Jogou como NUNCA, perdeu COMO SEMPRE



E a pergunta em Roland Garros continua. Quem vai parar Rafael Nadal ?

Hoje o espanhol Nicolas Almagro jogou muito tênis, mas perdeu, e por 3 sets a 0. Sobre Almagro é aquele velho lema, JOGOU COMO NUNCA, PERDEU COMO SEMPRE. Obviamente que boa parte deste lema se aplica ao nível fenomenal de jogo impresso por Nadal.

Mas Almagro fez um ótimo primeiro set e não foi tão bem na hora de fechar. Teve break para se recuperar no segundo, não conseguiu, três chances para ter vantagem na terceira parcial e cometeu uns dois erros que não deveria.

O retrospecto mostra Nadal 8 a 0 sobre Almagro. Nicolas venceu 12 títulos na carreira, dez deles de ATP 250, dois de ATP 500 em Acapulco. Torneios que não contam com a presença dos top 4. Nunca passou das quartas de um Slam e nunca alcançou a final de um Masters 1000. Para conseguir tais feitos precisa bater os monstros atuais do tênis e ele, mesmo jogando bem, acaba falhando na hora H. Uma pena pois tem muita bola.

De qualquer forma Nadal teve seu 1º GRANDE TESTE em Paris e escapou ileso, sem ceder sets. Voltou a jogar bem, foi muito atacado, se defendeu demais, mostrou que o físico está em dia e quando tinha a chance atacava, além de sair de algumas situações delicades usando bem seu poder mental.

Nadal x Ferrer – Costuma sempre ser o 3º jogo mais duro para Nadal no psio lento após os enfrentamentos contra Federer ou Djokovic. Ferrer vem melhorando cada vez mais, com um jogo bem sólido no fundo, na parte defensiva e também atacando o espanhol com regularidade, mas ainda peca um pouco na parte mental. Em Roma e Barcelona este ano teve várias chances de derrotá-lo, mas faltou finalizar. Terá mais uma oportunidade e Nadal precisa se cuidar muito mesmo com o retrospecto de 12 a 1 no piso lento.

Acredito que Ferrer possa beliscar um setzinho do Nadal, mas Rafa levará em quatro sets.

Justiça seja feita. Os quatro melhores do saibro nas semis de Paris. Agora é estranho ver o Ferrer chegar apenas agora em sua 1ª semi em Paris, um tenista que ganha tanto no saibro, já fez finais de Masters 1000 e tudo mais. Ele merece um bom resultado neste piso. Já Murray fez seu papel e caiu até tarde demais para as atuações e problemas que vinha tendo.

No feminino após alguns momentos nervosos, Maria Sharapova alcançou a semi diante de uma também nervosa Kanepi e terá um duelo muito interessante contra Kvitova. A tcheca chega com menos pressão. O peso do favoritismo para vencer Paris pela primeira vez e para ser número 1 está nas costas da russa e Kvitova tem bola para batê-la. Promessa de um duelo super equilibrado nesta quinta-feira.

A outra semi também pende com favoritismo de Stosur joga com um top spin pesad enquanto que Errani joga com bolas mais altas, variações que a príncipio não devem incomodar a australiana. Stosur também já conquistou seu Slam, no US Open ano passado, fez final em Roland Garros em 2010 e a rival disputa sua primeira semi em Major. Ou seja, Errani pode sentir a pressão.

Curtinhas:

Não temos mais brasileiros em simples no juvenil em Paris, apenas dois nas quartas de duplas, Bia Maia e Thiago Monteiro. Seguimos na torcida.



MaisRecentes

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo