A Era de Ouro no ano mais competitivo. Quem leva ?



Vivemos a Era de Ouro do tênis. São três tenistas consagrados, dois deles com características totalmente diferentes, que ganharam tudo e são considerados por muitos como dois dos melhores de todos os tempos. Some aí um Novak Djokovic vencedor e Murray muito talentoso que ainda cumpre papel de ator coadjuvante, mas que em breve deve ganhar papel de destaque no circuito.

Os principais atores do circuito já viveram épocas áureas de intenso domínio com mais tempo para Roger Federer. Mas o que estamos vendo este ano era o que esperavamos há algum tempo. Uma verdadeira batalha campal dos top 3, com uma competitividade que só abrilhanta o esporte.

Pela primeira vez desde 2005 os três primeiros Grand slams foram vencidos por tenistas diferentes. Fora isso os top 3 dominam também os Masters 1000. Federer e Nadal ganharam dois cada e Djokovic ganhou o restante. Roger retomou a liderança do ranking após dois anos e lidera também o ranking do ano, aquele que determina os melhores ao fim da temporada. Mas sua vantagem para Nadal, terceiro, é de menos de 300 pontos. Roger tem 7085 pontos contra 6840 de Djokovic e 6795 de Rafa. A temporada ainda promete muito. O próximo grande evento é a Olimpíada com 750 pontos em jogo ao campeão.

A pergunta que deixo a vocês. Quem leva como o melhor ao fim da temporada e consequente número 1 ? Federer e Djokovic tem uma vantagem pelos pisos mais rápidos, principalmente aquela série de quadra coberta no fim do ano que favorece o suíço. Será que o Touro consegue virar o jogo ?

Curtinhas:

Thomaz Bellucci voltou a ser campeão após mais de dois anos vencendo um challenger na Alemanha. São nos torneios menores onde se resgata a confiança pros maiores e Bellucci terá uma pequena série de ATPs no saibro podendo somar bons resultados para chegar bem na Olimpíada e no piso rápido americano.

Ele enfrenta Bernard Tomic nas oitavas em Stuttgart nesta quinta-feira, mas só somará pontos caso faça semifinal por defender 45 do 18º melhor resultado.

Rogerinho ganhou um challenger no Panamá, subiu ao top 100 pela primeira vez. Ótimo prêmio. Agora os ATPs são a nova meta.

 



  • Ricardo Lourenço

    Daqui pra frente a disputa vai ficar acirrada entre Federer e Djokovic, colocando personagens como Murray, Delpo e Tsonga. Nadal acredito que vai chegar bem nos torneios mas não leva, tanto que desde 2010 não ganha um titulo sem ser no saibro!

  • LUQUES

    Não tem pra ninguém, Federer o maior de todos, enquanto os outros se matam pra vencer, Federer nem desarruma o cabelo, o cara é fenomenal em todos os fundamentos e principalmente qdo está motivado.
    Qto ao nosso Bellucci ganhar challengers tá bom demais, o Tomic vai detoná-lo.
    Abçs.

  • Eu acho que tudo esta muito equilibrado,mas acho que o federer e o djokovic levam uma vantagem pra cima do nadal,pq estao a pelo menos uns 1.500 pontos na frente e nao imagino que o nadal vai tao bem nos torneios de piso rapido(seu ultimo titulo em um piso que nao se chame saibro,foi em 2010).O federer e o djokovic vao fazer uma briga muito boa,pois ate o us open o djokovic defende um titulo de masters 1000 um vice campeonato de masters 1000 e o titulo do us open(enquanto o federer nao tem muitos pontos para defender),ja depois do us open o federer defende os titulos do atp 500 da basileia,do masters de paris e do atp finals(enquanto o djokovic n tem muitos pontos a defender)Vc concorda comigo fabrizio?

  • rui costa

    fabrizio,diz me algo…nadal defende esses 750 pontos por ter ganho a ultima ediçao,ou ele ja descartou esses pontos?

    • Fabrizio Gallas

      Já descartou os pontos em 2009 e foram 800 e não 750, esse ano caiu um pouco. Quem ganhar esse ano ou somar muito ano que vem perde ou compensa em outros torneios.

  • diego

    Vai ser bem acirrado este fim de temporada. No entanto acredito que Roger conseguirá terminar o ano como #1, pois seu jogo melhora e muito em quadras cobertas!
    Go Federer!

  • Paulo Filho

    De fato a era atual do tênis é espetacular, tanto no masculino como no feminino. Focando no masculino, o que eu tenho a dizer é que o Nadal tem muitas chances de se aproximar até o fim do ano, uma vez que ele defende até dezembro cerca de 2,2 mil pontos enquanto que Federer e Djokovic defendem mais de 4 mil. O Murray vai chegar bem também e não defende muita coisa, logo talvez consiga embolar ainda mais o meio de campo. O Ferrer corre por fora, mas se conseguir fazer quartas e semi em todos os torneios que participar e conquisar uns ATPs menores, pode fazer estrago também.

    Fabrizio, essa história de que no piso duro o Nadal tem desvantagem já era. A única exceção fica para a quadra coberta, onde o Federer simplesmente destrói todos os outros, mas ele luta em igualdade com todos os outros top 8. Veja os resultados dele somente neste ano neste piso: final do AO (derrubando inclusive o Federer e quase desbancando o Djokovic em 6h de jogo) e perdendo em IW na semi para o campeão Federer. Todo mundo sabe que no US Open o Nadal é tão favorito quanto os outros 2, haja visto que foi finalista ano passado, campeão em 2010 e semi em 2009 (mesmo doente e só perdeu para o campeão Del Potro). Nos Masters 1000 restantes, no Canadá ele já foi campeão, em Cincy ele não consegue emplacar, em Xangai já foi finalista e em Paris também não consegue emplacar. Dá pra achar que ele tem desvantagem?

    Resumindo: os 3 primeiros estão tecnicamente empatados em previsões. Federer é o favorito, mas o piso duro pode prejudicar seu físico que não anda lá essas coisas. Djokovic tem sido o rei deste piso ultimamente, mas já demonstrou que já não é o mesmo do ano passado e acusou algum tipo de doença misteriosa. Nadal tem tudo o que eu disse acima, mas o fantasma da tendinite no joelho voltou. Murray está babando por bons resultados, mas recentemente penou com a coluna. Ironicamente o melhor de todos no físico é o Ferrer, que é menor, o que mais corre e o que mais torneios jogou esse ano, fora que já tem 30 anos.

    • Edmárcio

      Não só dá para achar como podemos afirmar… Nadal não ganha nada fora do saibro há 2 anos e dificilmente ganhará esse ano.

    • Rogério

      Não esqueçam que Nadal tem poucos pontos a defender daqui prá frente até o US Open, portanto, tem todas as chances de subir no ranking, o que não vai demorar muito e já nas Olimpíadas acredito que ele chegará com tudo para o bicampeonato.

    • Gabriela

      Isso ai! Mas o Murray e o Ferrer, não sei porque, mas não me convencem…

  • Luciano Nilo

    Fabrizio,
    Federer está acima de qualquer outro tenista, tanto por talento como por títulos.
    Não o compare com Nadal ou Djokovic.
    Nadal foi seu #2 por 4 anos e meio CONSECUTIVOS!
    Abraço,
    Luciano

    • Eduardo

      E vai aumentar a conta ainda…..kkkkkkkk

  • Leandro Mendes

    O Nadal terá que defender estes 750 pontos? E o Djokovic que foi bronze, também terá que defender alguns tentos?

  • Rafael Fluminense

    HEWITT será o número 1!! Está atropelando em NewPort, apesar de ninguém estar lembrando!

  • Mário Fagundes

    Acredito que Nadal não ganha mais nada este ano, até por que está lesionado e não voltará confiante para a Olimpíada. Djokovic não revelou o problema de saúde que tem. Mesmo assim lutará muito para recuperar o terreno perdido. Murray é o tenista que mais tende a evoluir para o restante da temporada. E Federer vai como principal favorito para as Olimpíadas. Ganha o ouro olímpico, o US Open, o ATP Finals e termina como número 1 do mundo.

    • Carla Bueno

      Ai meu Deus, se pegarem os arquivos deste blog do ano passado, onde Mr. Federer viajava pelos torneios, perdia, perdia, e todos o aposentando antecipadamente, deixariam de fazer tantas previsões. Lembrem-se que Mr. Federer ficou 2 anos e meio sem ganhar grand slams e quase um ano sem ganhar títulos, só se regenerou na Basileia – até chorou de emoção em um ATP 500! Tanto Djokovic e Nadal tem tudo para tirar logo a condição de #1 do suiço. Todos os méritos para ele, mas duvidar de um Djokovic ou de um Nadal é não entender absolutamente nada do esporte, eles são jogadores de alto nível, trabalham e se superam quando menos se espera. Os três são um verdadeiro paredão para os top 10, mas também achar que Roger vai atropelar todo mundo até a ATP Finals, a própria história do tênis mostra que após os 31, mesmo sendo Roger Federer, não dá prá ser tão consistente o tempo inteiro. Estamos só começando o segundo semestre e já com uma olimpíada pela frente.

      • Mário Fagundes

        Oi, Carla!

        Realmente muitos que aqui deixam seus comentários aposentaram Federer diversas vezes. Assim como alguns fanáticos pelo suíço previram a volta do gênio ao posto de número 1 não antes do US Open. A verdade é que Federer surpreendeu todas as expectativas, pois ninguém aqui apostava numa queda prematura de Nadal em Wimbledon, exceto eu, é claro! (veja meus comentários nos posts anteriores). Não duvido da recuperação de Djokovic e Nadal, mas os trintões estão jogando muito tênis. E isso vem ocorrendo em outros esportes também. As coisas mudaram. É hora de rever conceitos acerca da longevidade dos tenistas. Ratifico minhas previsões. Federer termina o ano como número 1 do mundo. Abs

  • Eduardo

    “Os principais atores do circuito já viveram épocas áureas de intenso domínio com mais tempo para Roger Federer” .
    Calma, Fabrício, não confunda presente com passado. Não há comparação nesse quesito.
    Em numeros redondos, o “domínio intenso” de cada um, em suas carreiras:
    Djokovic 50 semanas 1 ano seguido
    Nadal 100 semanas 2 anos em 2 periodos
    Federer 300 semanas 6 anos em 3 períodos, mas 237 ( 4 anos e meio) seguidas – Esse sim foi o maior e talvez, inigualável período de ” intenso domínio” de algum atleta no circuito do tênis.
    Agora, hoje há um equlibrio sim. Nadal domina o saibro, Djokovic joga bem em todos os pisos, e Federer… bem, Federer é gênio e aí tudo pode acontecer. Depende da inspiração do momento, da motivação em ganhar, do humor, do sono das gêmeas…rsrrsr
    Aposto nele nas Olimpiadas, principalmente, e no US Open.
    Djokovic sempre poderá ganhar qualquer torneio.
    A pior perspectiva é para Nadal que tem seu ponto forte no saibro que já acabou. Apenas no Us Open foi bem nos 2 últimos anos. Os Masters do 2° semestre e ATP’s já o encontram desgastado fisicamente e sem o físico todos sabemos que o espanhol perde muito, especialmente nos pisos duros.
    Portanto, a briga pelo numero 1 deverá ficar entre Federer e Djokovic, até pelos pontos que defendem até o fim do ano.
    De qualquer sorte, aposto no suiço.

  • Rafaela

    “Nadal era o número 2 do ranking, atrás de Roger Federer, em um recorde de 160 semanas consecutivas antes de assumir a liderança…..” Fonte Wikipédia.
    Mais um recorde para Rafa!!!!!
    Vamos lá Rafa, passar Djokovic, assumir novamente o número 2, para tentar superar seu próprio recorde!!!!!
    Arriba, miúra!!!!

    • Felipe Gonçalves

      Pra isso, ele terá de ficar mais 161 semanas consecutivas como nº 2 do mundo a fim de superar o próprio recorde. E ele está em terceiro lugar.

    • Carla Bueno

      É isso aí Rafaela, eles esquecem que o touro miúra tem pouquíssimos pontos a defender até o US Open, onde chegou a final, e Roger Federer tem apens míseros 75 pontos a frente de Djokovic.

  • Rogério

    Sem dúvida, Nadal chegará com tudo, conforme informações de Carlos Moya. Roger Federer não teria vida fácil caso Nadal chegasse à final em Wimbledon, de acordo com a opinião de Rod Lever, a qual concordo plenamente, e amplamente divulgada na imprensa nacional e internacional. Sua precoce queda no último GS foi em decorrência de problemas no joelho esquerdo desde Roland Garros, que o fez suspender a exibição no Santiago Bernabeau com Djokovic. Ele não deu desculpas pela inacreditável queda na 2ª rodada, porém a verdade veio à tona com a comprovação de médicos da Federação Espanhola. É por essas atitudes que admiro o espanhol e nunca duvido de sua recuperação.

    • Edmárcio

      kkkkkkkk amigo a desculpa do Nadal todo mundo já sabe… não estava jogando no saibro… faz dois anos que ele não se dá bem fora do seu habitat natural.

    • Rafaela

      Snift Snift…. concordo!!!!
      Vamos chorar juntos por Rafa!!!!!!
      Rumo a novos recordes como n° 2!!!!!!

    • Alan

      Um fato interessante já observado por algumas pessoas há algum tempo é que os problemas no joelho do Nadal costumam “desaparer” no saibro, vindo à tona sempre que ele tem um insucesso fora de sua superfície favorita. Eis os fatos (restritos apenas ao ano em curso). No AO jogou com uma proteção no joelho, chegando mesmo a abandonar o Masters 1000 de Miami quando faria a semi em decorrência de… lesão no local. Voltou na temporada de saibro sem proteção e voando. Em Wimbledon cai precocemente(muito por conta do jogo do Rosol), com um adendo de que já não vinha jogando espetacularmente na grama, vide a eliminação em Halle no segundo jogo que disputava. Resultados inexpressivos, retornam todos os fantasmas ‘patelares’… Estranho, não?

    • rui costa

      bla bla bla…dar desculpas na hora fica feio,e dar desculpas 2 semanas depois feio fica…SR.ROGERIO,voce por acaso viu o jogo do nadal?? em nenhuma vez ele deu mostras de algum problema,nao fez queixinhas ao seu titio.nao chamou fisioterapeutico,enfermeira ou medico…eu vi foi um rosol (perfeito desconhecidp,sublime-se) a sacar e jogar portentosas direitas k nao davam chance…e agora a vossa consolaçao e ouvir um velhote dizer k so nadal seria capaz de bater federer,so k ja estamos a ficar cheios desses profetas k vem para a imprensa cuspr para o ar e depois a saliva cai-lhes na boca,como aconteceu domingo passado…mas laver tb disse o porque de achar k so nadal poderia vencer o roger,..seus constantes baloes para a esquerda de federer k tanto o incomodam.isso ele tem razao…sua famosa forma “suja” de jogar contra roger…mas estavamos em wimbledon,3 finais entre eles,2-1 a favor de federer e a de nadal foi arrancada a ferros naquele ano em k supostamente federer foi atacado com mononucleose,..(sem querer dar desculpa rsrsrs…) nadal joga bem em wimbledon,e verdade,fez 5 finais…mas convem nao esquecer que roger tb ja fez 5 finais em R.Garros e no entanto nadal e considerado o rei do saibro….nadaletes choraozinhos rsrsrsr

    • Gabriela

      Apoiado! Inclusive a entrevista que Nadal deu após derrota em Wimbledon foi humilde e sincera, alias como sempre é. A propósito, isso me faz ressaltar que os discursos dos tenistas são, geralmente, admiráveis. Dá pra notar em muitos o respeito, admiração, humildade e reconhecimento entre eles. Claro que, existe ,às vezes, a ironia, o desgaste… mas de modo geral, é louvável!

  • Paulo Filho

    A única coisa que me deixa preocupado para este segundo semestre é o físico dos atletas. O Nadal como parou cedo para tratar do joelho pode ser que volte bem para as Olimpíadas e para os torneios americanos. O Djokovic eu espero que se trate e volte bem, enquanto que o Federer precisa tomar cuidado com a coluna. Na grama, como o jogo tende a ser mais rápido e os jogadores jogam mais agachados, o que exige muito do físico, e na quadra dura as pisadas e as corridas exigem muito dos joelhos. Perigo à vista.

  • Mauricio

    Nadal esse ano não consegue, ele precisa sair de Wimbledon com uma boa margem na corrida dos campeões. No saibro ele fez o que deveria fazer, mas não somou na grama e isso fez toda a diferença, o normal teria sido somar pelo menos 1000 pontos a mais. Pra mim, quem termina como o nº vai ser o campeão do US Open.

    Quanto ao Bello, tem tudo pra fazer semi e chances de final, o servo não é tudo isso no saibro. Título é difícil porque Monaco está melhor, mas já o ganhou na final do Chile.

    • Claudia

      Rafa precisa sair de Wimbledon com uma boa margem na corrida dos campeões? Vc enlouqueceu? Ele já chegou em Wimbledon com1 Grand Slam 2 Master 1000 e 1 ATP500 tá bom prá você? Não é a toa que os três primeiros foram convidados ao mesmo tempo para o ATP Finals. SE LIGA!

  • Eduardo

    Rod Laver deveria fazer uma sociedade com Safin e jogarem na loteria.
    Sabem tudo do futuro e do se……..
    Brincadeira…..

  • Fernando

    Uma dúvida Fabricio, Olimpiadas são melhor de 3 ou melhor de 5 sets ?

    • Fabrizio Gallas

      Melhor de 3, a final em 5

  • Felipe Gonçalves

    O mais impressionante não é a volta do Federer ao topo do ranking, e sim ter feito isso em uma época em que as quadras estão cada vez mais lentas, inclusive a grama. Essas quadras são mais favoráveis ao estilo de jogo “fritar o cérebro do adversário passando 50 bolas por ponto para o outro lado da quadra”, do qual os principais expoentes são Djokovic e Nadal.

    Pra mim, esse é um dos maiores feitos da carreira do Federer.

  • Paulo Fernandes

    Esse Fabrizio é bom para fazer graça, mesmo. Fabrizio, pouco importa quem vai levar o número 1 este ano. Pouco importa se o Nadal e o Djoko estão a 30, 80, 200 ou 300 pontos de diferença do Federer. Pouco importa quem acha que o espanhol e o sérvio estão no mesmo nível do suíço, porque na real, sem usar retóricas de tietagem e opiniões contaminadas por rivalidades boçais, não existe um motivo racional sequer para que se cometa a heresia de comparar um tenista com a categoria e o currículo impecável do Federer com tenistas até bons, porém com um jogo melancolicamente robotizado e tão previsível quanto enfadonho. Portanto, sejamos minimamente leais aos fatos e, por favor, poupem a mim e aos amantes do tênis bem jogado dessas chocarrices sem pé nem cabeça.

  • Gabriela

    Acho que o povo não pàra pra pensar que Federer conquistou tudo que ele tem hoje, porque na época dele não existia tamanha competitividade… Rafa e Djoko conseguiram conquistas com um adversários atuantes e geniais. Roger é excepcional, mas convenhamos que ganhar de adversários “ordinários” fica mais fácil…

    • Raul

      Obrigado Gabriela pelo comentário. Confesso que meu dia estava meio ruim hoje, pressão do chefe, enfim…., mas seu comentário me fez melhorar bastante, pois confesso que poucas vezes eu ri tanto ( a última foi na derrota do Nadal pro Rosol). Falar que o maior gênio do tenis e atual maior “nome” do esporte mundial, se fez em cima de adversários ordinários, eu confesso que foi uma das coisas mais hilariantes, e sem sentido, que já ouvi.

      Meu Deus, meu Deus, perdoa, ela não sabe o que diz.

  • Leonardo Rodrigues

    Nadal, quando perde, sempre inventa desculpas que está com dor no joelho e etc.
    Por que ele não falou isso depois quando ganhou em roma e roland garros?
    Nadal está blefando para tirar a pressão de obter títulos.
    Carlos Moya é super fã do Nadal, parece acessor de impressa dele.

    • Rogério

      Diante de alguns depoimentos aqui, fico pensando como o maior tenista espanhol chegou aonde chegou…blefando, mentindo, desviando a pressão? é assim que se ganha 50 títulos, dentre eles 11 Grand Slams, sendo 7 no saibro e os outros fora do SAIBRO! Po… o cara em questão tem 26 anos recem completados e desde 2005 está entre o 1° e 2° do ranking alternadamente, será que ele faz magia negra, macumba ou algo parecido para conseguir isso? NÃO, ELE É O RAFAEL NADAL, que mesmo tendo 5 anos a menos que Roger Federer, chegou fazendo história primeiro ao vencer 7 vezes Roland Garros. Sabem que já ouvi gente aqui dizendo que Roland Garros não tem a mesma importância? Sinto muito para quem pensa assim, e não reconhece os méritos do nosso querido Guga Kuerten, que acabou de entrar para o hall da fama.

