Na torcida…



Thomaz Bellucci fez uma boa partida contra Jo-Wilfried Tsonga. Pena que jogar bem não basta para vencer este tipo de jogador. É preciso estar excelente. Foram cinco break-points no ínício do segundo set, alguns perdidos com erros e outros por conta do potente serviço do rival.

No geral, Bellucci fez duas boas partidas no piso rápido. Venceu Marcos Baghdatis, que é respeitado neste piso (já venceu torneios e fez final do Australian Open), pela primeira vez em três jogos e atuou bem contra Jo-Wilfried.

Acaba sendo um pouco de dúvida se o brasileiro poderá desempenhar bem e passar da segunda rodada pela primeira vez em Nova York. Em primeiro lugar pela pouca preparação. Ele preferiu mais descansar e treinar do que jogar. Deixou de buscas o quali dos Masters de Toronto e Cincinnati perdendo a chance de subir posições no ranking que o colocariam como cabeça de chave no US Open.

Sendo assim, o brasileiro irá solto na chave que será sorteada na tarde desta quinta-feira. E aí é rezar. Thomaz cruzará com um dos 32 cabeças de chave na estreia ou na segunda fase. Pode encontrar por exemplo com um Federer ou Djokovic de cara. Mas nas últimas semanas a sorte não tem ajudado. Em Wimbledon pegou Nadal na estreia, na Olimpíada Tsonga e agora em Winston-Salem um Baghdatis e a seguir o cabeça 1. Um ajudinha dos Deuses do Tênis não cairia mal dessa vez não é ?

E os brasileiros largaram mal no quali do US Open. Júlio Silva e Thiago Alves não ganharam um set na estreia assim como Clezar. Hoje mais quatro jogam: Feijão, Mello, Kirche e Teliana Pereira. Na torcida.



  • Mauricio

    Bellucci poderia ter descansado e tal. Mas poderia ter jogado pelo menos o quali de Cincinati. Já tinha perguntado em outro post, ele volta a jogar no saibro esse ano?

MaisRecentes

Federer acirra disputa com Nadal



Continue Lendo

Nadal manda recado para Federer. Halep, enfim, realiza



Continue Lendo

Laver Cup faz história e dá um tapa na cara da Davis. E Bia Maia muda seu patamar no circuito



Continue Lendo