Para resgatar confiança e dar ânimo. Melhor de Todos ?



Às vezes voltar a jogar um torneio menor , enfrentar adversários teoricamente mais fáceis, se torna importante para dar aquele resgate de confiança em uma série de derrotas fazendo bem lá na frente. Thomaz Bellucci se propôs a tomar esse “choque de realidade” como bem dizem meus amigos jornalistas Alexandre Cossenza, do Globoesporte.com e Giulaender Carpes, do Terra.com, e vem colhendo frutos nos ATPs europeus.

Bellucci se rebaixou para jogar um challenger, ne Alemanha, foi campeão batendo apenas um top 100 e na semana seguinte fez semi no ATP de Stuttgart, vencendo um top 30 e por pouco não eliminando o top 8 Tipsarevic. Esta semana ele já encaixa outra boa campanha no saibro rápido de Gstaad, onde foi campeão em 2009, superando outro top 30, Mikhail Youzhny e com boas possibilidades de passar à semi diante do espanhol Feliciano Lopez.

Ano passado Bellucci fez uma opção válida. Tentou nessa época os ATPs no piso rápido, para buscar maior qualidade no piso. Acabou não dando certo, perdeu jogos ganháveis, caiu a confiança e acabou despencando de produção. No fim do ano, ao invés de buscar os ATPs menores, foi pros maiores e com rivais mais duros acabou afundando.

Mais importante para Bellucci na vitória de hoje foi quebrar a série de três quedas seguidas pro rival. Tudo em prol de duelo importante na Copa Davis em Rio Preto (SP) que teremos em setembro sobre um piso de saibro que pode vir a ser rápido. Youzhny muito provavelmente será o jogador número 1 da Rússia no duelo e o duelo contra ele, no domingo, o decisivo.

Obviamente que neste confronto projeto que Bellucci vai vencer o número 2 da Rússia e nossa dupla terá resultado positivo. Mas sempre com o pé no chão. Nikolay Davydenko vive um mau momento e por isso é menos cotado a vir para o Brasil, mas tudo pode mudar de uma semana pra outra, de um mês pra outro e mesmo em fase nada boa tem chances de ganhar do brasileiro.

Bellucci por enquanto permanece como 60 ou 59 do mundo com a campanha e só passará a somar caso faça semi por conta do 18º melhor resultado, mas pelo menos quebrou uma barreira mental contra Youzhny e vem injetando confiança pra Davis e quem sabe pra uma boa campanha na Olimpíada.

Federer recordista – Me pediram para comentar sobre o recorde de 287 semanas de Federer. Reitero minha opinião já dada em outros posts. Federer conseguiu um feito enorme ao reassumir o topo diante de Djokovic e Nadal dominadores do circuito nos últimos anos e tem muita chance de terminar sua carreira como Maior de Todos. Afinal ele venceu tudo e quebrou quase todos os recordes.

Mas para terminar com minhas dúvidas deveria obter um título Olímpico em simples e a vitória em Roland Garros sobre Rafael Nadal. O primeiro feito ele tem boas chances de conquistar já. O segundo vai precisar de pelo menos mais uma temporada. Sem dúvida vai ficar uma pontinha de gosto amargo de Federer ter perdido todas as finais em Paris para o Rei do Saibro enquanto que Nadal o bateu na final de Wimbledon.

E polêmicas no mundo do tênis. Ivan Ljubicic chamou Nadal de egoísta quando era do Conselho da ATP, afirmou ter rusgas do o espanhol e afirmou o que já vinha apontando há meses aqui, Nadal não tem amizade com Federer. Você pode ler a notícia aqui e tirar suas próprias conclusões. LEIA AQUI A NOTÍCIA!

A caixinha está aberta a comentários!



MaisRecentes

Zverev tem tudo, mas ainda falta muito. Estranho, não ? 



Continue Lendo

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo