BELLUCCI GIGANTE!



Meu título de hoje vem em letras garrafais para demonstrar minha satisfação MAIÚSCULA com uma série de barreiras mentais que Thomaz Bellucci quebrou neste domingo.

A primeira delas, vencer um top 10 com jogo muito consistente em uma final. A segunda, conseguir uma virada na final. A terceira e mais importante. Virar um jogo após o baque que Thomaz levou com a perda do 1º set. Após ter 6 a 1, cometer erros seguidos e entregar a parcial com uma dupla-falta que entrou pros pontos mais bizarros do ano era muito provável que a cabeça fosse pro espaço, o que, felizmente não aconteceu.

Bellucci é criticado por nós comentaristas e acaba não dando aquela confiança ao torcedor por essas oscilações mentais e por se perder muito em jogos que estavam ganhos ou controlados. Ele consegue ir do céu ao inferno em minutos.

Hoje o diabinho, o menino do mau quis que Thomaz entregasse o jogo no segundo set. Ele começou a dar curtas desesperadas sem nexo algum. Mas o anjinho na cabeça aparecia logo depois pedindo para ficar no jogo, controlar o serviço, não ser tão apressado no fundo e ir confirmando os saques para apagar o mico na primeira etapa.

E ele conseguiu, foi se ajustando, foi esquecendo e recolocando em prática tudo o que fez na semana e anteriormente na partida para desenvolver seu melhor tênis. Conseguir ser firme e decisivo para fechar a segunda etapa e se sobrepôr ao mental do rival para largar na frente no terceiro set e aí sim usar toda a confiança para dominar.

O título de Thomaz desta semana foi enorme, ergue a confiança do brasileiro em todos os aspectos tanto pras Olimpíadas como para os torneios no piso rápido e o mais importante, faz acreditar que virar jogos contra tenistas de qualidade é possível, que ele tem bola pra isso. Outro aspecto importante. Bellucci conseguiu ser disciplinado também taticamente explorando os defeitos dos adversários. Tênis não é só pancadas e winners. Tênis é talento, tática e muito poder mental. Bellucci teve tudo isso na semana e mereceu muito o troféu.

Parabéns Thomaz!

Curtinhas:

Bellucci, que é o 2º melhor ranqueado da história do Brasil se torna o 3º maior vencedor de ATPs ao lado de Meligeni com três canecos. O brazuca disputou quatro finais e Fininho, que foi top 25, ganhou três em seis decisões. A frente somente Guga com 20 títulos em 29 decisões e Luiz Mattar com sete títulos em onze finais. Bellucci deixou pra trás Thomaz Koch e Jaime Oncins que faturaram dois ATPs.

Com o troféu ele será 40 do mundo. Valeu a pena rebaixar jogando challenger não é ? Ganhou Braunschweig, fez semi em Stuttgart e campeão em Gstaad. Há três semanas ele era 80 do ranking.

É também o 5º top 10 em 19 jogos que Bellucci vence, o segundo do ano. Verdasco (10º, Acapulco 2011), Murray (4º, Madri 2011), Berdych (8º, Madri 2011), Ferrer (6º, Monte Carlo 2012) foram os outros.



MaisRecentes

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo