Definição do Calendário de 2014 adiado para janeiro. Acapulco será no piso rápido



Repórteres argentinos informam, desde Londres, algumas novidades sobre o calendário de 2014. Sebastian Fest, da agência DPA, jornalista radicado na Espanha, aponta que o torneio ATP 500 de Acapulco sacramentou sua mudança para o piso rápido como preparação para o Masters 1000 de Indian Wells e permanecerá em fevereiro. Jorge Viale, do Fue Buena e ESPN da Argentina destacou que a definição das datas oficiais só será dada durante o Australian Open de 2013, em janeiro.

Após algumas reuniões em Londres a ATP segue em debate para uma super mudança no calendário de 2014. Com a entrada de Acapulco no piso rápido cresce a tendência para a morte da gira latino-americana no piso de saibro. Sabe-se que o torneio ATP 500 do Rio de Janeiro, que substituirá San Jose (EUA), deverá ser jogado no piso. Assim sobraria nas mãos de São Paulo, Buenos Aires e Viña del Mar manter ou não a gira no piso lento.

Não gosto da ideia visto que jogadores da região, principalmente os brasileiros, perderiam boas chances de subir com torneios mais perto de casa. Mas precisamos entender o lado dos organizadores que querem melhores jogadores. O engraçado é que a mudança, pelo menos de Acapulco, ocorre dias após o torneio anunciar sua maior contratação da história, Rafael Nadal, para 2013, no saibro.

Outro imbróglio que pode ter motivado esse adiamento da definição do calendário é Paris. O torneio declarou publicamente que quer se mudar para fevereiro. Os motivos foram vistos na semana passada. Com o calendário mais curto e o evento coladinho ao ATP Finals, os tops menosprezam a competição que ou bem ou mal dá muitos pontos e dinheiro.

ATP Finals em Londres até 2015 – A ATP definiu que Londres permanecerá como sede do torneio que re[une o top 8 do ano até 2015. Nada surpreendente. Estádio lotado para 17 mil pessoas todos os dias, muitos patrocinadores e proximidade de local da última série de eventos. Gostaria que a competição viesse para o Rio de Janeiro, mas teria de haver uma outra mudança substancial com pelo menos uma semana de descanso para que os principais nomes viessem ao Brasil. Quem sabe a partir de 2016 ? É possível.

Cadê a coerência ? Os jogadores ameaçam boicote aos Slams, a ATP aplaude a decisão do Australian Open aumentar significativamente a premiação e depois a entidade rejeita o aumento de US$ 800 mil na premiação para o Masters 1000 de Indian Wells com foco nas primeiras rodadas. Cadê a coerência ? Eles querem retomar a rebelião dos tenistas ?

O torneio de Indian Wells mandou a proposta, o Board da ATP votou com empate de 3 a 3 e o presidente da entidade se absteve e até o momento não respondeu um email do diretor do Masters e WTA. O aumento seria de US$ 800 mil para o torneio masculino e outro da mesma quantia para o feminino que já foi aprovada pela WTA.

 



  • Lucas

    Daqui um pouco não teremos mais torneios no saibro, ou vão ficar confinados a abril/maio.

    O ideal mesmo seria transferir IW e Miami para fevereiro e colocar a gira em março, concentrando os torneios de saibro nesses meses e no mês de julho na Europa. Mas não sou louco de achar que isso iria acontecer.

    Então, se forem mudar alguma coisa, que invertam o calendário, colocando o mês de fevereiro só no piso duro (Paris e os outros 250 e 500 no indoor) e transferindo a gira latina para setembro ou outubro.

  • Thank you because of this blog. That’s all I’m able to say. You definitely have made this website into an issue thats eyesight opening not to mention important. You naturally know a great deal about this issue, youve covered so many bases. Great stuff from this area of the internet. Again, thank you because of this blog. “

MaisRecentes

Federer acirra disputa com Nadal



Continue Lendo

Nadal manda recado para Federer. Halep, enfim, realiza



Continue Lendo

Laver Cup faz história e dá um tapa na cara da Davis. E Bia Maia muda seu patamar no circuito



Continue Lendo