A Ressaca Olímpica. Djokovic e Murray de olho no ranking



Não poderia ser diferente. Um Masters 1000 logo após os Jogos Olímpicos em outro continente, outro tipo de quadra e com um fuso horário de 5h. Resultado: desistências de Roger Federer, David Ferrer entre outros e derrotas precoces de Juan Del Potro e Jo-Wilfried Tsonga. Andy Murray apresentando logo em sua estreia uma lesão no joelho, mesmo vencendo fácil, e tenistas que estiveram em Londres fazendo muito esforço para avançar pelo cansaço extremo. E com todo respeito, Jeremy Chardy e Marcel Granollers se enfrentando por vaga nas quartas.

Não podemos colocar Rafael Nadal nesta lista pois está lesionado e sequer foi para Londres. Mas é a primeira vez desde o Masters de Paris em 2006 que tanto o espanhol quanto Federer não fazem parte de um torneio deste porte ao mesmo tempo. É uma dor de cabeça para qualquer diretor de Masters, mas é fruto do calendário apertado do tênis que este ano teve que se adequar por conta da Olimpíada.

Aguardo ansiosamente para saber o que será feito na Rio-2016 que começa no dia 5 de agosto, justo em cima dos Masters americanos. Mas por conta do aumento dos torneios na grama, virá uma mudança significativa a partir de 2015.

Na verdade Federer e Nadal não tinham muito a perder em Toronto e por isso não fizeram força para vir. Roger descarta 90 pontos e se manterá no topo e Nadal perdeu na estreia. Quem terá que batalhar mais é Djokovic que defende o troféu e uma derrota precoce o colocaria praticamente sem chances de retomar a liderança até o US Open (defende final em Cincinnati e o título em Nova York). Assim a obrigação de Nole, mesmo de ressaca pelas duras derrotas em Londres, é alta.

Murray também não defende nada, só na semana seguinte em Cincinnati, mas pode, com o troféu ultrapassar Nadal e ser o número 3 do ranking por pelo menos uma semana. Algo significativo, mas que pode o prejudicar por exemplo tanto para Cincinnati quanto para seu descanso visando o Aberto dos Estados Unidos.



  • Mauricio

    Fabrizio, você vê o Djocko com um mental não tão forte como no ano passado ou foram os outros top 4 que cresceram esse ano? Fisicamente não o vejo mais fraco que ano passado.
    Em relação ao Bellucci, quando ele recomeça mesmo? Só no US Open?

    • Fabrizio Gallas

      Djokovic caiu sim mentalmente e vem perdendo perdendo alguns jogos no detalhe que não perdia ano passado. Bellucci joga Winston-Salem e depois US Open

  • Eduardo

    Nadal desistiu tambem de Cincinnati e é dúvida pro US Open.
    Djokovic defende muito até lá.
    Murray deve tomar o numero 3 do espanhol e pode ameaçar o sérvio
    Federer tem tudo pra virar o ano ainda como n°1.
    Quem diria que estaríamos hoje nessa posição, no inicio do ano, depois do aberto da Austrália?
    Nadal e Djoko vão dominar o circuito nos próximos anos, diziam os entendidos!!!
    O mundo, inclusive do tênis, gira!!!!

  • Maurício

    Não sei até que ponto os “entendidos” entendem. No caso de Nadal, mesmo eu sendo leigo, percebi que se o indivíduo é operado dos 2 joelhos e fica jogando e treinando direto e reto, força o corpo além do limite. E dá nisso.
    Ele deveria pensar duas vezes antes de se inscrever num torneio, ainda que isto lhe custe pontos a defender. Nada de ficar tomando anti-inflamatórios e analgésicos, além de se enfaixar que nem uma múmia.
    É bem sabido que tenistas profissionais, bem como outros atletas, recorrem a medicamentos paliativos, que resolvem o problema só temporariamente.
    É preciso dar tempo ao corpo e ao tempo, algo que Nadal só está fazendo agora – que a dor veio com tudo.
    O calendário do tênis não dá muita brecha para repouso preventivo, e isto a ATP deveria mudar.

  • Edmárcio

    Com tudo que vem acontecendo a change do Sr. Federer continuar no topo, ganhando tudo é muito grande… Nadal e Murray lesionados, e Nole com a pressão toda em cima dele.

    Agora vcs entender pq cara como Federer estão sempre no topo, são diferenciados… não sofre como os humanos comuns uauhahuauaa.

  • Edmárcio

    Mais um fora para Cincy… Tsonga… Federer tem o caminho mais fácil do mundo esse ano, só Nole pela frente… isso se ele sair vivo de Toronto tendo que jogar dois jogos por dia uahuhuahuahua.

  • Juliano

    Fabrizio, vc sabe porque nenhum atp 500 esta sendo televisionado pelos canais de tv a cabo? algo relacionado a contrato? temporada passada todos foram televisionados por um unico canal.

  • É bem verdade que hoje a prespectiva para o resto do ano vai ser:FEDERER 31 anos jogando 75% do que pode,termina em primeiro de novo! vocês me perguntam por quê? ora… porque ele é ROGER FEDERER e joga tênis com o menor esforço já visto até a época atual;A facilidade do suiço é algo a ser estudado…

  • Sílvia

    Realmente o mundo gira. O ranking da ATP é feito de momento, e o momento atual é do Murray e do Federer.
    O Murray vem ganhando estabilidade psicológica, a mesma que Djokovic ganhou em meados de 2009/2010 e fez o ano de 2011 que fez.
    O Federer vem constante como sempre. Fazendo o seu jogo sem se cansar e voltando ao topo. Mas uma coisa deve ser dita sobre isso: ele encontrou pelo caminho um Nadal lesionado e um Djokovic mal psicológicamente ao chegar até lá. Não que ele não fosse chegar, ele é um dos melhores preparados atualmente para isso. Mas no momento em que ele enfrentou alguém que não tremeu e que está com a precisão a todo vapor, aconteceu o que vimos na final olímpica: um sonoro 3 a 0 do Murray em cima dele.
    Então é muita calma nessa hora. Ele está no topo, mas não é inalcançável. O Murray está vindo aí e está atropelando (aliás, ele já vem aumentando a força desde as 8as de Roland Garros – perdeu para o David Ferrer nas 4as fazendo uma partida muito boa – e durante Wimbledon).
    E quanto a Nadal e Djokovic? Só o tempo vai dizer. O primeiro precisa resolver (e tomara que consiga) os joelhos. O segundo precisa resolver a vida fora de quadra (também torço muito para que consiga – foi muito legal ver a comemoração dele depois da vitória sobre o Tommy Haas em Toronto). Aliás, eu senti falta do Vajda nos jogos do Djokovic nessa semana que passou. Alguém sabe por que ele não foi?
    O top 3 vai ferver daqui pra diante, e vai ser muito legal de acompanhar. 🙂

  • Vanessa

    Simpatia Escrever o nome dela embaixo do pé esquerdo e bata no chão por 3 vezes dizendo: Debaixo do meu pé esquerdo, te prendo, te amarro, e te mantenho pelo poder das 13 almas benditas. Que assim seja, assim será, assim esta feito. Que você venha me procurar, dizendo que me ama e quer ficar para sempre comigo. Enquanto você não vier, não irá comer, nem dormir e nem terá vontade de outro homem ao seu lado a não ser eu. Assim seja e assim será assim está feito. (Publicar no mesmo dia 4 vezes, e se sonhar, não revele o sonho a NINGUÉM! )

MaisRecentes

Maior de todos no saibro, Nadal já pode almejar liderança na temporada



Continue Lendo

Bellucci se reencontra



Continue Lendo

Rep. Tcheca seria o melhor rival do Brasil na Copa Davis



Continue Lendo