Coroado



Federer não pode reclamar. Teve as chances, não as aproveitou e pagou caro com a derrota. Não reduziu os erros e tampouco sacou como deveria na hora que mais precisava e também provou do ótimo jogo defensivo e contra-ataques além da valentia do sérvio que durante toda a semana virou jogos (contra Murray e Djokovic) ou saiu de situações complicadas (salvou breaks contra Tsonga e set-points contra Berdych).

A final foi tão disputada e de alto nível como a temporada 2012 e o troféu caberia muito bem de qualquer um dos dois. Por obra do destino, o tenista que fecha o ano como número 1 levanta o caneco com muitos méritos. Djokovic se igualou a Federer com seis conquistas na temporada e fechou o ano com 75 vitórias e 12 derrotas contra 71 triunfos e 12 quedas de Roger.

Na verdade melhor do que eles só David Ferrer que joga a final da Copa Davis e pode chegar aos 76 triufos. Mas a qualidade dos títulos do espanhol é inferior a dos dois primeiros. Ganhou sete torneios sendo apenas 1 Masters 1000. Federer e Djokovic venceram um Slam cada e três Masters.

E com essa cereja no bolo Djokovic termina a temporada quase 2,7 mil pontos a frente de Roger no ranking e só deixa o topo se não fizer semi no Australian Open e Roger conquistar o troféu.

Missão bem difícil recuperar essa liderança logo de cara. Mas nada impossível.

Curtinhas

Pra quem acha que a temporada acabou ainda resta a decisão da Davis neste final de semana e as exibições no Brasil. E para Bellucci tem o Challenger Finals. Vale muito pro brasileiro entrar no top 30 e assegurar vaga como cabeça no 1º Grand Slam do ano.

E foi estranho que a torcida apoiou demais Federer ontem contra Murray. Será grande a rejeição dele em casa ? Estou curioso para ver como será em SP com Federer x Bellucci tamanho é o fã clube do suíço por aqui…Na final deste domingo a torcida estava um pouco mais dividida.

 

 



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo