Enfim, Murray! Federer na Rio 2016 ?



Estava certo que uma hora Andy Murray iria desabrochar na final de um torneio importante. Uma Olimpíada obviamente que não é um Grand Slam, mas vale demais para qualquer tenista. E o escocês finalmente jogou seu melhor tênis deixando a pressão de lado por uma competição tão valiosa num palco tão importante e diante de um gigante do esporte.

Estou chocado com a tamanha facilidade de Andy Murray na final deste domingo. Chocado com o nível de atuação técnica, tática e mental que o britânico alcançou e com o nível de pressão que Federer sentiu.

Conseguiu se safar com seu grande saque apenas no início do jogo, mas depois sua arma perdeu confiança e acabou ficando vulnerável com tamanha precisão, consistência e agressividade de Andy no fundo. Federer pecou na devolução. Não conseguiu pressionar Murray mesmo com o baixo aproveitamento de serviço do escocês, 51%.

Nestas decisões sempre um game ou outro pode se tornar chave. Hoje foi o 2/0 da segunda etapa. Murray acabara de vencer o primeiro set e podia ficar com vantagem e Federer podia recuperar-se para iniciar a virada. O suíço perdeu um caminhão de breaks e a partir dali não foi capaz de reagir. Em Wimbledon no fim da segunda etapa foi assim, Federer se safou de breaks e em seguida fechou a segunda etapa embalando. Hoje foi o dia de Murray.

Quer queira, quer não, Federer carregará por sua carreira o status de não ter conseguido um OURO em simples na Olimpíada. O torcedor mais fanático – são milhares pelo Brasil – vai valorizar o OURO nas duplas como tal, mas no sentimento do tenista é apenas uma consolção, mesmo que diga o contrário nas entrevistas coletivas. Para Federer, na minha visão, perder esse OURO, doi muito mais do que doeria para Andy. Afinal esta é sua quarta Olimpíada, chegando em três delas como favorito. Sem dúvida Federer gostaria muito de trocar um dos sete Wimbledons que ele tem pelo título Olímpico de hoje.

Vendo pelo lado positivo a derrota de Federer pode lhe dar mais motivação para estar no Rio-2016. A grande pergunta é: será que Federer tem pernas ? Conservar energia é uma grande característica do suíço e por isso que perto dos 31 anos (completa a idade na quarta-feira) ele mostra tênis de número 1 do mundo. Mas em um ciclo de quatro anos muita coisa acontece. Tomara que ele venha.

Outro problema a se discutir. Provavelmente os Jogos do Rio serão no piso rápido por conta do calendário de torneios na superfície. Um imbróglio para a ATP/WTA resolver com a ITF. A Olimpíada carioca começa no início de agosto justo no meio dos Masters 1000 e WTA Premiere. É possível que tenhamos por exemplo um Masters antes dos Jogos e outro logo depois e Wimbledon acabando umas duas semanas antes destas três competições após a mudança de data do Grand Slam que vai ocorrer a partir de 2015.

Se por acaso o Rio optar pelo saibro certamente vai diminuir o interesse dos grandes e consequente de Federer que teria menos chances.

E louvável a recuperação mental de Del Potro para bater Djokovic e ser Bronze. Conquista que vale OURO para ele e que também injeta aquela confiança para poder brigar pelos Masters e até pelo US Open. Esse argentino é muito bom, lutador e humilde. Merecia muito a medalha e merece voltar ao top 5, top 6.

E agora com esta conquista e com o tênis confiante que está mostrando, Murray está cada vez mais maduro para vencer seu Slam e preparado para brigar cabeça a cabeça no ranking com os top 3. A situação da ATP ficará assim. Federer com 11435, Djokovic com 11270, Nadal com 8905 e Murray com 8120. Delpo passará a ser o oitavo do mundo.



  • DOMENICA

    Federer vem jogar para o Rio 2016 com raquete, bengala, óculos e cachecol….me deixe, viu?

    • Fabrizio Gallas

      Ele de bengala ganha de mta gente boa do top 20 por aí viu ?

    • Kalline

      Domenica, fica claro que vc não acompanha a carreira do Federer! de todos os tenistas do mundo, ele é o que se desgasta menos, que menos sofre contusões, tem toda possibilidade de jogar 2016 só não joga se não quiser, ele terá uma longevidade que nenhum tenista terá por sua característica nata.

    • rui costa

      o rafinha parece k vai ao rio jogar os olimpicos em uma cadeira de rodas,viu domenica rsrsrs..
      o seu queridinho nadal esta todo mamado,podre…ja nao joga cincinatti..foi uma pena o murray desistir
      em toronto,e eu ia ver o rafinha despencar para 4 lugar rsrsrs…federer nao se lesiona nao.ate com mononucleose ele joga…rsrsrs ..vida longa ao rei do tenis…

      • o nadal ja vai cair pra 4 do mundo, ate pq ele naum vai jogar o us open… e com esse joelhinho baliado num sei se xega no rio 2016…
        olha soh na real o nadal soh se salva nas temporadas por conta da temporada no saibro… de 50 titulos dele, 60 eh no saibro…
        vida longa ao rei federer!!!!!!!!!!!

  • André T.

    nao sei o pq desse sina toda em cima do ouro simples e dupla. pra mim ouro é tudo igual, ganhar em simples é tao dificil qto em dupla, tanto que até os bryans que sao super favoritos em duplas por jogarem o circuito já com um compatriota só ganharam agora após anos e anos de dominio. a imprensa bota isso como simples ser o melhor pq pra mim nao vejo diferença alguma. se fosse de duplas mistas ai sim podia até desmercer.

    • matheus raddi

      Mas por que poderia desmerecer a dupla mista?
      No meu ponto de vista o SIMPLES tem um gostinho especial por ser um mérito individual.
      Quanto as duplas, penso que tem o mesmo valor as masculinas, femininas ou mistas.

    • Fabrizio Gallas

      Ouro é muito importante e tão difícil nas duplas, mas nas simples é mais ainda e a carreira do Federer é mto mais importante e dominadora nas duplas do que nas duplas. Ele fica mto contente com o Ouro nas duplas, mas sem dúvida queria ganhar muito mais nas simples.

  • Pedro

    Comentarista fraco. Devia observar e aprender com outros.

  • matheus raddi

    Embora o resultado da partida tenha sido bem superior pro Murray, vale lembrar que o número de breack-point dos dois jogadores foram quase o mesmo. O Federer estava irreconhecível com o número de erros não forçados. E o Murray aproveitou-se disso jogando com consitência e agressividade (boa característica que ele não costuma usar). Mérito para o britânico? Claro! Mas o jogo poderia ter sido melhor se Federer tivesse mais em quadra

    • Fabrizio Gallas

      Federer perdeu uns cinco breaks só em um game, o game-chave, o 2/0 do 2º set.

  • Ivan

    Fabrício, achei muito elegante do Federer não culpar a batalha com o Delpo. Soube dizer isso de outra maneira, que é como aconteceu mesmo. Ali, talvez, no dia seguinte, tenha se dado conta que a pressão e as emoções canalizaram-se todas na semifinal e que pouco sobraria para hoje. Não bastasse isso, enfrentou um britânico jogando em casa, jogando muito e decidido a compensar a perda de WBD. Vejo muitos por aí evitando dar essa “desculpa”, mas agora é hora de saber que é natural as coisas serem assim. Não havia mais mental suficiente…Talvez as coisas se equilibrasse, nessa parte, se o jogo fosse contra o Djokovic. Vai me dizer que não passa pela cabeça do cara, depois do Del Potro, depois de WBD, da frustração do Murray, que reunir forças para frustrar o escocês diante de sua torcida de novo fosse demais? E isso não é não querer a derrota, é mais terminar se resignando da situação. É o retrato: com o Murray jogando do jeito que estava, com o mental devidamente nutrido, uma grande força mental deveria estar à disposição. E que chances isso tinha pra acontecer? Poucas face à situação, médias ou normais em outra. Ganhar torneios em situações assim, às vezes, é questão de sorte. É bom lembrar que Nadal, ainda que merecendo, ganhou Pequim com um pouco disso. Torneio na China, Federer fora, Djokovic dando o jogo num smash (ou em alguns pontos) e Gonzales na final. Mereceu? Sim. Soube aproveitar as circunstâncias. O esporte é isso. Todo atleta é humano. Murray mereceu ganhar, se recuperar de WBD e jogar um torneio perfeito. Se o jogo com o Federer/Del Potro tivesse sido mais curto, teria perdido? Quem vai saber? Teria ganho de 3 a 2… Ou 3 a zero com triplo 6/4… Ficou claro que faltou mental para o Federer, mas isso não tira um brilho sequer da medalha do Murray, nenhum. E o legal do tênis é justamente isso: a possibilidade de ver que nunca haverá um melhor da história, mas sim um grupo dos melhores, que valorizam as conquistas uns dos outros. É uma libertação dessa sanha absolutista que vivemos hoje, desde que queiramos enxergar assim.

    • Fabrizio Gallas

      Sim, não acho que o físico possa ter pesado até porque o jogo de hoje foi rápido, mas sim a parte emocional, a tensão do jogo anterior e a pressão por talvez ser a última chance do Ouro em simples.

  • Paulo Fernandes

    O Fabrizio, vc faz umas colocações no mínimo estranhas…”o Federer sentiu a pressão”, é? Vc acha isso mesmo? Será o Benedito que toda vez que o suíço perder vc dirá que foi por demérito dele e nunca é por mérito absoluto do adversário, como foi o caso do Murray nesta Olimpiada? O Federer, na sua opinião, deve ser um “qualquer coisa”, né? Porque se vc acha de verdade que ele “sentiu a pressão” a esta altura do campeonato e que isso foi o motivo da derrota dele, então, camarada, os Slams que ele ganhou até hoje foram obra do acaso, é isso? Me poupe, hein!!!

    • Fabrizio Gallas

      Como está no texto o Murray jogou demais também, mas o Federer poderia ter atuado melhor, se estivesse muito bem esse jogo no mínimo teria três sets duros e não seria o passeio que foi. Federer estava abalado emocionalmente, sentiu a pressão sim de ganhar o Ouro. Acontece com os melhores, todos já sentiram.

      • Paulo Fernandes

        Discordo em gênero, número e grau!!! O Murray ganhou o jogo com facilidade porque ele esteve bem em todos os fundamentos e anulou com o jogo dele qualquer possibilidade de reação do Federer. Esta é a verdade da final olímpica de hoje.
        E tem mais, jogando como ele jogou hoje contra o suíço na final e ontem contra o Nole na semi ninguém leva fácil dele qualquer partida, incuindo o espanhol baloeiro. Duvida?

        • Fabrizio Gallas

          Mas o Djokovic dificultou bem mais ontem pro Murray que o Federer fez hoje. Federer quando é o verdadeiro Federer no mínimo dificulta bem o jogo.

          • Paulo Fernandes

            Dificultou o que, Fabrizio? O Murray meteu 2 a 0 no Nole com a mesma autoridade que enfiou 3 a 0 no Federer. Repito o que já disse: Murray jogando nesse nível da semi e da final, vai ser ruim ganhar dele daqui para frente. A pergunta que fica é se ele, o Murray, vai manter esse mesmo nível de jogo consistente e agressivo a partir de agora ou se vai voltar àquele jogo de “bolas de segurança”, porém sem impacto nos momentos decisivos e importantes contra Nadal, Federer e Nole, mesmo que seja evidente a sua imensa categoria que o torna o sucessor natural do Federer quando esse se retirar do tênis profissional.

          • Fabrizio Gallas

            7/5 7/5, Djokovic com vários breaks no segundo set e Murray fechando o jogo aproveitando a unica chance que teve. Djokovic dificultou bem mais que o Federer.

          • Paulo Fernandes

            Dificultou igual a uma “viúva virgem”, pois perdeu da mesma forma e em sets diretos (2 a 0) e, pior, sequer levou medalha, uma vez que tomou outra cacetada em sets diretos na disputa pelo bronze…

          • Fabrizio Gallas

            Cacetada é tomar 6/1 6/2, 6/2 6/0 e não 7/5 7/5 ou 7/5 6/4

        • Paulo Fernandes

          Tá bom, então, Fabrizio!!! Continue com a sua opinião e eu fico com a minha. Se você acha que o Nole “fez bonito” na Olimpíada e o Federer é um “galinha morta” mental, problema seu. Aliás, o suíço deve estar preocupadíssimo com o que você acha dele e o sérvio “não dorme mais à noite” de tanto que ele fica afetado com a minha opinião sobre ele…faça-me um favor, hein!!!

          • Fabrizio Gallas

            Paulo,

            Para de exagerar meu amigo. Não disse que o Nole fez bonito na Olimpíada e nem disse que o Federer é um galinha morta mental. Só afirmei que o Federer não esteve bem mentalmente no jogo final e o Djokovic endureceu muito mais pro Murray que o Federer fez. Isso acontece com qualquer jogador.

  • Frederick

    Não entendo porque ficam inventando entraves para decretar o óbvio: Federer é o melhor jogador de todos os tempos, com ouro em simples ou não!!! Antes de ganhar RG falavam que ele seria o melhor somente quando ganhasse RG. Ele ganhou… Passados uns meses começaram a falar desse ouro em simples, e que ele só poderia ser considerado o melhor quando ganhasse o ouro. Ah não… Vamos ser nobres e reconhecer o cara pelo que ele é!!!! Federer mudou a história do tenis, elevou o esporte a outro nível técnico e de popularidade. Tornou o esporte mais elegante… Por favor, vamos parar de mesquinharia e torcer para que ele continue jogando.

    • Fabrizio Gallas

      Quanto mais o Federer jogar melhor para o esporte, tenha certeza disso.

  • Fred Abreu

    Olá Fabrizio,

    Até que ponto o desgaste da semifinal contra Del Potro pode ter prejudicado a performance do Federer hoje? Ele já vem com um ritmo puxado desde Wimbledon e já não é mais um garoto. Acho também que pro Murray era tudo ou nada, deve ter feito o jogo da vida dele. Espero que com essa vitória o Murray ganhe confiança e entre de vez na disputa pelo nº 1. O Del Potro também tem condições de entrar nessa briga, mas por enquanto vejo ele num segundo escalão junto com o Tsonga.

    Abraços.

    • Fabrizio Gallas

      Foi muito mais desgaste emocional do que físico até porque o jogo de hoje não foi longo e ele teve um dia pra descansar. Federer emocionalmente perdeu de longe pro Murray no jogo. Mas como eu disse são alguns games, pontos-chave que interferem. Se ele devolve a quebra ali no 2/0 do segundo set as coisas poderiam mudar a seu favor. Perder aquele game foi emocionalmente ruim pra ele.

  • Mani

    Não sei, não… tive a impressão de que o Federer estava um pouquino… não muito, mas um pouquinho mais lerdo em quadra. Eu acho, sim, que o jogo contra o Del Potro deixou o Federer exausto, tanto mentalmente como também fisicamente. Como já foi dito, o Federer já não é mais um garoto.

    Aí vc chega na final cansado, tem que jogar contra um cara no nível do Murray, motivado, com toda a torcida nas costas… é muito difícil achar a força necessária para encarar essa situação, principalmente porque era a segunda vez em um mês que ele estava jogando nessas circunstâncias. E ele não achou essa força, jogou com o tanque vazio.

    Mas fico feliz pelo Murray, mereceu, jogou demais e tava na hora de ganhar um torneio importante (ironicamente ele recebe menos pontos pro ranking do que nos ATP 1000 que ele já ganhou). Mostrou muita personalidade para jogar dessa forma depois de estar tão abalado após a final de Wimbledon.

  • Amigos do blog. Apesar de torcer muito por Federer, acho que o título ficou em boas mãos e vou torcer muito pro Murray ganhar alguns Slams também. Não acho tanto que uma medalha Olimpica possa ser tão valorizada ou desvalorizada. É simplesmente um torneio que vc joga pelo seu pais e de quatro em quatro anos. Isso acontece com a própria Davis, que o Roger Federer nunca ganhou. É evidente que Federer gostaria muito de ganhar e talvez tivesse motivação de sobra para isso, porem , devemos ressaltar que Andy Murray mereceu e ponto final. Nós que gostamos do tênis tb temos que ter a inteligência de que a probabilidade de Roger Federer e Nadal estarem em 2016 no Brasil é muito pequena. Federer com a sua idade é muito pouco provável e Nadal com suas lesões que a cada ano o deixam mais tempo longe das quadras. Isso é ruim para o esporte mais é uma realidade. Outrossim, penso tb que o Murray sai fortalecido e é um grande candidato para o US OPEN. Nadal sem ritmo, Djoco muito longe do que foi no ano passado e Federer sendo uma icógnita (como sempre). Mas vamos lá, assistir de camarote estes grandes duelos.

  • Murray jogou melhor nos games-chave, vem evoluindo desde WB, mereceu!

  • Jomar Romariz Xavier

    Boa noite! Gosto de ler os comentários. Alguns bem ponderados, outros beirando ao fanatismo. Sou admirador do Federer, e, modestamente, entendo que o Murray jogou melhor, e mereceu vencer. Se o estado emocional do Federer estava tão fragilizado, a ponto de travá-lo tecnica e taticamente, ele não deveria nem entrar em quadra. Aprendi que se o “se” prevalecesse, muitas coisas poderiam acontecer ou não. Então, não teria graça. Quanto mais ótimos jogadores, mais bons jogos. Quem também ganha com isso, somos nós, apreciadores desse esporte tão apaixonante.

  • Roberto Rocha

    Mais uma vez a História se fez diante de nossos olhos. Murray vence em Wimbledon!!!!!!!!
    Sai fortalecido para dar o grande salto na carreira. E nós todos poderemos apreciar mais e melhores duelos entre o “Quarteto Fantástico” e Delpo correndo por fora e em ascensão na carreira.
    O segundo semestre promete!

  • Apesar de ser fã incondicional de Rafa, vibrei com a vitória do Murray, ele já vinha há muito tempo chegando quase lá!
    Acredito com a chegada de Ivan Lendl o jogo de Murray mudou bem, o psicologico também evoluiu, enfim acho que vai deslanchar e esse ouro olimpico vai dar uma confiança maior nos proximos torneios.
    Parabéns Murray e Delpo também, mereceram.
    Que ótimo que Federer ficou no quase e o Djoko, nem quase…

  • marivaldo Nunes

    Bom dia. Antes de elogiarmos o jogo do Murray, é bom perguntarmos: quais foram os arsenais de jogadas do Murray? respondo: nenhum, apenas se limitou em bater. Se o Federer tivesse quebrado logo no inicio , quando estava 40 a 15, o Muray se entregaria. Não tem jogo pra bater djoko, nadal e muito menos federer, vocês verão no USOPEN

  • diego

    Parabéns ao Murray, foi absoluto e mereceu! vamos ver o q acontece daqui pra frente co essa evolução do escocês. o circuito vai pegar fogo.
    Go Federer, valeu pela medalha prateada!

  • Mário Fagundes

    A conquista da medalha de ouro pelo Murray foi merecida, pois este além de jogar agressivamente, estava muito melhor física e mentalmente. Como se não bastasse, jogou em casa, com todo apoio da torcida. Enfim tudo estava favorável ao britânico. Agora é inadmissível que, a todo instante, os críticos de Federer criem “novos” desafios ao suíço. Alguns desses desafios são vencer Nadal em RG, conquistar a medalha de ouro em olimpíadas e bater todos os recordes ainda vigentes no circuito. Como torcedor de Federer e para o bem do tênis, rezo para que ele tenha saúde suficiente pra jogar em alto nível por mais 4 anos e, assim, conquistar o pouco que ainda lhe falta. Quem sabe essas “dúvidas” não sejam uma motivação a mais para que ele continue jogando? Já pensaram nisso? O tempo vai responder.

MaisRecentes

O melhor Rafael Nadal entra para a história do esporte



Continue Lendo

Djokovic ou Thiem podem parar Nadal ?



Continue Lendo

Um novo patamar para o Next Gen



Continue Lendo