Bruno ESPETACULAR. Djokovic favorito



Não podia ser diferente meu post de hoje. Veio com certo atraso por conta da rodada longa e jogos emocionantes. Mas o destaque é Bruno Soares. Um dos tenistas nacionais mais carismáticos, boa praça, tranquilo que já vi. Bruninho mais do que ninguém merecia este título.

Dupla mista não dá ponto no ranking – uma pena que isso não ocorra -, mas dá muito prestígio e fica no currículo como UM TÍTULO DE GRAND SLAM. Ele é o primeiro brasileiro campeão de um Major após 11 anos (Guga em Roland Garros 2001) e quinto tenista do país a vencer um Major se igualando a Maria Esther Bueno, Thomaz Koch, Guga e o juvenil Tiago Fernandes.

Para ampliar o feito de Soares. Ele derrotou, com Ekaterina Makarova, sua parceira, Bob e Mike Bryan, só os dois maiores vencedores de duplas, Kim Clijsters, e os ótimos Matkowski, Cermak, tops na categoria.

Além do título no US Open nas mistas, Bruninho fez excelente campanha nas duplas com seu novo parceiro Alexander Peya. Isso pode gerar uma ótima confiança para um tenista que vinha num ano de altos e baixos e com troca de parceiros.

Que Bruninho siga como a pessoa que é e trabalhando como sempre trabalhou. Sua conquista abrilhante ainda mais sua trajetória que já é excelente no esporte. Parabéns campeão!

E Djokovic continua impossível sem perder sets no US Open. Em um jogaço derrotou Juan Martin Del Potro em três sets. Seu saque está firme, suas devoluções mais ainda a parte física na ponta dos cascos. O que ele tomou de bordoada e contra-atacou na noite desta quinta foi algo impressionante. Voltou a ser aquele Djokovic número 1 do ano passado. Tudo o que fez hoje e vem fazendo no US open o creditam como favorito destacado ao título.

Lamento por Del Potro. Jogou muito bem, perdeu uma chance na segunda etapa, mas foi muito mais mérito do sérvio do que demérito seu. Certamente o argentino não desanimará com esta queda, ele aos poucvos se aproxima dos tops e já já começará a vencê-los.

Minha final. Vou arriscar num Djokovic x Berdych. Murray, jogando na parte da tarde no sábado, o que deve acontecer, não vai aguentar o confiante tcheco. É um palpite, um feeling. Não me batam se eu errar. Não tenho uma lâmpada mágica.

No feminino estou temendo pela segunda semifinal ser outro jogo de 50 minutos. Serena tem muito mais bola no piso rápido do que Sara Errani. Talvez as bolas altas da italiana incomiodem, mas pelo que vi dela, Serena tende a atropelar. E na outra semi favoritismo leve para Azarenka que parece mais firme e consistente que Maria.



MaisRecentes

Zverev tem tudo, mas ainda falta muito. Estranho, não ? 



Continue Lendo

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo