Nadal só em 2013 ? Não se pode apressar…



A falta de Rafael Nadal é muito sentida por qualquer torneio. Símbolo da raça e da competitividade, o espanholl acumula fãs por todos os países, inclusive a Suíça, país de seu maior rival, Roger Federer. Nadal atrai muito público e interesse para o tênis,  além de ser uma ótima figura fora de quadra, cavalheiro e sempre respeitoso com qualquer adversário.

Não é a primeira vez que Nadal tem um problema mais sério no joelho que o tire por meses das quadras e de Grand Slams. Em 2005 foi o primeiro caso, a dor era no pé, ficando fora do fim da temporada, depois em 2009 onde perdeu Wimbledon e agora em 2012. Mesmo com todos os tratamentos e com uma mudança de postura sobre os pisos mais rápidos jogando dentro de quadra e de forma agressiva, Nadal segue tendo um jogo brutal para o corpo, com bastante defesa, correria e ataques somente na hora certa. Se há alguma dor que o limite a fazer este jogo na plenitude suas chances diminuem então logo é melhor tratar.

Lembro de 2009 onde todos questionavam até uma aposentadoria de Rafa e eu apostava que ele duraria até os 25, 26 anos. Hoje Nadal chegou a esta idade e após passar por todos esses problemas acumulou a experiência de que não pode se arriscar a agravar tal problema crônico. Afinal de contas ele já ganhou todos os Grand Slams e Olimpíada.

Mesmo com todos os títulos conquistados o Touro ainda é jovem e tem alguns anos pelo circuito. Não tenho dúvidas que ele voltará a jogar no mais alto nível e provavelmente mais furioso do que já é. É preciso também ter paciência pois seu retorno ao bom tênis demore um ou dois meses para aparecer, algo natural visto que lhe faltará ritmo, confiança e talvez terá um pouco de medo (com a lesão mesmo) nas primeiras partidas.

Ano que vem ? Toni Nadal deu entrevistas ontem à imprensa espanhola e afirmou que não esperava ficar parado tanto tempo, mas que é necessário para evitar agravar o que disse ser “um novo problema no joelho” (não especificado) e evitar uma cirurgia. Na Sala de Imprensa de Cincinnati, meu amigo argentino Jorge Viale, da ESPNDeportes.com destaca que comenta-se que Rafa só volte em 2013. Médicos espanhois estudaram o caso de Nadal e afirmaram que demanda três meses de tratamento. Um deles já foi, então na teoria ele retornaria em outubro. Vamos aguardar os próximos capítulos.

O que mudará para Nadal ? Enxutar ainda mais seu calendário, evitar algumas exibições desgastantes sobretudo durante a temporada regular. Nos últimos anos no meio dos Masters de Indian Wells e Miami foi jogar exibição na Colômbia com o Djokovic. Por mais que a grana seja boa ele precisa se resguardar.

O que é fato sobre o US Open. A ausência de Nadal coloca mais responsabilidade em cima dos três melhores do mundo, Federer, Djokovic e Murray, com o caminho mais aberto para o título. Federer e Djokovic vão torcer para ficar no lado sem Murray para uma provável semi, mas precisam abrir o olho com o ex-campeão Del Potro, meu favorito para formar a semi com eles. A saída de Rafa abre espaço para três tenistas que correm por fora – Tsonga, Berdych e Ferrer – ou zebras como Raonic, Isner dentro outros.

Curtinhas:

Os favoritos estrearam bem em Cincinnati tirando o primeiro set de Novak Djokovic, bem irregular contra Andreas Seppi.

Não estou gostando das vitórias de Nikolay Davydenko em Cincinnati. Não seria nada bom ele retomar a confiança justo agora na reta final há menos de um mês da Copa Davis contra o Brasil em rio Preto (SP). Todavia o time russo não está definido para o confronto.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo