Djokovic, o Nº 1. Del Potro e Soares chegam para a briga. Serena impossível



Roger Federer fora de Paris. Não é nenhuma surpresa. Há algumas semanas ele já afirmara da possibilidade em não jogar o evento francês dando prioridade ao torneio na sua casa, na Basileia. Na verdade a ATP buscou reduzir o calendário atendendo pedidos dos jogadores para aumentar as férias e gerou um problema com o Masters de Paris, que acontecia no passado, do mesmo ser colado ao ATP World Finals. Assim, a prioridade ficou com Londres.

Roger tinha a chance, jogando na França, de terminar o ano como número 1 – ganhando US$ 2 milhões de bônus e igualando Pete Sampras com seis anos no topo, mas sua situação era delicada. Precisava vencer o torneio e fazer a campanha impecável em Londres.  Optou por conservar seu físico. Afinal ele não é nenhum garoto de 25 anos mais.

Na verdade Roger se complicou primeiro com a derrota nas quartas do US Open e a queda na semi de Xangai, perdeu pontos preciosos que fizeram a diferença.

Tirando isso, Federer não tem o que lamentar. Aos 31 anos, quando poucos esperavam, fez uma ótima temporada, voltou a vencer um Grand Slam e retornou ao topo passando das 300 semanas no mesmo. A temporada aliás foi a mais disputada desde 2003 e num nível altíssimo com fases boas e nem tão boas de todos os top 4 com um Novak Djokovic mais regular merecendo finalizar como número 1.

E a expectativa cresce para que em 2013 a disputa seja ainda maior com um Andy Murray mais encorpado tendo chances pelo número 1. Ajudará se Rafael Nadal conseguir, em primeiro lugar, um bom retorno, e, em segundo lugar, manter-se saudável até o fim da temporada.

Apesar da definição com duas semanas de antecedência o ano ainda não terminou e teremos interessantes pela frente. Federer sabe, por exemplo, que se for mal em Londres, sua distância para os líderes aumentará e o retorno ao topo custará mais tempo.

Del Potro quebra barreira – O domingo foi importante para Del Potro. O argentino venceu, em um equilibrado encontro, Roger Federer, sua primeira vitória no ano em sete jogos e primeira após três anos. Um triunfo que Delpo precisava acrescentar confiança para o argentino que passará a ficar muito mais perigoso a partir de agora. Ele é um ótimo pretendente para ganhar o Finals e a brigar pelos Slams em 2013.

Serena impossível – A número 1. Só isso que tenho a dizer para Serena Williams. Só não vai ocupar tal posição pois não obteve tanta regularidade no início da temporada. Quando está bem fisicamente e com vontade ela faz isso o que realizou no segundo semestre. Título de Wimbledon, Olimpíada, US Open e WTA Championship. O problema é ela querer de verdade vencer os torneios Premiere que são importantes na contagem de pontos. Se quiser, não tem pra Sharapova, ne, Azarenka e nem outra tenista. A força e o saque fazem a diferença.

Bruno Soares gigante – Uma pena que a dupla Soares/Peya tenha sido formada às vésperas do último Slam do ano. Que final de temporada incrível da nova parceria do brasileiro. Título em Tóquio, Kuala Lumpur, agora em Valência. Para Soares ainda o US Open de mistas e Estocolmo com Marcelo Melo. Sua fase é brilhante e a sintonia é fina com o austríaco.

Os dois jogaram sete torneios juntos e com três canecos vão se colocar entre as 15 melhores parcerias do ano. Mesmo sem chances de ir ao Finals os títulos vem colocando os dois com ranking melhor fazendo com que eles entrem até como cabeças de chave nos principais eventos do ano.



  • Mário Fagundes

    Realmente Federer não tem o que reclamar de 2012. Fisicamente ele não chega bem ao fim da temporada como em 2011, mas ainda assim tem grande chance de vencer o Finals se contornar as “dores” que alegou ao fim da final na Basiléia. E Serena não tem adversárias a sua altura. Mas uma coisa me incomoda: a musculatura hiper desenvolvida que ela tem para uma tenista. Não quero parecer leviano, mas a diferença física para as demais jogadoras do circuito é muito, muito grande. Fabrizio, será que aquela potência e músculos foram conseguidos somente com treinamento e musculação? Falam tanto de Nadal… Você pode me dizer algo a respeito?

    • Fabrizio Gallas

      Sim, Nadal parece ser o mais desenvolvido, Murray vem melhorando e Djokovic ganhou muita resistência, por isso consegue se sobrepor. Federer é pura técnica, com mais idade sua recuperação é menor, não pode jogar toda semana. Até joga e vence, mas quando pega os melhores pode não render tão bem.

      • Sergio

        Fabrizio, o que o Mario Fagundes deixou no ar é um possivel doping da Serena, o que se analizarmos fisicamente apenas, ele tem razão… a Serena é muito mais forte que todas as outras tenistas… até mesmo que sua irmã, que possui uma genética parecida.
        abcs

        • Fabrizio Gallas

          Difícil falar de doping, ela tem mais força e por isso é melhor que as outras

        • Maurício

          Peço-lhe licença p/ dizer o seguinte: por quê uma irmã se doparia e a outra não? Vênus é menos musculosa porque também é mais alta que a irmã mais nova.

        • Mário Fagundes

          Valeu, Sergio! Falar em doping é sempre complicado, mas diante dos episódios envolvendo grandes nomes do esporte no ciclismo, futebol, atletismo, natação, MMA e no próprio tênis (caso de Andre Agassi), não seria apropriado um controle anti-doping mais rigoroso no tênis? Ultimamente alguns tenistas, como o Murray, por exemplo, se manifestaram favoráveis a isso. No fundo, aqueles que estão no circuito tem conhecimento de práticas ilegais, mas por algum motivo, fingem que nada sabem.

          • Alan, Jacobina/BA

            Essa questão envolvendo doping é um tremendo embrólio. Até que se prove o contrário, todos são “inocentes”, em que pesem as muitas suspeitas no circuito do tênis. Porém, o que eu gostaria de comentar é sobre o aparte do Fabrizio quanto aos físicos dos tenistas. Concordo com quase tudo, mas dizer que o Federer é “pura” técnica é fechar os olhos para alguns aspectos. Federer é, sem sombra de dúvidas o mais técnico de todos, o que não nos permite afirmar que sua extraordinária habilidade dispense o exuberante vigor físico que apresente ainda hoje. É evidente que não dá pra comparar com os jovens tops de então, até por conta da sua idade avançada em relação aos demais. Todavia, descansado e motivdo ele, a meu ver, está no mesmo nível dos demais. O Mário Fagundes disse uma verdade, o Federer não termina 2012 no mesmo nível apresentado no ano anterior, é notório. Contudo, a sua condição física (o que envolve leveza de movimentos, velocidade, poucas lesões e vigor físico) talvez seja a melhor de todas. O próprio tio Toni, por exemplo, considera o Federer com melhor físico que seu pupilo. O homem não é recordista e longevo à toa. Apenas acho que a sua genialidade (incomparável) ofusca o seu primor físico.

  • ANDREI

    Del Potro merece um ranking melhor,você não acha?na minha opinião ele poderia muito em ser top 6,o cara é muito bom,é vem melhorando,o que atrapalha ele é as lesões.não digo que seja top 4,mais top 6 ele merece,acho ele no minimo o 6 melhor do mundo.o que você acha a respeito?

    • Fabrizio Gallas

      Andrei, ele é virtualmente o sétimo colocado e pode ser 6 do mundo pois tanto Tsonga quanto Berdych defendem bastante coisa no Finals e em Paris.

  • Maurício

    Oficialmente, o ranking da WTA aponta Azarenka e Sharapova à frente de Serena. Formalidades, formalidades… Até os aprendizes de gandula sabem quem é a melhor. Serena só não fechou o ano como a número 1 por causa da Virgine Razzano, que a eliminou na primeira rodada de Roland Garros, uma zebra histórica.
    Serena também parece ter melhorado no relacionamento com as pessoas. Já não está mais tão arrogante.
    Não acho que ela recorra a anabolizantes. Martina Navratilova era tão ou mais musculosa que Serena, e nunca vi ninguém falar nada dela. Se tivesse usado, hoje estaria um “caco” de gente. Vejo Martina dar entrevistas e até jogar, e parece estar muito bem.

  • Lucas

    Fabrizio, matematicamente falando Soares/Peya tem chances de ir ao Finals!!!

    Isso porque o Stepanek muito provavelmente desistirá do torneio, já que está com o joelho baleado e está se preservando para a final da Copa Davis.
    Então, entraria a 9ª melhor dupla, que no momento é Hutchins/Fleming com 2375 (contando os pts de Paris, onde já foram eliminados). Outras duplas que poderiam passar ou não estão jogando ou já foram eliminadas.
    Peya/Soares tem 1760, com o título fariam 2760 e passariam os ingleses. Claro que seria um resultado totalmente inesperado (ainda por cima tem os irmãos Bryan), mas do jeito que eles vem jogando há uma chance/esperança remota.

    Mas o mais importante é ver que eles se deram muito bem juntos e para 2013, como tu citastes, vão incomodar muita gente grande.

    Grande abraço

    • Fabrizio Gallas

      O Nielsen/Marray estão garantidos pois venceram Wimbledon, então as vagas vão até o sétimo ou oitavo se o Steapenek desistir.

      • Lucas

        Putz, tens razão!!! Tinha esquecido deste detalhe, gastei a calculadora por nada.

        Abraço

  • Henrique

    E a Stosur? Que braço é aquele?

  • eduardo

    Acho impressionante as pessoas não reconhecerem o excepcional talento de Serena Willians, sua
    técnica, sua força mental, enfatizando exclusivamente sua força física. Com essa abordagem limitada poderíamos afirmar que os brutamontes do MMA seriam Top 10 no tenis mundial.
    Haja paciência!!! PS Serena Willians, Roger Federer, Rafael Nadal…………gênios do esporte.

  • LUQUES

    FG, o q vc acha os Tops entregaram os jogos para chegarem bem no ATP Finals???

    • Fabrizio Gallas

      Nada anormal eles são “obrigados” a jogar os Masters 1000 se não recebem pontuação zero nos mesmos (exceto Monte Carlo). Melhor se recuperar bem descansar bem para um torneio mais importante na semana seguinte. Basta você ver se algum top 4 joga um ATP na semana anterior a um Slam ? Não né.

MaisRecentes

Nadal no Olimpo



Continue Lendo

O enorme coração de Del Potro



Continue Lendo

Federer, Nadal ou Zverev ? Quem é o favorito ao US Open ?



Continue Lendo