      • Raul

        Concordo com vc Rogério, desmerecer os feitos do Nadal ou não assumir as suas qualidades é uma ignorância, talvez tão grande como querer compará-lo ao Federer. Nadal é sem dúvida um dos maiores da história e com certeza o maior de todos no saibro, porém ( independente da opinião), os recordes do Federer, dentro e fora da quadra, não deixam dúvidas que ele é o melhor de todos. Querer dizer que o Nadal é superior ao Federer, pois possui mais vitorias, no confronto direto, ( como alguns dizem) é demonstrar pouco, ou nenhum, conhecimento esportivo, afinal o que todos almejam, inclusive o Nadal, são os títulos, os recordes, números esses que o Federer possui acima de todos. Apenas um exemplo, o meu amado Palmeiras possui mais vitorias em confrontos que Corinthians e Santos, mas nos últimos 12 anos, nós palmeirenses temos sido “zoados” por todos, pois afinal, nesses últimos anos não conseguíamos ganhar ” TÍTULOS”, que é o importante.
        Mais sem dúvida alguma o Nadal é o maior de todos no saibro, e com certeza é o tenista mais competitivo que já existiu, porém para querer ser considerado o melhor de todos os tempos, tem que possuir os melhores números de todos os tempos, que hoje pertencem ao mestre Federer.

  • Júlio

    Ô Gabriela, minha filha, vira o disco, porque essa desculpinha despeitada não cola mais. Em 2012 o veterano Federer é, de longe, o melhor tenista, o que mais venceu, e desbancou Nole e Nadal. Essa desculpinha de geração fraca não cola mais, pois c/ mais de 30 anos o Federer está fazendo os robozinhos comerem poeira… E, se for seguir seu raciocínio, Nole e Nadal são “ordinários”. É brincadeira a inveja…

    • Gabriela

      “ordinário” com 11GS e mais não sei quantos títulos… “ordinário de classe”.. E ele ainda está com 26 anos! Longe de ser inveja… também sou fã dele!

  • Paulo Schneider

    Paulo Cleto, exímio conhecedor do tênis, certa vez disse:

    “Mas, acima de tudo, Roger trouxe às quadras uma aliança raríssima de técnica, finesse, exuberância física, talento natural, disciplina, plasticidade e determinação. Todas essas são qualidades que, por vezes, sozinhas são o bastante para construir um campeão. No entanto, juntas, constroem um ídolo, uma unanimidade.”

    Eu acrescentaria que o seu retorno ao topo do ranking e, ainda, o recorde de semanas como nº 1, terem sido obtidos num momento em que tenistas como Djokovick e Nadal também estavam em quadra, só engrandece a sua conquista, e fazem de Federer, sem nenhuma dúvida, o maior tenista de todos os tempos.

  • Edmárcio

    Nenhuma coluna sobre o recorde dos recordes… todo imprensa mundial falando disso ontem e você nada hein Fabrizzio.

  • acho que nole e federer até o fim do ano levam ligeira vantagem… porém quero falar aqui das similaridades de federer e nadal e das diferenças que fazem federer insuperável, vamos a elas:
    EM 2007 FEDERER 26 anos 12 slams e 53 títulos sendo que o título de número 51 foi o US OPEN daquele ano…
    EM 2012 NADAL 26 anos 11 slams e 50 títulos sendo que o 12 slam pode vir a ser o US OPEN
    deste ano… (não acredito muito nisso mas veremos) incrível não?
    A diferença mais importante é o tempo de numero 1 e as masters cup que nadal nem em sonho vai chegar nem perto, porém nos masters 1000 acho que ele vai ser recordista.
    acho que nadal em certos pontos parece seguir a risca a carreira do mestre né? são bem interessantes estes números de slams, títulos e idades, não acha fabrizio?

    • Edmárcio

      Quero ver Nadal 31 anos.

      • Fabrizio Gallas

        Dificilmente ele vai ganhar alguma coisa com essa idade. Eu já dava que ele pararia de jogar com uns 26 … mas mesmo com lesões está resistindo

        • Mário Fagundes

          Fabrizio, concordo com você. O estilo de jogo do Nadal é muito agressivo, sobrecarrega muito a parte física. E essas lesões… Hoje, aos 26 anos, não acredito que ele consiga jogar em alto nível por uma temporada inteira. Pra mim, ele não vence mais qualquer torneio em uma superfície que não seja o saibro. De agora em diante, em minha humilde opinião, as chances de Federer ganhar RG em cima do espanhol são maiores, sobretudo pelo declínio físico de Nadal. O tempo vai comprovar isso.

MaisRecentes

Um novo patamar para o Next Gen



Continue Lendo

Touro afia as garras para Roland Garros



Continue Lendo

Maior de todos no saibro, Nadal já pode almejar liderança na temporada



Continue Lendo