chuta a placa de publicidade na cara do juiz. de linha que tem a perna ferida. Justamente foi desclassificado e perdeu os pontos do torneio e premiação. Ion Tiriac é o o Fanfarrão. Este deveria ganhar todo ano pois sempre inventa. Depois do insucesso do Saibro Azul ele quer bolas fosforecentes para as próximas edições de Madri e pensa em formato round-robin que já foi testado e não deu certo anos atrás no circuito. Ele é o dono do torneio e como não pode tê-lo como um Grand Slam quer aparecer de alguma forma.

A Tristeza do Ano – Aposentadoria de Roddick. Surpreendente. Perdemos uma grande figura do esporte e um tenista ainda jovem, com 30 anos recém-completados. Chegou ao fim, além do ótimo e eficiente tênis, as engraçadas entrevistas coletivas.

Os Fatos do Ano no Tênis Brasileiro – Título de Bruno Soares nas mistas do US Open e a volta do Brasil ao Grupo Mundial da Copa Davis. Com uma dose de sorte, mas merecido após muitos anos de luta.

Os Jovens Destaques do Brasil no Ano – Thiago Monteiro e Bia Maia. Conquistaram torneios futures e seguem subindo no ranking como ótimas promessas para 2013. Não posso deixar de mencionar Laura Pigossi além de Bruno Sant´Anna e João Sorgi que vêm com ótimos resultados.

Juvenis Brasileiros do Ano – Ninguém, o ano foi bem ruim para nossos tenistas abaixo dos 18, 17 anos. Nada de produtivo. Uma pena.

A caixinha está aberta para você cornetar ou concordar ou até colocar outros destaques ou decepções do ano!

A partir deste domingo vou tirar uns dias de folga. Isso não quer dizer que não escreva, quando der vou aparecer aqui pelo blog.



  • Mauricio

    Pô ficou difícil de discordar. Acredito que Djoko vai dominar cada vez mais o circuito, acho difícil Federer manter o pique. Nadal é uma incógnita e Murray será a maior ameaça daqui pra frente, pelo menos a partir de 2014.

    Quanto aos brasileiros, espero um primeiro semestre melhor do Bellucci, se mantiver o nível pode colar no top 20 dependendo de Roland Garros. Mas uma coisa que já me incomoda é largar mão do Chile e apostar em Buenos Aires, muito mais difícil.

    Torço também pelos nossos jogadores mais novos, apostas maiores na Bia Maia, Monteiro e Clezar. O que aconteceu com T. Fernandes?

  • Clayton

    Discordo de quase tudo.

    O saibro azul pelo menos foi algo diferente meio a tantas quadras lentas e iguais, como o “saibro” do AO (de tao lenta que é a quadra). Isso propicia jogos muito iguais e demorados, com os mesmos maratonistas.de sempre.

    Jogos de 6 horas pra mim so demonstram a lentidao das quadras, processo que fez com que o circuito ficasse cheio de jogadores extremamente defensivos e de jogos similares, na busca pelo erro nao forçado do adversário.

    • Bruno

      Depois não entendem porque o Nadal tem tanta lesão!

      A imprensa (burra) fica achando o máximo o cara ficar correndo por 6h em quadra. Nadal tem 26 anos, e já teve três problemas sérios relacionado ao seu físico.

      até quando?

      • Leandro

        Fera a grande maioria dos jogadores de alto nivel no tenis tem carreira em torno de 10 anos (alto nivel), é simples compare as idades que NADAL e FEDERER dominaram o circuito. Vai perceber que FEDERER foi mais tarde. Ai esta um dos motivos de NADAL ter contusoes antecipadas.
        Abraço.

        • Mauricio

          Foi sensacional aquela final do Australian Open. Engraçado que falam do Nadal mas o Djoko correu mais que ele. Teve de tudo naquele jogo, não só correria. Pra mim foi o melhor jogo de todos os esportes.

    • Augusto

      Po, concordo com o FG e tenho que discordar com voce, meu caro. O saibro azul foi um completo desastre, a quadra era meio rápida, a bola não quicava, e o saibro não deslizava direito… uma combinação de cagadas da direção do torneio, e lógico o tenista que mais adapta à condiçoes adversas é federer, que superou o porradeiro berdych em 2 sets. Em relação ao AO, que pra mim foi o melhor Slam de 2012, “os” jogos de 6h (pq na verdade foi só um, a final) só ilustram o novo patamar físico que o tennis chegou, e que djokovic está implantando e conseguindo dominar. Cada vez mais os sacadores, saque-voleiadores estão ficando pra trás, e os baseliners estão dominando o circuito. E o que isso tem a ver com a lentidão das quadras? em todas as quadras os rallies estão sobresaindo… Nao so no tennis, mas no esporte em geral, a parte física esta chegando ao extremo… e a tecnologia fina das raquetes, que propicia um maior top spin, faz a bola viajar mais, com mais efeito, isso acaba desencadeando em rallies… e não acho “maratonistas”, chamar nadal e djokovic ( que pra mim junto com federer se tornarão os 3 melhores da historia) de maratonistas é nao entender de tennis. Se vc for chamar alguem de maratonista, tente o Ferrer, mas tome cuidado, que tb é um tenista de muito respeito e de tirar o chapéu. abraço

  • Bruno

    Juvenis Brasileiros do Ano – Ninguém, o ano foi bem ruim para nossos tenistas abaixo dos 18, 17 anos. Nada de produtivo. Uma pena.

    http://orlandinho.com.br/resultados-orlando-luz-orlandinho/
    Se isso aqui for um ano ruim e que não teve nada de produtivo eu me recolho a minha ignorância.

    • Bruno

      Só lembrando que o mlk tem 14 anos…

    • Fabrizio Gallas

      Sim, alguns bons resultados no fim do ano, mas por enquanto em torneios mais fracos. Nos últimos anos os brasileiros estavam com bons resultados nos maiores torneios G1, GA, vitórias em Grand Slams.

      • paulo carvalho

        eu diria que a final de duplas em RG pela bia, foi um resultado legal!

  • Cátia

    Gosto muito do Federer, quando falaram que ele já não tinha mais jeito, que não era mais tão bom assim, ele reapareceu e com uma diferença de idade importante para os demais…..Dificil achar um atleta tão bem preparado quanto ele…. Veja o Nadal, por exemplo, um leão, como dizem, mas infelizmente, talvez por todo o esforço e por requerer o máximo o corpo já apresentou mais de 3 lesões importantes….
    Djokovic, não sei sobre sua preparação, não posso dizer, mas apenas sei que o jogador mais completo para mim ainda é o Federer… em todos os sentidos…Natural que o tempo vá pesando….mas com 5, 6 anos a mais ele ainda dá um baile em muitos deles….inclusive no próprio Djokovic, algumas vezes..
    Torço pelo retorno do Nadal, um lutador…

    Mas não sei se todos esses que se encontram no topo conseguirão chegar aos 30 como o Federer….

    Veremos.

    • Beta

      Concordo. E Federer esteve em mtas finais e semifinais.

  • Andréa Yuki

    Olha não querendo te cornetar, mas já cornetando, como você deixa de fora a vitória de Roger Federer em Wimbledon, fato que o colocou de volta ao topo do tênis quebrando recordes de semanas como número 1, tudo isso prestes a completar 31 anos de idade? Quanto ao saibro azul, acho que ele serviu pra mostrar quem realmente é o melhor jogador e que se adapta a qualquer piso. Como você pode ver eu sou super fã de Roger Federer, mas acho que pelas suas escolhas você prefere aqueles jogos intermináveis e jogadores que só pra sacar demoram uma eternidade.

    • Fabrizio Gallas

      Andrea,

      Foi um jogo marcante,mas na minha visão não o melhor do ano a final contra o Murray; Os jogos de cinco sets tendem a ser os mais emocionantes.

      • Andréa

        Fabrizio, senti falta da SF dos Jogos Olímpicos. Delpo x Fed foi um jogo sensacional, na minha opinião beeeeeeeem melhor do que a final do AO.

  • Maria Cardoso

    Concordo plenamente com sua análise.Parabéns pelo blog. Serei uma participante assídua. Bjss..

  • Helio Duartte

    Concordo com a Cátia, o Federer só não arrasa mais seus adversários, principalmente Djoko, Nadal e Murray, porque a idade e o estilo de jogo não o permitem ! Isso claro, é a minha opinião… Se eles enfrentam e apanham feio de um Federer com 30, 31 anos, imagine quando ele estava na sua melhor fase (2004-2007), não há discussão sobre isso !
    Como um bom esportista, ele sempre manteve um ritmo de jogo moderado, sempre pensando no futuro. Agora pra essa galera de 4, 5 e 6 horas de jogo, repetindo isso durante várias vezes no ano, realmente é muito difícil conseguirem chegar aos 30 sem diversas lesões e em tão bom desempenho, e isso não é praga, é lógica ! Respeito Djokovic, Nadal e agora o Murray, mas ninguém é robô, tanto é que o Nadal já apresentou lesão séria esse ano .

  • Beta

    “…sérvio acabou sendo mais consistente e após perder o número 1 o recuperou derrotando Federer na decisão do ATP Finals…”
    Que eu saiba, qdo Federer desistiu do Master de Paris, não tinha mais como concluir o ano sendo nº 1 e, automaticamente, ficou mto mais ‘fácil’ para o sérvio. Tanto é que, mais uma vez, Djokovic não se dedica mto ao Master de Paris.

  • Renan Vinicius

    Concordo com quase tudo que o Fabrizio disse, porém com algumas ressalvas. Djoko, dentre os quatro q venceram slam, foi o mais regular e, como de costume, mais frio nos momentos decisivos. Destaca-se tbm a melhora no aspecto mental de murray ao vencer seu 1o slam, o q faz dele um dos grandes favoritos no ano q vem (menos em RG). Federer ao meu ver surpreendeu ao conquistar varios titulos, mas o desempenho em majors demonstra q dificilmente ele vencera mais um, com alguma chance em wimbledom, apenas. Nadal, no AO, demonstrou q tinha superado a principal dificuldade contra djoko: a irregularidade no revés. Na melhor partida do ano ficou claro o q acabei de dizer, e rafa com alguns erros bobos deixou a vitória escapar, o q deixaria-o com 2 slam em meio ano no circuito (7o RG – 3×1 inquestionável). A incógnita q fica no ar será de como RAFA voltará? Acredito q volte bem, e se isso acontecer, ele pode vencer qualquer major novamente, com serias chances de encostar em federer, seu eterno freguês.

  • Kelly Araujo

    Discordo de muita coisa… Federer com 31 anos voltou ao topo, recorde de semanas como número 1, isso deveria ser louvável, mas a imprensa insiste em destacar estes jogos longos e algumas vezes chatos de Djokovic, Nadal e Cia. Quadras lentas, longas trocas de bolas e nenhuma variação, infelizmente este é o tennis que veremos sem Roger Federer. O Saibro azul de Madri foi muito criticado, mas os jogos foram ótimos e perguntem ao Federer oque ele achou do piso. Não vejo Nadal e Djokovic mantendo o nível de jogo aos 30 anos e correndo atras da bola como estão fazendo hoje.

  • Marcio

    Oi Fabrizio, tudo bom?

    Eu gostaria de destacar a temporada do menino Guilherme Clezar, que é o adolescente (lei-se menor de 20 anos), melhor rankeado pela ATP! Além do mais, venceu um torneio nível Challenger, além de boas campanhas em challengers e futures, finalizando o ano entre os 230 melhores tenistas!

    Na sua opinião, você acredita que o Clezar tem condições de chegar ao top 100 já na temporada de 2013? Podemos ficar de olho em algum outro tenista?

    Abraço

MaisRecentes

O melhor Rafael Nadal entra para a história do esporte



Continue Lendo

Djokovic ou Thiem podem parar Nadal ?



Continue Lendo

Um novo patamar para o Next Gen



Continue Lendo